Por Mino Pedrosa, ex-assessor de Carlinhnos Cachoeira, no  Quid Novi No dia 29 de fevereiro uma operação deflagrada pela Polícia Federal batizada de Monte Carlo...

Por Mino Pedrosa, ex-assessor de Carlinhnos Cachoeira, no  Quid Novi

No dia 29 de fevereiro uma operação deflagrada pela Polícia Federal batizada de Monte Carlo levou para o presídio de Mossoró, no Rio Grande do Norte, Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Com ele, ficaram presos os segredos envolvendo políticos, empresários, funcionários públicos que sustentavam todo um esquema de corrupção.

Foi o Partido dos Trabalhadores que preparou a armadilha para flagrar Cachoeira e silenciar a oposição representada por Demóstenes Torres (DEM-GO) já que Aécio Neves (PSDB-MG) havia recuado por temer represálias. O tiro saiu pela culatra. A operação que se estendeu  por quatro Estados – Rio de Janeiro, Distrito Federal, Goiás e Mato Grosso do Sul – fugiu do controle do Planalto e flagrou a ligação do PT e partidos da base aliada do Governo Dilma com o contraventor.

Carlinhos tem um verdadeiro arsenal que acumulou nos últimos 15 anos. Tímido, porém simpático, além de muito generoso, Cachoeira envolveu pessoas do alto escalão da República. O PT, que empurra a espada sobre Demóstenes Torres, começa a se preocupar com o quintal da sua casa. E para salvar a pátria, entra em cena, mais uma vez, o conceituado defensor e jurista Márcio Thomaz Bastos.

Foi no episódio de Valdomiro Diniz, assessor direto do então ministro da Casa Civil José Dirceu, que Valdomiro foi filmado pedindo propina para campanhas petista. Márcio Thomaz Bastos, na época ministro da Justiça, atuou fortemente para evitar o primeiro grande escândalo do Governo Lula.

Ali ficava clara a afinidade do PT com o jogo e a contravenção. Thomaz Bastos escalou rapidamente o advogado de plantão  Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, para defender Valdomiro Diniz e silenciar Cachoeira evitando que o escândalo alcançasse e derrubasse o então chefe da Casa Civil e todo poderoso do Governo Lula José Dirceu.

Agora, mais uma vez, Thomaz Bastos é convocado, em caráter de urgência, para represar a enxurrada de denúncias que Cachoeira está prestes a soltar.

No cenário pintado por Cachoeira, Demóstenes não passa de uma piaba, ou melhor, um peixe pequeno, que o Ministério Público tenta sevar com denúncias inconsistentes para não ser obrigado a pescar os peixes grandes do PT e da base aliada do Governo.

Enquanto isso, em Mossoró, num calor de 43 graus, Carlinhos arde dentro da cela e prepara seu próximo torpedo em direção ao Planalto. São interlocutores das campanhas presidenciais do PT de Lula e Dilma, que receberam doações de Caixa 2 de Carlinhos que garante que registrou tudo.

via.

Comentários

  • Josias de Paula Jr.

    13/04/2012 #1 Author

    Pannunzio, mais uma vez afirmo: seu blog é um alento! Continue firme com tal propósito de informação, porque há muita gente, mesmo que aparentemente silenciosa, que não aguenta mais ler os tais “blogs progressistas”.

    Quanto a Jose Carlos Arana: o problema no jornalismo não são as fontes (magnatas, pobres, vigários, prostitutas, estudante, acessores, etc.), mas a consistência e a objetividade das informações. Quem contará sobre o mundo do crime senão os próprios criminosos? Ou queres saber do inferno inquirindo vestais?! Paciência!

    Responder

    • jose carlos arana

      14/04/2012 #2 Author

      Caro Josias, a matéria do jornalista: O bandido vai contar tudo. Ora é que todos nós queremos saber, que ele conte tudo. Ou você não quer? Que ele conte suas ligações com políticos, agentes públicos, empresas e jornalistas. A verdade, apenas isto.
      Mas infelizmente a matéria nada mais é do que uma ameaça e utiliza-se do serviço do jornalista para isto. Há vários exemplos de jornalistas que conseguem furos sem comprometimento ( vide Panunzio – e a descoberta do paradeiro do tesoureiro do Collor – matéria deste Blog). O jornalista “pode conhecer o inferno, mas não precisa ficar tão íntimo do Capeta”.

    • Carlos Lenin Dias

      14/04/2012 #3 Author

      No MP,criminosos q colaboram,entram na delação premiada;s/ querer comparar…réréré…MP com imprensa,bandido q colabora c/ jornalista,ganha o q?”descarrego de consciência”?!…qualquer jornalista sabe q é um terreno minado;’té se usa,mas todo cuidado é pouco…’magina,então,por longo,longo,tempo?!Por baixo,qualquer pessoa medianamente bem informada tasca,é cumplicidade.

  • jose carlos arana

    13/04/2012 #4 Author

    Primeiro, uma revista que mantem contato com o contraventor, agora, um jornalista(?) “assessor” do bandido? Que políticos estejam comprometidos não é novidade, mas jornalistas tambem? É, realmente estamos muito mal.

    Responder

    • Carlos Lenin Dias

      13/04/2012 #5 Author

      José Carlos,jornalismo é uma profissão q,às vezes,obriga aproximação c/ “delinquentes”;porém,em qualquer democracia mambembe,isso tém limite e regras -aqui,a ‘gurizada’,c/ consentimento,e incentivo,qdo n órdens, de patrões,acreditam q podem manter a intimidade c/ quém bem entender por tempo q bém quiser…e tudo será justificado por “minha fonte”…imaginam q a platéia ignara,n pensará nada,pq nada deva ser pensado.Assim é,e sempre será…Qualquer mediocre distrito policial de uma nova iorque,por exemplo,p/ ficar nas taras de alguns,c/ apoio de simplório promotor,chamaria a tchurminha “às falas”…A imprensa faz parte da Democracia -embora,a nossa,só entenda da tal “democracia s/ povo”;a ‘nossa’ imprensa,e sei q pannunzio postará,afinal,n deixa de ser uma demonstração de conduta,é tão,ou mais,culpada, das nossas dores enquanto povo brasileiro qto os políticos e nossas elites(de onde nasce nossos briosos barões da mídia).Uma imprensa q pede GOLPE,n é,ném nunca será imprensa -q,qdo real,possui ligação em essência c/ a legalidade e liberdade(-a liberdade pregada pela imprensa brasileira já foi desancada até pela paparicada -alter ego – newsweeck)…”ah mas vc está postando num espaço de um PiG”.Sim.Mas será q,se este blog,c/ todo respeito,fosse muito acessado teria (eu) vez?!Sinto q pessoas como eu,só téem visibilidade como matérias p/ o datena.É o q penso.

    • jose carlos arana

      14/04/2012 #6 Author

      Caro Carlos, veja a resposta que recebi acima. Há pessoas que não percebem o limite que você menciona. Como respondi: você pode conhecer o inferno, mas não precisa ficar tão intimo do capeta. Infelizmente há jornalistas envolvidos e que eu percebo é que a imprensa não quer debater este limite. Fecha-se em copas, menciona-se tudo e todos, mas não a respeito deste envolvimento e o seu limite. Abraço.

    • Carlos Lenin Dias

      15/04/2012 #7 Author

      Isso!Esculhambam os blogs sujos;mas discutir a intimidade longeva entre imprensa e determinadas fontes!?Nunca,nunquinha…”fontes” eles até discutem,”é natural”…qdo se vai p/ intemidade e tempo,é piu!

    • Marcelo G

      16/04/2012 #8 Author

      Que “espaço de um PIG”?? Meu Deus! Qual golpe vc quer dar Pannunzio??

      Desculpe Carlos, mas a sua democracia parece bem próxima àquela implantada pelo seu chará Soviético.

      Sinceramente, utilizar esse papo de luta de classes do século XIX em pleno século XXI já é esquisito, mas pode significar ingenuidade. Acreditar nesse papo e ter como heróis Zé Dirceu e sua gangue, só pode ser má fé!
      Falar em defesa do povo oprimido e defender o chefe de quadrilha, os blogueiros pagos com dinheiro público (essa expressão “blogs sujos” é bacana, dá um ar de underground, de independendência…) e defender controle da mídia (censura discarada!) é realmente o fim da picada!
      Bom… eu me ponho no lugar desses “sujos” e “progressitas”. Todos milionários, alguns dando consultorias caríssimas para o “grande capital” ficar ainda mais rico, jogando migalhas ao povo e sendo defendidos pelos leninistas revolucionários!! Que vida boa!!
      Tempos muito estranhos esses…

      Abraços
      Marcelo

    • Fábio Pannunzio

      16/04/2012 #9 Author

      Caro Marcelo, você nem imagina do que essa galera tem me chamado. Manter o espaço democraticamente aberto para a discussão de temas tão candentes não tem sido fácil. Pelo menos não conseguem dizer que o blog não é pluralista.
      Quero dizer que concordo com tudo o qeu você disse no comentário acima. Abraço e obrigado.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *