Leia abaixo a nota divulgada agora há pouco pela família do adolescente Marcelo Dino, filho do presidente da EMBRATUR, Flávio Dino, que morreu no...

Leia abaixo a nota divulgada agora há pouco pela família do adolescente Marcelo Dino, filho do presidente da EMBRATUR, Flávio Dino, que morreu no mês passado vitimado por uma crise asma dentro da UTI do Hospital Santa Lúcia, em Brasília.

NOTA À IMPRENSA

A propósito do indiciamento da médica Izaura Emidio, do hospital Santa Lúcia, por homicídio do nosso filho Marcelo Dino, temos a declarar:

1 – A decisão da autoridade policial nos traz alívio, pela verdade surgir, mas também aprofundamento da dor e da indignação, pela certeza de que nosso filho deveria estar vivo.

2 – Com novos depoimentos no Inquérito, fica confirmado que a médica Izaura não estava na UTI na hora da crise de Marcelo (estava fazendo um parto) e, quando presente, agiu com imperícia. Também não havia qualquer outro médico disponível para atendimento imediato.

3- Manteremos nossa luta pela verdade e pela plena responsabilização do Hospital Santa Lúcia, que descumpriu a legislação e causou a morte do nosso filho.

4 – Registramos ser deplorável a conduta de profissionais de saúde e da própria direção do hospital, ao sustentarem versões falsas, agora desmentidas, perante as autoridades e para a sociedade do Distrito Federal.

5 – Continuaremos a nossa luta para que outros Marcelos não morram impunemente, inclusive com a criação de mecanismos mais eficazes de atuação do Poder Público sobre os hospitais, que devem curar, e não matar.

6 – Este é o nosso modo de fazer Justiça ao Marcelo e de mantê-lo bem vivo, contra a lógica mercantilista e desumana que o matou.

Flávio Dino e Deane Fonseca, pai e mãe de Marcelo Dino

Comentários

  • Flávio Furtado de Farias

    14/04/2012 #1 Author

    Pannunzio, recebi em meu blog praticamente um pedido de socorro de um pai que perdeu seu bebê decorrente de provável erro médico. Embora, o pai tenha feito uma confusão quanto ao autor do blog. Não tenho experiência em ajudar e nem sei direito por onde começar em caso de repercutir (se for o caso) a situação. O que você acha?
    Transcrevo:
    “Doutor Flávio Dino de Castro e Costa, entendo seu sofrimento, passei a mesma situação. No meu caso a Médica realizou uma cirurgia desnecessária em meu bebê sem termo de conssentimento assinado, ou seja, sem dar nenhuma satisfação, sem contar outras séries de erros. Não tenho Advogado, o inquérito policial esta em andamento, sofri ameaça moral por parte de um policial na delegacia, para não ir para frente com o caso, o promotor foi notificado e nada fez. Conhece algum advogado em São Paulo Capital para me ajudar. Como pode perceber esta difícil de confiar nas pessaos.
    Grato Mauricio Treviso Rodrigues”

    http://partidodaimprensagolpista.wordpress.com/2012/04/03/a-usura-desta-gente-ja-virou-um-aleijao-a-saude-privada-no-brasil/#comments

    Responder

    • Fábio Pannunzio

      14/04/2012 #2 Author

      Professor, vamos ver o que se pode fazer para ajudar essa família. Náo tenho acesso ao e-mail dele por intermédio do comentário registrado no seu blog. Se for possível, peça a ele para entrar em contato comigo no meu e-mail pessoal, fabio@pannunzio.com.br . Obrigado.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *