Leia abaixo o parecer que encerrou o Procedimento Administrativo 11/2011, em que foi investigado comportamento dos delegados da Corregedoria da Polícia Civil de São...

Leia abaixo o parecer que encerrou o Procedimento Administrativo 11/2011, em que foi investigado comportamento dos delegados da Corregedoria da Polícia Civil de São Paulo que despiram à força uma escrivã de polícia acusada de concussão. Como antecipou o blog do Pannunzio neste domingo, o relatório recomenda a demissão do delegado Eduardo Henrique de Carvalho Filho, que arrancou as roupas da escrivã, e a suspensão por 90 dias do também delegado Gustavo Henrique Gonçalves, o colega que o auxiliou na desastrada operação.

O relatório aponta que que “as condutas dos delegados ficaram caracterizadas, em tese, como um porcedimento irregular de natureza grave, além do cometimento de transgressão disciplinar e descumprimento do dever”.

O relatório deve ainda ser votado pelo Conselho da Polícia Civil para depois seguir para o Secretário de Segurança Pública antônio Ferreira Pinto. Ele é quem decidirá o futuro dos dois delegados. Na época dos fatos, Ferreira Pinto, de posse de todos os detalhes da Operação Pelada, chamou os delegados ao seu gabinete para cumprimentá-los pelo “sucesso” da operação.

E mandou arquivar o caso.

Comentários

  • Jv

    21/05/2012 #1 Author

    Eita história esquisita.
    Que fim deu o bandidinho que supostamente subornou a escrivã?
    Como pode ter acontecido tudo aquilo entre membros da polícia?
    Como pôde estes delegados da CORREGEDORIA DE POLÍCIA/SP terem feito tudo aquilo e estarem por aí se vangloriando do feito sem nenhuma restrição até o fim deste processo?

    Responder

  • Jotavê

    21/05/2012 #2 Author

    Eles erraram, e vão pagar muito caro por isso. Uma carreira toda que vai por água abaixo. Será dificílimo se reerguer. A moça era culpada, mas isso não justifica a atitude dos delegados. Espero, no entanto, que ela também seja demitida. O abuso de que foi vítima não apaga o suborno que ela aceitou.

    Responder

  • Alex

    21/05/2012 #3 Author

    Uma pergunta: o governador de São Paulo, chefe da policia civil e militar do estado, não pode simplesmente demitir os dois a bem do serviço publico?

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *