Da Folha de S.Paulo Adriano Ceolin e Gabriela Guerreiro O Senado identificou nesta quinta-feira o ex-diretor de Recursos Humanos da Casa Ralph Siqueira como...

Da Folha de S.Paulo

Adriano Ceolin e Gabriela Guerreiro

O Senado identificou nesta quinta-feira o ex-diretor de Recursos Humanos da Casa Ralph Siqueira como responsável pela publicação de novos 468 atos secretos em boletins administrativos da rede de intranet da Casa. A Primeira-Secretaria do Senado, sob o comando do senador Heráclito Fortes (DEM-PI), reuniu indícios que responsabilizam Siqueira pelos novos atos sigilosos –referentes a medidas tomadas nos anos de 1998 e 1999.

A Folha apurou que o chefe de publicação do Senado, Franklin Landim, teria sido uma testemunha essencial para a identificação de Siqueira como responsável pela publicação tardia dos atos. Landim já havia apontado os ex-diretores Agaciel da Silva Maia (Direção Geral) e João Carlos Zoghbi (Recursos Humanos) como os responsáveis pelo esquema de atos secretos na Casa.

Ao longo do dia, Heráclito sinalizou que ex-diretores seriam responsáveis pela edição dos novos atos secretos. O primeiro-secretário chegou a classificar de “sabotagem” a inclusão das medidas depois que o Senado já investigava a edição de atos secretos na instituição.

A oposição atribuiu a publicação de novos atos à disputa política na Casa. O senador Arthur Virgílio (PSDB-AM) disse acreditar que aliados do senador José Sarney (PMDB-AP) teriam divulgado os 468 novos atos para mostrar que outros ex-presidentes do Senado também foram responsáveis pelas medidas sigilosas –já que as medidas são referentes aos anos de 1998 e 1999, quando o Senado era presidido pelo senador Antônio Carlos Magalhães, morto em 2007.

Leia mais clicando aqui.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *