Senadores indignados com a crise no Senado e que defendem arduamente a saída de José Sarney (PMDB-AP) da presidência da Casa apresentaram hoje uma...

Senadores indignados com a crise no Senado e que defendem arduamente a saída de José Sarney (PMDB-AP) da presidência da Casa apresentaram hoje uma nota solicitando o afastamento temporário do parlamentar.

O documento foi assinado pelas lideranças do PSDB (composta por 13 membros), do Democratas (15), do PDT (05) e do PSOL (01), pelos petistas Tião Viana (AC) e Flávio Arns (PR), por Renato Casagrande (PSB-ES) e pelos peemedebistas Pedro Simon (RS) e Jarbas Vasconcelos (PE). Esses números representam 39 assinaturas, quase a maioria absoluta, que seria de 41 rubricas.

A nota foi lida ao presidente Sarney em plenário pelo pedetista Cristovam Buarque (DF), representante do grupo. “Consideramos e reafirmamos que para iniciar a recuperação da dignidade do Senado é preciso a apuração com credibilidade de todas as denúncias contra a administração da Casa e o envolvimento de Vossa Excelência. O primeiro passo para isto é o afastamento de Vossa Exelênci da Presidência do Senado, durante os trabalhos de investigação na Comissão de Ética”, diz o material.

A nota, entretanto, coloca que a decisão pelo afastamento é exclusiva de Sarney. “Mas fica aqui nossa sugestão de que faça um gesto histórico em defesa do Senado e de sua biografia pessoal”.

Ontem, ao se defender mais uma vez em plenário, o presidente afirmou que nenhum senador era maior do que outro e que eles não poderiam exigir que Sarney renunciasse. O parlamentar inclusive se prontificou a dizer que permaneceria no cargo.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *