ARTUR RODRIGUES O ex-deputado federal Luiz Antonio de Medeiros, fundador da Força Sindical, aparece em um vídeo na internet negociando com o empresário Law...

ARTUR RODRIGUES

O ex-deputado federal Luiz Antonio de Medeiros, fundador da Força Sindical, aparece em um vídeo na internet negociando com o empresário Law Kin Chong. Nas imagens, divulgadas pelo blog do jornalista Fábio Pannunzio, o ex-parlamentar negocia o pagamento parcelado e chega a exigir que seja em dólar – o equivalente a R$ 1,5 milhão.

De acordo com o blog, as imagens são parte de um vídeo nunca divulgado integralmente. Em 2004, o comerciante chinês foi preso e condenado por tentar subornar Medeiros, pagando valores entre R$ 3 milhões e R$ 7 milhões. Na época, o parlamentar pertencia ao PL e era presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pirataria. Ao ser detido por agentes da Polícia Federal, ele disse: “Todo mundo sabe que o Medeiros é incorruptível. Isso é uma brincadeira de mau gosto.” No entanto, os trechos sugerem relação suspeita entre os dois, com o empresário pechinchando o pagamento a Medeiros.

Law é acusado de contrabando de produtos vendidos em shoppings populares na região da 25 de Março, mas alega que apenas subloca os prédios. No vídeo, pede a Medeiros que diga “a verdade, que ali naquelas lojas (da região da 25 de Março) não tem nada a ver comigo”.

Depois, Law tenta negociar um pagamento em cinco vezes. “Eu queria fazer assim. Um agora, depois mais 30, 90, 90 e 120, pode ser?” Law diz que o valor seria de “300 e poucos mil por partes”. Ao que Medeiros responde: “Não. Divide isso em duas partes.” O chinês responde que “duas fica pesado”. O então parlamentar cede, dizendo: “Quatro, tudo bem?”

O chinês concorda com a proposta. E a negociação passa a ser sobre quando se pagaria a primeira parcela. “Na segunda ou na terça”, diz Law. Medeiros, então, responde: “P…, tu é um comerciante, hein, cara?”

Dólar. O então presidente da CPI especifica a moeda pedida na negociação: “Em dólar”. Law diz que pagaria em real, mas o parlamentar não cede. “Não, eu quero em dólar.” O empresário afirma que terá de comprar dólares. “Então, compra, se vira, não quero em real”, afirma o parlamentar.

De acordo com o blog de Pannunzio, o vídeo foi produzido pelos advogados de Law. A íntegra das imagens deve ser publicada no site nos próximos dias, anuncia o jornalista. As imagens foram gravadas pela Polícia Federal e usadas como provas contra Law. Na ocasião, o trecho que vazou era o que o empresário fala do parcelamento.

O Estado não conseguiu localizar Medeiros na noite de ontem para comentar a conversa mostrada no vídeo. Antes das imagens virem à tona, quando era questionado sobre suspeitas de que teria tentado achacar Law, Medeiros afirmou que se tratava de uma “manobra” da defesa do empresário.

História. Até abril, Medeiros era secretário adjunto municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho. No entanto, em decreto de 4 de abril, foi exonerado a pedido. Ele havia assumido o cargo em fevereiro do ano passado. A movimentação foi vista como uma adesão do PDT à administração do prefeito Gilberto Kassab (PSD).

Nos bastidores, fala-se que o PDT preparava a candidatura do ex-deputado a vereador nas próximas eleições. Segundo o site do PDT, ele consta como membro do conselho fiscal do partido, presidido por Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força. A reportagem entrou em contato com a assessoria de Paulinho, que não soube informar nenhum telefone de contato de Medeiros. O ex-deputado também foi presidente do Sindicato dos Metalúrgicos. Ele ainda exerceu o cargo de secretário de Relações do Trabalho, no Ministério do Trabalho.

Beba na fonte: Law Kin Chong é achacado em vídeo – saopaulo – versaoimpressa – Estadão.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *