CATIA SEABRA, NATUZA NERY E DIMMI AMORA A venda da construtora Delta para a J&F, holding do grupo JBS, está prevista para ser anunciada hoje. Apesar...

CATIA SEABRA, NATUZA NERY E DIMMI AMORA

A venda da construtora Delta para a J&F, holding do grupo JBS, está prevista para ser anunciada hoje.

Apesar da negociação avançada, a Folha apurou que governo federal está disposto a declarar a empreiteira Delta inidônea, o que esvaziaria ainda mais o atrativo comercial da construtora.

Um ex-diretor da Delta na região Centro-Oeste é apontado por investigações da Polícia Federal como participante do esquema do empresário Carlos Cachoeira.

A PF também indica que dinheiro da construtora foi colocado em empresas fantasmas de Cachoeira. A empreiteira nega envolvimento.

Segundo pessoas envolvidas na negociação, já está montada a arquitetura da venda da construtora. O ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles é um dos cotados para assumir o conselho de administração da empresa.

O governo, porém, não vê a operação de venda com bons olhos. Avalia que o JBS não tem expertise na área de construção e preferiria uma empreiteira no comando.

Pelo acerto, o valor total da operação só será fixado depois que os compradores entrarem na empreiteira para avaliar o patrimônio.

Há duas semanas, o governo iniciou um processo administrativo que pode fazer com que a empresa fique até cinco anos sem realizar contratos com órgãos federais.

A declaração de inidoneidade ameaça um ativo de R$ 1,1 bilhão que a Delta tem a receber somente nos contratos com o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), principal contratador da Delta.

São 99 contratos ainda ativos no órgão. Na prática, a maior parte desses negócios pode ser rompida antes do fim caso o governo considera a construtora inidônea.

A avaliação no mercado é a de que, além do risco do rompimento, esses contratos estariam “micados” devido à estratégia da empresa de ofertar, nas licitações, preço muito abaixo dos concorrentes.

A construtora já deixou o consórcio responsável pelo projeto da Transcarioca (corredor expresso de ônibus) e o da reforma do Maracanã.

As dificuldades de obter crédito junto a bancos para se financiar também foram decisivas para a venda.

Sócio majoritário da Delta, Fernando Cavendish admitiu em entrevista à Folha em abril o risco de a empresa ir à falência após a deflagração da Monte Carlo, que levou Carlos Cachoeira à prisão.

via Folha de S.Paulo – Poder – Venda da Delta para grupo JBS deve ser anunciada hoje – 09/05/2012.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *