Não há mais possibilidade de acordo entre governo e oposição para a distribuição dos cargos de comando da CPI da PETROBRAS. O líder do...

Não há mais possibilidade de acordo entre governo e oposição para a distribuição dos cargos de comando da CPI da PETROBRAS. O líder do PMDB, Renan Calheiros, procurou agora há pouco o do DEM, José Agripino, para comunicar que não há mais o que fazer.

A conversa começou duríssima. E terminou com a promessa do DEM de que “todos os instrumentos regimentais serão utilizados para obstruir as votações”.

Por enquanto, os senadores que estão no plenário participam de uma sessão em homenagem ao primeiro aniversário de falecimento do senador amazonense Jéfferson Peres.

Daqui a pouco o pau vai quebrar. Renan Calheiros é o próximo orador. E José Agripino Maia, que até agora tinha uma posição reticente, vai comunicar que aderiu à obstrução sistemática que a bancada tucana faz desde a semana passada.

Não é impossível. Mas para conseguir votar as MPs que estão na pauta, o governo vai ter que botar todo o seu bloco no plenário.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *