O presidente do Paraguai continua assombrando o mundo com seus dotes prolíficos. A prole do bispo já está em seis supostos filhos. Completa-se, assim,...
O presidente do Paraguai continua assombrando o mundo com seus dotes prolíficos. A prole do bispo já está em seis supostos filhos. Completa-se, assim, a configuração clássica de um time de basquete.
Fernango Lugo continua em silêncio. Mas o governo e as “supostas mães” de seus “supostos filhos” já criaram uma comissão para atender mulheres que eventualmente chegarem reivindicando a paternidade de outros luguinhos. A última informação da imprensa paraguaia dá contra de que uma espanhola estaria desembarcando em Assunção para engrossar o coro das beatas que o bispo costumava deixar genuflexas. Seria a quarta mãe. O nome dela é Raquel Torres. Nada mais se sabe a respeito da moça.
Há também informações não confirmadas de que a família Mena López, de San Pedro del Ycuamandyyú, também será inscrita no enorme inventário de Lugo. Ele andou “pregando” por lá, e há testemunhas dizendo que uma das filhas dessa família seria mãe de outro Lugo, hoje com três anos de idade.
Enquanto a opinião pública permanece atônita, assessores palacianos começam a ver na torrente de processos de investigação de paternidade uma manobra da oposição para desmoralizar, e posteriormente derrubar, o ex-bispo do poder. E os companheiros de sacerdócio começam a admitir que a Igreja sabia da intensa vida sexual do atual presidente.
Rogelio Livieres Plano, bispo de Ciudad del Este, repreendeu o clero por não ter dado conhecimento ao público da existência da dinastia Lugo antes das eleições. De todo modo, tem-se como certo que o ex-sacerdote não deixou de observar algumas recomendações do Vaticano mesmo quando levantava a batina para as “orações” de suas beatas. A de não usar camisinha, por exemplo, está comprovado que ele sempre seguiu.
Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *