No meio de uma polêmica que irritou servidores e constrangeu os demais poderes, o ministro-chefe da Controladoria-Geral da União (CGU), Jorge Hage, disse nesta...

No meio de uma polêmica que irritou servidores e constrangeu os demais poderes, o ministro-chefe da Controladoria-Geral da União (CGU), Jorge Hage, disse nesta sexta-feira, 18, que a divulgação nominal de salários de servidores do Executivo federal não é uma “invasão de privacidade”. A medida, prevista em decreto publicado no Diário Oficial da União, determina que se tornem públicos na internet, de maneira individualizada, as remunerações dos ocupantes de cargos públicos, com todos os penduricalhos.

“O entendimento no poder Executivo federal, o entendimento da presidenta Dilma é que isso (salário) não é invasão da privacidade, é informação de interesse público, porque é pago com dinheiro público”, disse o ministro, após participar em Brasília da abertura 1ª Conferência Nacional sobre Transparência e Controle Social. “Se todos nós que pagamos impostos é que custeamos os salários dos servidores públicos, nós somos os seus patrões em última análise.”

O Ministério do Planejamento informou ao Estado que “está finalizando ato normativo que deverá ser publicado na semana que vem, orientando os demais órgãos públicos do Poder Executivo” na forma como será feita a publicação dos dados. O decreto determina a divulgação de salários, auxílios, ajudas de custo, jetons e “quaisquer vantagens pecuniárias,” de maneira individualizada.

Beba na fonte: Salário público ‘deve ser divulgado’, defende ministro-chefe da CGU – politica – politica – Estadão.

Comentários

  • claudio de sousa

    04/07/2012 #1 Author

    Acho um erro muito grave ferindo o direito inalienável à privacidade de cada cidadão. Ninguem é obrigado sem permissão informar o seu salário. Transparência é um trabalho honesto com pessoas corretas e não divulgar o seu respectivo contracheque para que todos possam ver o quanto você recebe. Os ladrões estarão espionando essa transparência e você passará a ser um alvo em potencial para um futuro sequestro ou algo pior. Isso é uma violência contra o cidadão que trabalha no serviço público. Fim a essa lei usurpadora do direito à privacidade. Palhaçada. Palhaçada. Palhaçada………..

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *