A mulher do executivo-chefe da fabricante de alimentos Yoki, encontrado morto no dia 27 de maio, foi presa na noite de segunda-feira. Para a...

A mulher do executivo-chefe da fabricante de alimentos Yoki, encontrado morto no dia 27 de maio, foi presa na noite de segunda-feira. Para a polícia, Elise Matsunaga, de 38 anos, é a principal suspeita de ter esquartejado o marido, Marcos Matsunaga, neto do fundador da empresa Yoki. Os policiais trabalham com a hipótese de crime passional.
De madrugada desta terça-feira, Elise levada para fazer exames de corpo de delito no Instituto Médico Legal. A Justiça decretou na segunda-feira a prisão temporária da mulher do empresário por cinco dias.
Peritos também estiveram no apartamento do casal para cumprir mandado de busca e apreensão. Na cobertura do prédio, na zona oeste, os agentes procuraram indícios que levassem ao autor do crime. Só no começo da madrugada, eles desceram com caixas e objetos apreendidos no apartamento.
Marcos Matsunaga desapareceu no dia 20 de maio. A mulher dele, Elise Matsunaga, disse à polícia que naquele dia o marido saiu pela manhã e não voltou. Uma semana depois, sacos plásticos com partes do corpo do empresário foram encontrados em uma estrada em Cotia, na Grande São Paulo.
Enquanto a perícia era feita no apartamento, no começo da noite de segunda-feira, a Justiça resolveu decretar a prisão temporária de Elise Matsunaga, válida por cinco dias. A mulher é considerada suspeita de matar o marido.
– Nós temos indícios muito fortes de autoria que levam a concluir que a esposa da vítima participou deste homicídio. Nós temos algumas imagens que dão conta que a vítima entrou no edifício e não saiu. Depois de alguns dias, a esposa sai com algumas malas grandes, malas essas com rodinhas. Nós estamos analisando essas imagens – afirma o delegado Jorge Carrasco diretor do Departamento de Homicídios da Polícia de São Paulo.
O pai e o irmão do empresário contrataram um advogado para acompanhar as investigações. Ele diz que Marcos Matsunaga não tinha inimigos.
– Não há nenhum registro de ameaça, nenhum registro de pedido de resgate ou de algum contato que a família tenha recebido, especialmente o pai, o irmão, neste período em que antecede ou logo após o desaparecimento desse jovem empresário – revela o advogado Luiz Flávio D´Urso.

Beba na fonte: Mulher de executivo da Yoki é presa suspeita de matar o marido – O Globo.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *