É isso mesmo. Mais de R$ 165 milhões. Foi quanto o Banco do Brasil pagou, a título de patrocínio, à Confederação Brasileira de Voleibol....

É isso mesmo. Mais de R$ 165 milhões. Foi quanto o Banco do Brasil pagou, a título de patrocínio, à Confederação Brasileira de Voleibol. O contrato começou foi firmado em janeiro de 2009 e permanecerá em vigor até dezembro deste ano.

O pagamento foi efetuado em dois depósitos, ambos feitos em 2009. O valor do primeiro repasse foi de R$ 83.246.159,88. O segundo, de R$ 82.164.429,60. A informação foi enviada pelo Banco ao deputado Rubens Bueno, líder do PPS na Câmara Federal, em resposta a um requerimento de informações protocolado há pouco mais de um mês. Até agora o valor do contrato vinha recebendo tratamento de segredo de Estado.

O valor é exorbitante se comparado ao do patrocínio privado de outros esportes mais populares, como o futebol, por exemplo. Se tivesse contratado o Corithians em vez da seleção de volei, o Banco do Brasil gastaria R$ 120 milhões para o período de quatro anos. O clube paulista, que rivaliza em popularidade apenas com o Flamengo, estima em R$ 30 milhões/ano o valor do contrato para estampar no peito de todos os seus jogadores a logomarca do patrocinador.

No total, o Banco do Brasil patrocina 17 atletas, equipes e escolas de esportes. Entre os aquinhoados estão o tenista Gustavo Kuerten (R$ 2,4 milhões por dois anos), a Confederação Brasileira de Futebol de Salão (R$ 8,4 milhões) e a Escola de Volei do Bernardinho, contratada por intermédio da Escola For All (R$ 1.189.580,00).

A relação completa dos patrocínios desportivos cedidos pelo Banco do Brasil pode ser consultada no alto da página.

Comentários

  • Jotavê

    19/05/2012 #1 Author

    Ter o nome associado a uma dezena de outros no uniforme de um time comercial CONTRA o qual dezenas de seus correntistas torcem PODE ser uma boa opção. Achar que é possível estabelecer o acerto dessa opção de uma tacada, como quem dá uma cortada numa bola levantada suavemente, sem ninguém do outro lado da rede, é miopia. Não dá, mesmo. O argumento teria que prosseguir, e prosseguir bem.

    Ter o nome exclusivamente associado a uma unanimidade nacional, estampada bem no meio da camiseta da seleção, nos bonés dos jogadores, em todos os espaços publicitários do time (visitem o site, e terão uma idéia do que estou dizendo) PODE ser uma opção ruim, de um ponto de vista puramente publicitário. Se você acha que é obviamente ruim, você simplesmente não está percebendo com clareza os termos do problema. O patrocinador da seleção brasileira de vôlei é visto pelo público como aquele que VIABILIZA um time que representa o PAÍS (como o Banco do Brasil também representa). Não é pouco. Em termos de propaganda institucional (é disso que se trata, afinal de contas), o investimento foi bem planejado. Gastar uma verba 25% menor para estampar o nome do Banco do Brasil na camiseta do Corinthians seria, a meu ver, uma tremenda BURRADA publicitária para um Banco em cujo slogan se declara de TODOS OS BRASILEIROS. Não estou falando em ética, por enquanto (poderia falar, sem dúvida). Estou falando em termos de marketing. A idéia de trocar o Banco do Brasil pelo Corinthians, no caso do Banco do Brasil, me parece sem pé nem cabeça.

    Em termos absolutos, o valor foi relativamente baixo. Quanto o Banco do Brasil gasta em publicidade na televisão ao longo de cinco anos, por exemplo? Alguém tem esse dado?

    Pois, então.

    Responder

  • Cesar

    18/05/2012 #2 Author

    Não apoio este governo nem a chicotada, mas tenho que admitir que o valor pago para ter melhor seleção do mundo, em ver todo aquele público nos estádios com camiseta amarela, talvez tenha sido um bom investimento em propaganda. Agora o que não está certo é esconder essa informação por tanto tempo.
    Quanto aos valores, por não ser profissional da área, ficaria feliz em saber quanto outras empresas estão gastando com o voleibol brasileiro, pelo menos para ter um parâmetro.

    Responder

  • SFU

    18/05/2012 #3 Author

    Percebe-se nos comentários expostos o esforço em influenciar a opinião das pessoas, num ato que outros povos denominam de “lobby”, coisa que por não existe, claro! Ocorre que eu me contraponho a esses que navegam nas águas calmas do favorecimento próprio e passo a pensar nas carências da sociedade brasileira. E vê que nem mesmo passo a listá-las, pois não haveria tempo nem espaço para tal! Ora, ora!, dizer que centenas de milhões de reais não merecem a crítica, pois muitas medalhas foram conquistadas, com o meu, o teu, o nosso dinheiro, é muita ambliopia mental, ou, talvez, canalhice, mesmo.

    Responder

  • Bruno Amaro

    18/05/2012 #4 Author

    Pannunzio, nessa você viajou grandão!
    Não é um simples patrocínio, é um incentivo para um esporte amador que se revelou um grande sucesso.
    Essa pode ser uma função de um banco público, fomentar o esporte amador, e o Volei é o melhor exemplo de como com investimento se chega ao resultado.
    A comparação com o Corinthians é descabida, pois com o Corinthians é patricínio puro, uma marca sendo divulgada apenas na camisa, com o BB é fomento e realização de eventos.
    E olha o resultado, medalhas de ouro em todas as categorias possíveis em Olimpíadas, Volei de quadra masculino e feminino e de areia masculino e feminino.

    Responder

  • savio

    18/05/2012 #5 Author

    A AMIR NASR que levou quase R$ 4 milhões não tem um logo do BB nos carros e não coloca o banco como empresa parceira em seu site.
    O Banco que esta lá é o Banco de Brasília.
    http://www.amirnasr.com/

    Responder

    • Misael

      18/05/2012 #6 Author

      Como tu é esperto hein?

      É óbvio que o patrocínio destina-se ao Felipe Nasr, campeão de F-BMW e F3 Inglesa, sobrinho do Amir, que este ano estréia na GP2. Ele tem 4 ou 5 patrocínios, mas o BB é disparado o que tem mais destaque, seja no carro ou macacão. Além do logo a própria cor do carro remete ao BB. Sim, a DAMS já era amarela, mais aí uniram o útil ao agradável.

  • genário lins

    18/05/2012 #7 Author

    vocês não tem idéia do estouro da cbfs tem junto aos correios..a conta de 2010 e 2011 não fechou e nem prestação de contas..sabe porque o ricardinho foi tirado da seleção? todo mundo sabe: por conta de grana. ele não reparte premio pessoal com o resto da turma! e agora, será que vai dividir com o bruniiiiinho??

    Responder

  • Ricardo

    18/05/2012 #8 Author

    Tá bom! E daí?

    Responder

  • Flavio F Farias

    18/05/2012 #9 Author

    Discussão importante. Saber quanto custa os apoios, compará-los e verificar seu impacto na sociedade. Mas como disse o outro comentarista, não pode ser feito de maneira simplista com o futebol. De repente até vale a pena investir tanto dinheiro. Não sei!

    Responder

  • @waasantista

    18/05/2012 #10 Author

    Não passa de alarmismo injustificado tal “denúncia”. Pode-se questionar sim essa suposta falta de transparência. Mas, quanto a valores divulgados, e essa comparação rasa com times de futebol, não passa de alarmismo. O Banco do Brasil não patrocínia apenas uma equipe, um time. Quem acompanha sabe que o Banco do Brasil banca todas as seleções (de base e adultas; masculina e feminina), em todas as competições; mantém o circuito nacional de vôlei de praia, entre outros investimentos. Portanto, junto às cifras que impressionam, seria interessante levantar quanto custa toda essa estrutura. Graças a esse apoio do Banco do Brasil, que é de duas décadas, o vôlei brasileiro é o melhor do planeta; graças a essa ação de marketing, o Banco do Brasil cresce e consegue financiar a agricultura familiar, a compra de computadores pelos professores etc etc etc

    Responder

    • Mario

      18/05/2012 #11 Author

      Senhor @waasantista, o Banco do Brasil deve seguir os princípios constitucionais da moralidade e eficiência (CF, art.37, “caput”). O valor de R$ 165,4 milhões é questionável e, dado o histórico de patrocínios ilegais do BB, muito suspeito. A comparação com o Corinthians não tem nada de rasa, uma vez que serve de parâmetro para a Administração Pública não gastar dinheiro público de forma ineficiente e imoral.

      Mario.

    • Fernando Felipe

      18/05/2012 #12 Author

      Concordo que o valor é razoável.

      Ainda tem o Mundial de Vôlei de Praia (não sei se esses patrocinadores masters são pagos por fora ou é incluso nesse valor acima), Pré-Olímpicos, Circuitos de Base, Superliga A, Superliga B, 10 seleções brasileira (adulta, de novos, juvenil, infanto-juvenil, infantil etc.), entre outras coisas.

      Além de ser bem evidente que o investimento vem dando certo, não só nos resultados da Seleção principal, como na valorização da Superliga nacional. O nível está altíssimo.

    • Airton

      18/05/2012 #13 Author

      Perguntas :
      aqueles banners de propaganda que aparecem nos jogos de voley vai pra quem ?
      Qual o valor deles ?
      Qual o valor do patrocinio do fornecedor de material esportivo ?
      Não seria possível que com eles a CBV fizesse o mesmo que faz ?
      São as escolinhas que fazem o sucesso do voley de quadra ou são os clubes que revelam jogadores ?

  • Edaurdo

    18/05/2012 #14 Author

    Ta agora tu faz uma pesquisa e veja qto a petrobras gastou de $ com o flamengo, qto os correios que é empresa estatal gasta com publicidade … Interessante a denuncia, mas ainda falta outras empresas, lembrando que o banco do brasil nao é ESTATAL e sim de economia mista!!

    FAlta a cixa, correios, petrobras, delta, enfim alguma empresas!!

    Responder

    • Airton

      18/05/2012 #15 Author

      A Petrobras não tem mais patrocinios esportivos no Brasil e sim na Argentina .
      (No contrato que terminou no fim de 2007, o Fla ganhava pouco mais de R$ 14 milhões por ano. A primeira proposta de renovação chegou a R$ 15,7 milhões.)
      O contrato com o Flamengo durou 25 anos e terminou em 2008.
      O Correios patrocina a natação .

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *