Em documento oficial, o ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, omitiu ter pego carona em avião fretado pelo empresário João Dória Jr. em viagem oficial...

Em documento oficial, o ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, omitiu ter pego carona em avião fretado pelo empresário João Dória Jr. em viagem oficial à Itália, em outubro de 2011.

Relatório público de despesas disponível no site do ministério afirma que o trajeto de Sofia (Bulgária) a Roma foi feito em “veículo oficial”, e não em avião privado.

O documento contraria a versão do ministro, que diz ter consultado a Comissão de Ética Pública da Presidência antes de aceitar a carona.

O uso do avião fretado também não constou da agenda pública de Pimentel.

Segundo o Código de Conduta da Alta Administração Federal, ele poderia participar de seminários com remuneração e transporte pagos pelos organizadores, mas teria de tornar pública essa informação, o que não ocorreu.

A oposição apresentou representação contra o ministro à Comissão de Ética Pública da Presidência.

“Não houve informação alguma sobre publicidade do pagamento das despesas. A conduta do representado, que, confessadamente, teria se deslocado em frete aéreo financiado por particulares para fins de atendimento de interesses também particulares, parece ir de encontro ao que dispõe o código ético”, disse o líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PR).

A viagem do ministro à Europa começou em 1º de outubro de 2011, quando ele chegou à Bulgária na comitiva da presidente Dilma Rousseff.

Cinco dias depois, foi para Roma no avião fretado e, no dia 7, palestrou em seminário do Lide (Grupo de Líderes Empresariais), de Dória Jr.

No dia 8, pegou voo comercial, custeado pela União, para voltar ao Brasil. O caso foi revelado anteontem pelo site “Terra Magazine”.

Pela semana de trabalho na Europa, o ministro recebeu R$ 5.593 em diárias para despesas de hospedagem e alimentação.

Beba na fonte: Folha de S.Paulo – Poder – Pimentel omitiu carona em voo para Roma – 19/05/2012.

Comentários

  • Alex

    19/05/2012 #1 Author

    Enquanto isso, na Alemanha, o marido da Merkel tem que pagar passagem do proprio bolso em avião comercial pra ir pro mesmo lugar que ela.

    Responder

  • Airton

    19/05/2012 #2 Author

    O argumento dele , que não poderia usar o avião presidencial pra isso e por isso aceitou a ” carona ” , é simplesmente ridicula .Não avião de carreira ou outro meio de locomoção que pudesse usar , arcando com os custos ?

    Responder

  • Jotavê

    19/05/2012 #3 Author

    Comeu tapioca também?

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *