Comentário do leitor Marcelo G sobre o caso da escrivã O vídeo é repulsivo. Se ela errou, deve ser julgada. Todos somos passíveis de...

Comentário do leitor Marcelo G sobre o caso da escrivã

O vídeo é repulsivo. Se ela errou, deve ser julgada. Todos somos passíveis de erros e temos direito a um julgamento e pena justos. Pagamos pelos nossos crimes (os descritos em códigos ou não) e seguimos nossas erráticas vidas.
Essa moça não teve nem essa chance – a de ser julgada e pagar pelo seu suposto crime segundo as regras do Estado Democrático e de Direito.
Infelizmente, ainda existem países como o Paquistão, aonde funcionam tribunais informais em que mulheres podem ser condenadas a penas como estupros coletivos. A grande maioria se suicida após essa tortura inimaginável.
Não é exagero dizer pelas imagens que essa moça foi vítima de violência sexual. Não houve o ato em si, é verdade, mas a humilhação, impossibilidade de defesa e coação psicológica estavam presentes.
Ela não se negou a ser revistada em nenhum momento. Ela só implorou desesperadamente para que o ato fosse conduzido por uma mulher.
Tenho certeza que a Vanessa vai dar continuidade à vida dela, independente do resultado do julgamento e de qualquer erro que tenha cometido na condição falível de ser humano. Vai criar seu filho e superar esses traumas.

Comentários

  • Marcelo G

    28/05/2012 #1 Author

    Caro Fabio, muito obrigado pela honra de ver um cometário meu publicado na página principal do Blog, junto aos demais posts.
    Mais uma vez, parabéns pela cobertura desse caso, pela seriedade com que conduz esse espaço e pela atenção e carinho que dá a seus leitores.
    Já não fico um dia sem dar uma olhada!

    Um grande abraço,
    Marcelo

    Responder

    • Fábio Pannunzio

      28/05/2012 #2 Author

      Obrigado eu, Marcelo, pela sua contribuição. Prezo muito a participação dos meus leitores. Vocês é me me honram todos os dias. É por isso que tenho tentado ao máximo fazer deste um espaço democrático de discussão. Obrigado mesmo.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *