O contraventor Carlinhos Cachoeira, preso pela Polícia Federal na Operação Monte Carlo, mandou entregar propina “embrulhada em jornal” para o deputado federal Carlos Alberto...

O contraventor Carlinhos Cachoeira, preso pela Polícia Federal na Operação Monte Carlo, mandou entregar propina “embrulhada em jornal” para o deputado federal Carlos Alberto Leréia (PSDB-GO). A informação consta de relatório da PF, sob guarda do Supremo Tribunal Federal (STF). O documento esmiuça as relações próximas de Cachoeira com o parlamentar.

Os dados são apontados no capítulo intitulado “transações financeiras” envolvendo o contraventor e o deputado tucano. A PF assinala que Cachoeira manda Geovani (Pereira da Silva), seu contador, “passar dinheiro para o deputado Lereia, não sendo possível identificar a que título”. Interceptações telefônicas da PF flagraram diálogos entre Cachoeira e Leréia.

Também caiu no grampo o contador Geovani,, que está foragido. O contraventor o chama de Geo e pede a ele que providencie pagamentos em dinheiro vivo para Leréia.

Numa dessas conversas, a 1.ª de agosto de 2011, às 14h34, Cachoeira recomenda a Geovani a entrega de R$ 20 mil em dinheiro para Leréia “embrulhados em jornal”. Uma assessora do contraventor participa da conversa e informa que o dinheiro foi colocado em um “envelope quadrado”.

A PF cita ainda o deputado Stepan Nercessian (PPS-RJ) como outro suposto beneficiário de propinas de Cachoeira. Em uma escuta, de 17 de junho de 2011, às 14h53 – a ligação durou um minuto e 41 segundos – Stepan pergunta a Leréia se “entregou a carta que ele mandou”.

“Cachoeira diz que é para Stepan olhar lá”, anota o relatório da PF. “Falam de dinheiro que Stepan pediu a Cachoeira. Stepan conversa com Gil, prefeito de Nerópolis.”

Em outro grampo é citado um tal “Marco”, que teria recebido R$ 10 mil de Cachoeira, mas a PF não identifica essa pessoa. Em outro grampo, de 16 de junho de 2011, Leréia comenta com Cachoeira que está em Brasília e vai receber o secretário geral da ONU, o coreano Ban Ki-Moon. “Tenho que receber ele aqui, me convocaram prá receber…”, diz Leréia.

A PF juntou aos autos cópia da página do site do deputado. Na página está a informação. “Deputados Carlos Leréia e Marco Maia (PT, presidente da Câmara) recebem visita do secretário geral da ONU.”

A assessoria do deputado Carlos Alberto Leréia informou à tarde que ele estava reunido com seus advogados. O deputado Stepan Nercessian não foi localizado.

Leia trechos de interceptações da PF.

via Relatório da PF mostra que Cachoeira pagou propina embrulhada em jornal para deputado tucano – politica – politica – Estadão.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *