Quase metade dos brasileiros (47,5%) concorda que os tribunais aceitem provas obtidas mediante tortura policial, segundo pesquisa realizada em 2010 e divulgada nesta terça-feira...

Quase metade dos brasileiros (47,5%) concorda que os tribunais aceitem provas obtidas mediante tortura policial, segundo pesquisa realizada em 2010 e divulgada nesta terça-feira pelo Núcleo de Estudos da Violência (NEV) da Universidade de São Paulo (USP). Os dados indicam que aumentou a aceitação à prática em relação a 1999, quando 28,8% diziam ser favoráveis a obtenção de provas por meio de violência. A Pesquisa sobre Atitudes, Normas Culturais e Valores em Relação à Violação de Direitos Humanos e Violência foi elaborada com 4025 entrevistas domiciliares em onze capitais brasileiras, incluindo Rio e São Paulo.
O estudo indica que para a maioria dos entrevistados, a polícia deve interrogar sem violência. No entanto, para alguns crimes a população defende o uso de métodos como “bater”, “dar choques ou queimar com ponta de cigarro” e “deixar alguém sem água ou comida”. O uso de algum desses métodos contra suspeitos de estupro é aceito por 43,2% dos entrevistados. O porcentual de apoio aumenta entre os entrevistados mais jovens.
— São números que particularmente me deixam muito inquieta. Nossa democracia tem quase 30 anos e essas práticas não deveriam ter defesa — diz a psicóloga Nancy Cardia, coordenadora da pesquisa.
De modo geral, houve também uma melhora na avaliação do trabalho da polícia. Entre 1999 e 2010, a aprovação da Polícia Federal saltou de 42% para 60%. A Polícia Militar, a que tem pior avaliação entre as polícias, saltou de 21,2% para 38% na aceitação da população.
O estudo ainda indica que 42% dos brasileiros acreditam que há momentos, ‘em defesa da segurança nacional’, em que é justificável o governo censurar a imprensa. O mesmo percentual acha que o país pode expulsar pessoas que tenham posições políticas que possam prejudicar o governo.
— É uma submissão a um autoritarismo que dá um tiro no próprio pé. São bandeiras que não são toleráveis em uma democracia.
O trabalho do Núcleo de Estudos da Violência da USP também faz um recorte da violência na infância. Sete em cada dez brasileiros já sofreram algum tipo de agressão quando crianças. A violência foi regular (houve agressão quase todos os dias ou pelo menos uma vez por semana) para 20% dos entrevistados. Embora tenha ocorrido uma diminuição no percentual de brasileiros que relataram agressões – em 1999 eram 79,6% -, a pesquisa indica a formação de um círculo vicioso no uso de violência sobre os filhos.

Beba na fonte: Quase metade dos brasileiros aprova provas obtidas por tortura – O Globo.

Comentários

  • Alex

    06/06/2012 #1 Author

    Nó somos um povo de Quarto Mundo, sem educação, ignorante, inculto ao extremo, primitivo e primata, essa é a pura verdade.

    E com esse povo nada mais natural termos os governos, os políticos e as elites que temos.

    Responder

  • sossegao abc

    06/06/2012 #2 Author

    Sinceramente, não acredito que “somente” 47,5% dos brasileiros sejam favoraveis a aplicação de tortura para obtenção de provas judiciais – acho que este número deve ser bem maior. Não somos, aliás estamos bem longe disto, de sermos um país tolerante e alegre como querem fazer crer alguns. Temos um longo caminho pela frente mas cedo ou tarde (e acredito que vai ser beeeeeem tarde), seremos um pais minimamente civilizado.

    Responder

  • MarceloF

    06/06/2012 #3 Author

    Crimes que provocam grave comoção tendem a gerar esse tipo de resposta em qualquer lugar do mundo. Até nas democracias mais avançadas. Aqui no Brasil, dada a alta quantidade de crimes escabrosos, a tolerância com essas práticas acaba sendo maior.
    No fundo, cada indíviduo pensa apenas no seu umbigo. Sendo honesto e cumpridor dos seus deveres, ele quer mais é que os transgressores sejam punidos, quanto mais duramente melhor.
    Falta, no entanto, pensar que a tortura é a forma mais rápida de se cometer injustiça. Torturados confessam qualquer coisa. E quando for a vez desse cidadão egocêntrico cair nas mãos de um torturador, necessitado de um culpado para qualquer caso?
    A pergunta da pesquisa deveria ter considerado isso.
    Sds.,
    de MarceloF.

    Responder

  • Marcjaguar

    06/06/2012 #4 Author

    Caro Pannunzio

    Daqui a pouco vai aparecer algum representante da BESTA e do JEG (sabe como eh….eh tudo a mesma M.E.R.D.) para dizer que todos os que responderam essa pesquisa sao “conservadores, direitistas, reacionarios, serristas, gilmaristas e afins”….lol.

    Falando serio agora…..essa pesquisa soh mostra o quanto ainda temos que evoluir como sociedade para nos darmos conta da barbarie em que vivemos no Brasil. Quando paramos para refletir sobre as 50 mil mortes violentas por ano em nosso pais….essa eh uma estatistica de pais em estado de guerra civil…

    Abraco, Pannunzio!

    Responder

  • jose carlos arana

    06/06/2012 #5 Author

    Realmente, muito triste ler uma notícia como esta. Caro Marcelo, tambem poderíamos atribuir este fato, a muitas outras coisas, como por exemplo, programas de televisão, explorados por alguns apresentadores.

    Responder

  • wellington mac dowell

    06/06/2012 #6 Author

    Cadeia para quem é favorável a obtenção de informações, mediante o emprego de tortura. Eita povinho sem noção!

    Responder

  • Marcelo Yamauchi

    06/06/2012 #7 Author

    Eis aí um precedente preocupante, verdadeiro “ovo de serpente” que mostra o quão distante está a imagem do brasileiro “cordial” da realidade… e que pode ser funestamente explorado por líderes sem escrúpulos.
    Mas também pode se atribuir estes resultados à cultura de impunidade, escândalos e enfraquecimento das instituições que tem assolado o nosso país há décadas.

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *