Nota divulgada pelo PSDB repudiando as denúncias de Pagot à Isto É: “A matéria da Istoé é caluniosa. As campanhas eleitorais do governador de...

Nota divulgada pelo PSDB repudiando as denúncias de Pagot à Isto É:

A matéria da Istoé é caluniosa. As campanhas eleitorais do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, sempre contaram com doações declaradas à Justiça Eleitoral. O governador não foi procurado pela revista, ao contrário de um grupo seleto de personagens nela citados. Com esse procedimento abominável, a Istoé deixou que prosperassem mentiras ditas pelo Sr. Luiz Antônio Pagot baseadas em algo que ele teria ouvido de um “procurador de empreiteira” cujo nome ele nem menciona.”

 

 

Comentários

  • wellington mac dowell

    05/06/2012 #1 Author

    Tomei conhecimento a “ISTO É” mudaria de nome para “QUANTO É”.

    Responder

  • Ricardo

    04/06/2012 #2 Author

    Ao menos não foi nota do Instituto Alckmin dizendo se sentir indignado com o tom da matéria. Falou que é mentira e ponto. Agora é processar o Pagot ou Pagot dar algo mais concreto do que isso.

    Responder

  • Vivi

    04/06/2012 #3 Author

    Vamos ver se o tratamento dado pela mídia à denúncia do Pagot do caixa 2 tucano vai ser o mesmo dado à denúncia do Roberto Jefferson do “esquema do Mensalão”!!
    É chegada a hora da verdade que as pessoas de bem como eu estavam esperando!

    O tal jornalista-blogueiro – que não é o Pannunzio – que disse que “notícia contra o Serra a ‘casa’ não dá”, recebeu um telefonema do Cachoeira oferecendo informações sobre um esquema de caixa 2 do PSDB. Como ‘a casa’ não dá a notícia, só lhe restou dizer o seguinte: “é preciso abrir a caixa preta dos genéricos”. Afinal, por que todos os laboratórios têm uma “planta” em Goiás? O que Goiás tem de tão “propício” para o setor? Cachoeira é – ou era – dono de um laboratório farmacêutico (Vitapan), sediado em… Goiás! As denúncias de Pagot surgem à medida em que os tentáculos de Cachoeira estão sendo mapeados… Essa história está ficando deveras interessante…

    Responder

    • Alex

      04/06/2012 #4 Author

      “notícia contra o Serra a ‘casa’ não dá”.

      O que é isto?

  • Danilo Albergaria

    04/06/2012 #5 Author

    Poxa, mas quando é o Alckmin quem fala por notas, vale o desmentido?

    Responder

    • Vivi

      04/06/2012 #6 Author

      Pois é.

      A gente tem que aceitar tudo, inclusive quando eles dizem que é “um interlocutor muito ligado ao fulano”…

    • Airton

      04/06/2012 #7 Author

      Onde está escrito que é uma nota do Alckmin

    • Vivi

      04/06/2012 #8 Author

      Airton, é uma nota do PSDB, que está falando pelo Alckmin.
      Nota do Instituto Lula falando pelo Lula não vale, segundo o Pannunzio…

    • Marcelo G

      05/06/2012 #9 Author

      Coitado do Lula, tão perseguido pela imprensa golpista….
      Luta pelo povo de forma tão abnegada e a imprensa retrógrada, junto com os banqueiros ( que nunca ganharam tanto dinheiro como nos últimos 10 anos) insistem em presegui-lo só porque é um trabalhador que chegou à presidência! Quando as elites vão se conformar que um homem do povo, que só luta pelos mais necessitados pode também chegar ao poder?
      Como pode Lula combater o poder sem fim da oposição golpista, que nunca esteve tão forte e sua imprensa comprada que só a defende? Como o PT, tão fraco e sem dinheiro, pode se defender desses jornalistas e do poder sem fim de Serra e Alckmin??

      Só resta a Lula apelar à imprensa livre e progressista na figura de Ratinho, Paulo Henrique, Edir Macedo etc etc….

      Meu Deus….que tempos…..

    • Alex

      05/06/2012 #10 Author

      Marcelo, essa é uma coisa que eu realmente também não entendo.

      Os bancos ganharam as burras nos oito anos do Lula e as elites só devolveram ingratidão rs

  • Alex

    04/06/2012 #11 Author

    Para o Alckmin tudo é calúnia.

    Para o Serra, tudo é lixo.

    E daí não saem.

    E vamos em frente. Compra quem quer. Seja o PT, seja o PSDB.

    ( Mil vezes viver isso que viver uma ditadura militar)

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *