Com informações do site Brasil_247 Depois de dois meses de investigação, a 1º Delegacia de Polícia indiciou a médica Izaura Costa Rodrigues Emídio pela...

Com informações do site Brasil_247

Depois de dois meses de investigação, a 1º Delegacia de Polícia indiciou a médica Izaura Costa Rodrigues Emídio pela morte de Marcelo Dino, à época com 13 anos. Izaura, que tem dez anos de profissão, era a responsável pelo atendimento do jovem na UTI do Hospital Santa Lúcia, e não teria entubado o jovem a tempo. Marcelo morreu por asfixia.

O delegado-chefe da 1º DP, Anderson Espíndola, concluiu que a médica não estava na presente na hora que Marcelo passou mal. Izaura atendia na sala de parto e demorou para socorrer o menino. A polícia também informou que houve demora na exumação do corpo do garoto.

No mesmo dia da morte de Marcelo Dino, a família registrou ocorrência acusando o hospital de negligência médica. O caso também está sendo analisado pelo Conselho Regional de Medicina, que abriu uma sindicância. Flávio Dino denunciou o Hospital Santa Lúcia a Anvisa.

A crise

Marcelo Dino passou mal enquanto praticava esporte no Colégio Marista, na 609 Sul. O jovem teve uma forte crise asmática e deu entrada no Hospital Santa Lúcia por volta do meio-dia. Ele permaneceu internado durante toda a noite na unidade de terapia intensiva (UTI). Cerca das 5h, o jovem teve uma segunda crise, ainda mais grave. Segundo a família, o atendimento médico demorou muito. Os médicos tentaram reanimar Marcelo com massagens e medicamentos, mas ele não agüentou.

via Médica é indiciada pela morte de Marcelo Dino | Brasil 247.

Comentários

  • Marcos Cavalcante

    14/04/2012 #1 Author

    Qual seria o motivo de a Polícia Civil do DF ter dois pesos e duas medidas na hora de elucidar um crime. Em fevereiro de 2009 meu irmão Marcelo Oliveira Cavalcante, ex-assessor da ex-gov. Yeda Crusius do RS foi covardemente assassinado em Brasília, mas apareceu boiando as margens da ponte JK. No início das investigações os dois primeiros delegados e o investigador que estiveram à frente do IP, bem como toda a minha família, desconfiamos rapidamente da participação da pessoa que conviveu tão somente 15 meses com Marcelo. Estranhamente uma nova delegada passou a ser a responsável pelo IP, mas insistia em blindar a “viúva”, sempre pega em contradições e mentiras, ignorando o que a nossa família sempre desconfiou e sustentou, ou seja, a participação da “pseudo-viúva” na emboscada que culminou com o covarde assassinato do meu irmão. A delegada vergonhosamente e sem a menor cerimônia encerrou o IP afirmando que Marcelo cometeu suicídio comum ao pular da ponte JK. Pronuncie-se Polícia Civil do DF!
    Marcos Cavalcante, irmão do Marcelo

    Responder

    • Fábio Pannunzio

      14/04/2012 #2 Author

      Marcelo, eu náo conheço o caso do seu irmão. Mas vou buscar uma resposta para as suas dúvidas. Por favor, envie mais informações para o meu e-mail, fabio@pannunzio.com.br. Obrigado.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *