O pacto fiscal para reduzir o endividamento público — firmado entre 25 países dos 27 Estados da União Europeia — não será renegociado, declarou...

O pacto fiscal para reduzir o endividamento público — firmado entre 25 países dos 27 Estados da União Europeia — não será renegociado, declarou na manhã desta segunda-feira a chanceler da Alemanha, Angela Merkel. Esse acordo passou a correr risco de naufragar com a eleição do socialista François Hollande à presidente da França no domingo. O governo socialista francês coloca em risco as medidas de austeridade necessárias para a redução do déficit público, porque, enquanto candidato, Hollande prometeu resolver a crise do euro aliviando justamente os cortes de gastos.

Na Grécia, o cenário político também ameaça o cumprimento das medidas do pacto fiscal e os cortes de gastos, já que partidos contrários à União Europeia e às medidas de austeridade ficaram mais representativos no Parlamento do que os defensores do pacto europeu. Com um parlamento dividido, ficou improvável também a formação de uma coalizão governista.
O resultado dessa mudança de cenário político na Europa deixou investidores preocupados e voltou a suscitar temores de que a Grécia deixe o euro. O CAC 40, principal índice da Bolsa de Paris, oscilava perto da estabilidade, com leve alta de 0,12% por volta de 7h35m desta segunda-feira. Em Frankfurt, o DAX caía 0,52%. Em Madri, o IBEX 35 recuava 0,95%. Em Milão, o FTSE MIB caía 1,02%.
Os mercados asiáticos terminaram o pregão de segunda-feira com perdas. O Nikkei 225, da Bolsa de Tóquio, recuou 2,78%. O índice Hang Seng, da Bolsa de Hong Kong, recuou 2,61%. Na China, o índice Shangai Composite recuou 0,28% e Taiwan perdeu 2,11%. Na Austrália, a Bolsa de Sidney encerrou os negócios recuando 2,23% e, na Coreia do Sul, a Bolsa de Seul fechou em queda de 1,7%

via Merkel diz que pacto fiscal não será renegociado – O Globo.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *