Reproduzo a seguir a nota do Instituto Lula sobre a reunião em que o ex-presidente assediou o ministro Gilmar Mendes. Vou tecer minhas considerações...

Reproduzo a seguir a nota do Instituto Lula sobre a reunião em que o ex-presidente assediou o ministro Gilmar Mendes. Vou tecer minhas considerações em seguida e pedir a atenção de vocês a alguns detalhes. Primeiro leiam com atenção o “desmentido” do Instituto Lula.

Sobre a reportagem da revista Veja publicada nesse final de semana, que apresenta uma versão atribuída ao ministro do STF, Gilmar Mendes, sobre um encontro com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no dia 26 de abril, no escritório e na presença do ex-ministro Nelson Jobim, informamos o seguinte:

1. No dia 26 de abril, o ex-presidente Lula visitou o ex-ministro Nelson Jobim em seu escritório, onde também se encontrava o ministro Gilmar Mendes. A reunião existiu, mas a versão da Veja sobre o teor da conversa é inverídica. “Meu sentimento é de indignação”, disse o ex-presidente, sobre a reportagem.

2. Luiz Inácio Lula da Silva jamais interferiu ou tentou interferir nas decisões do Supremo ou da Procuradoria Geral da República em relação a ação penal do chamado Mensalão, ou a qualquer outro assunto da alçada do Judiciário ou do Ministério Público, nos oito anos em que foi presidente da República.

3. “O procurador Antonio Fernando de Souza apresentou a denúncia do chamado Mensalão ao STF e depois disso foi reconduzido ao cargo. Eu indiquei oito ministros do Supremo e nenhum deles pode registrar qualquer pressão ou injunção minha em favor de quem quer que seja”, afirmou Lula.

4. A autonomia e independência do Judiciário e do Ministério Público sempre foram rigorosamente respeitadas nos seus dois mandatos. O comportamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é o mesmo, agora que não ocupa nenhum cargo público.

Assessoria de imprensa do Instituto Lula

Agora, alguns elementos de informação para que vocês possam, além do texto, entender o contexto.

1 – A nota não é de Lula, é do Instituto Lula. O autor usa o verbo na terceira pessoa do plural. Confira no fim do primeiro parágrafo: “informamos o seguinte”…

2 – A nota afirma que “o teor da conversa é inverídica (SIC)”. Mas não é Lula quem diz, e sim a assessoria do Instituto Lula.

3 – O alvo da nota não é Gilmar Mendes, é a Revista Veja (“a reportagem da revista Veja publicada nesse final de semana, que apresenta uma versão atribuída ao ministro do STF, Gilmar Mendes”).  A versão não foi atribuída. Gilmar Mendes a confirmou ao Consultor Jurídico, ao Estadão, ao Zero Hora e à Rede Globo. Portanto, o alvo do desmentido está dolosamente equivocado.

4 – Lula rigorosamente não desmente Gilmar Mendes. Há duas declarações entre aspas. A primeira trata da indignação do ex-presidente (“Meu sentimento é de indignação”). A segunda faz referência ao passado, ao convívio de Lula com o STF ao tempo em que era presidente da República: ““O procurador Antonio Fernando de Souza apresentou a denúncia do chamado Mensalão ao STF e depois disso foi reconduzido ao cargo. Eu indiquei oito ministros do Supremo e nenhum deles pode registrar qualquer pressão ou injunção minha em favor de quem quer que seja”. Portanto, Lula não desmente Gilmar Mendes em nenhum trecho das declarações que lhe são atribuídas. De novo, quem desmente é a nota do Instituto Lula.

A seguir, no próximo post, você vai entender por que Lula não pode dar uma declaração cabal, ao seu estilo, e sepultar o assunto. Aguarde alguns minutos e você vai saber onde está o nexo que vincula a entrevista de Gilmar ao Zero Hora e a posição tíbia de Lula.

Comentários

  • J. Veríssimo

    29/05/2012 #1 Author

    Esta nota do Lula, é mais falsa que nota de R$ 3 ….

    Responder

  • Alex

    29/05/2012 #2 Author

    Pannunzio, vc daria um bom investigador criminal.

    Responder

  • Marcjaguar

    29/05/2012 #3 Author

    Bom dia Pannunzio!

    Parabens pelo Blog!

    Eh muito bom encontrar lugares na internet onde informacao e opiniao nao vem patrocinada por verbas publicas soh para criar cortina de fumaca a fim de encobrir as trapacas dos corruPTos e atacar a liberdade de imprensa.

    Eh preciso muita coragem moral para peitar a cleptocracia que se instalou no poder ai no Brasil.
    Estou morando nos EUA mas nao me distancio das coisas (cada vez mais vergonhosas) que se passam em meu pais.

    Sabe como eh, neh….a esperanca eh a ultima que morre
    🙂

    Abracos, Pannunzio!

    Responder

  • L.F.Pereira – SP

    29/05/2012 #4 Author

    A contestação pífia e tímida terceirizada ao Instituto Lula revela o ego desmedido de alguém que, mesmo acuado e constrangido, se atribui o papel de entidade.

    Fosse viva Dona Lindú (que Deus a tenha), ouvindo ou lendo (?), diria, no popular: pó pará, toma tento rapaiz, isso é desculpa esfarrapada!

    Depois de ouvir algumas versões do Gilmar Mendes, três ou quatro entrevistas contraditórias do Nelson Jobim, depois de ler os blogues sujinhos e os limpinhos, conferir as opiniões do PIG, do JEG e da BESTA, cheguei à conclusão de que a conversa mole aconteceu e não tem mais conserto.

    Resumo (positivo) da ópera: essa bobagem ou tempestade em copo d’água vai desestimular manobras de procrastinação do mensalão e talvez dar um norte para a CPMI.

    Não se preocupem. O mensalão não vai ser nenhum julgamento de Nurenberg; não haverá enforcamentos e ninguém babando cianureto. Apenas a probabilidade (remota, coisa de 0,001%) de alguém ser preso.

    Responder

  • Sonia Francine

    29/05/2012 #5 Author

    O conteúdo da nota poderia ser NON NONONON XX X NON
    que daria na mesma… Lula SEMPRE fala. Fala em defesa dele mesmo, do seu governo, do Zé Dirceu, da Dilma, do Sarney, do Collor, dos Castro, do Ahmadinejad… Que não tenha falado ele mesmo, agora, é revelador o suficiente.

    Responder

    • Fábio Pannunzio

      29/05/2012 #6 Author

      Isso aí, Soninha. Fico contente quando encontro um comentário seu aqui. Um beijo pra você.

    • Marcelo G

      29/05/2012 #7 Author

      Soninha, concordo em gênero, número e grau. O silêncio de alguém que nunca se furta a falar sobre absolutamente tudo é eloqüente o suficiente e deixa cristalino o que aconteceu.
      Aproveito para dizer que é uma honra conversar com você aqui.

      Abs
      Marcelo

  • Vanessa

    29/05/2012 #8 Author

    O Márcio Thomaz Bastos está, obviamente, à frente do “gabinete de crise” …. e já mandou o lula manter o bico fechado para não gerar provas contra ele.

    O comunicado foi “assinado” pq, neste caso, uma pessoa jurídica pode mentir enquanto que a pessoa física Lula não pode.

    Uma coisa que me chamou a atenção foi que no item 2 do comunicado se afirma que ele não agiu como um pulha como agora (palavras minhas) nos 8 anos de governo …. Mas nã fala nada dos 17 meses de ‘desencanação pós governo’ … Pra mim é retporica de advogado.

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *