As baixarias têm se tornado frequentes no Senado. A Casa, que há seis meses vive uma crise sem precedentes, vem protagonizando cenas de muita...

As baixarias têm se tornado frequentes no Senado. A Casa, que há seis meses vive uma crise sem precedentes, vem protagonizando cenas de muita violência verbal. As discussões ultrapassam partidos e quebram inclusive o respeito à idade. Os dedos em riste e o aumento no tom de voz são cada vez mais corriqueiros.

Para evitar novas situações como as noticiadas na última semana, o corrgedor-geral do Senado, Romeu Tuma (PTB-SP), apresentou hoje em plenário oito dicas de educação para “promover a harmonia e o bom debate parlamentar”.

No manual apresentado em plenário, Tuma pede que a linguagem dos parlamentares seja polida e respeitosa e que os políticos observem regras que garantam a boa conduta parlamentar, sem estresses e indisposições.

Segundo o político, essas medidas vão evitar embates como os dos senadores Tasso Jereissati (PSDB-CE) e Renan Calheiros (PMDB-AL). Em discussão no plenário, Renan chamou Tasso de “coronel de merda”. Ofendido, Tasso se defendeu gritando que Renan era um “cangaceiro de terceira categoria”.

Outros insultos também foram ouvidos em discussões entre Fernando Collor (PTB-AL) e Pedro Simon (PMDB-RS). O ex-presidente da República desrespeitou Simon, que tinha idade para ser pai de Collor, mandando que ele “engolisse e digerisse as palavras que usara da forma como bem entendesse”.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *