Do Estadão. Eugênia Lopes. O presidente do Conselho de Ética, senador Paulo Duque (PMDB-RJ), deverá mandar arquivar hoje a representação protocolada pelo PMDB contra...

Do Estadão.

Eugênia Lopes.

O presidente do Conselho de Ética, senador Paulo Duque (PMDB-RJ), deverá mandar arquivar hoje a representação protocolada pelo PMDB contra o líder do PSDB, senador Arthur Virgílio (AM), por falta de decoro parlamentar. O provável engavetamento da ação é fruto de acordo fechado entre governistas e a oposição para salvar o tucano e o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Na semana que vem, o Conselho de Ética deverá se reunir para analisar e arquivar definitivamente todos recursos da oposição contra o engavetamento dos pedidos de investigação de Sarney.

Duque não quis adiantar ontem o teor de sua decisão sobre a representação contra Virgílio. Mas sinalizou o arquivamento da ação ao garantir que usará do “mesmo bom senso” adotado para não dar andamento às representações e denúncias contra Sarney. “Estou analisando sob o ponto de vista do bom senso. Sou imparcial. Não sou injusto. Vou ser justo. Sou advogado antigo. Da minha parte não tem retaliação política”, afirmou Duque. “Quero dar uma decisão final que tenho certeza de que o Senado vai se engrandecer.”

Integrante do Conselho de Ética, o senador Inácio Arruda (PC do B-CE) defendeu o arquivamento da representação contra Virgílio. “Na minha opinião, não tem sentido ter ação contra o Arthur Virgílio. Tem de arquivar também”, afirmou Arruda.

REPRESÁLIA

Na quinta-feira passada, em represália à decisão do PSDB de representar contra Sarney no Conselho de Ética, o PMDB protocolou ação contra Virgílio sob a alegação de que ele quebrou o decoro por ter autorizado servidor de seu gabinete a estudar no exterior enquanto recebia salário do Senado. Na representação, o PMDB também acusa o tucano de ter recebido empréstimo do ex-diretor-geral do Senado Agaciel Maia.

Inicialmente, Duque pretendia fazer hoje a reunião do Conselho de Ética para derrubar os recursos contra o arquivamento das denúncias contra Sarney. Mas preferiu esperar a apresentação de todos os recursos contra suas decisões – foram 11 ações arquivadas, ao todo – para reunir os 15 conselheiros. Até ontem, a oposição havia protocolado dez recursos contra decisões de Duque. A ideia é tentar derrubar em bloco todos os recursos de uma só vez. Com isso, os senadores do Conselho de Ética serão poupados de enfrentar o desgaste, mais de uma vez, de serem responsabilizados por salvar Sarney.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *