CATIA SEABRA E GABRIELA GUERREIRO O líder do governo na Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), participou ontem pela primeira vez de uma reunião do PT para...

CATIA SEABRA E GABRIELA GUERREIRO

O líder do governo na Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), participou ontem pela primeira vez de uma reunião do PT para definição de estratégia na CPI do Cachoeira. Ele recomendou que o partido não “caia na armadilha” de discutir o mensalão.

O governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), depõe à comissão hoje e diz ser vítima de tentativa de revanchismo. Petistas veem no tucano um dos responsáveis por elevar a pressão contra Lula na época do mensalão.

“Se eu estivesse na CPI, me orientaria pelo inquérito [contra Perillo, por suas relações com Cachoeira]. Que eu saiba, ele está sendo investigado pela Polícia Federal, o Lula não está. Não foi o Lula quem o acusou”, disse.

A oposição diz que o PT tenta usar a CPI para desviar o foco do julgamento do mensalão, marcado para começar em 1º de agosto.

Em entrevista à Folha ontem, Perillo disse que Lula, incentivador inicial da comissão, deve atuar como estadista e não interferir na CPI para tentar prejudicá-lo.

“Esse discurso não dura meia hora na CPI”, afirmou o vice-presidente da CPI, Paulo Teixeira (PT-SP). Para ele, Perillo deverá enfrentar uma “pedreira” na comissão.

A assessoria do relator da CPI, Odair Cunha (PT-MG), produziu material para ser usado contra o governador tucano. São cinco suspeitas: enriquecimento ilícito, caixa dois de campanha, nomeações para o governo de Goiás de indicados por Cachoeira, venda de uma casa para Cachoeira e licitações com indícios de favorecimento.

Um dos principais focos será questionar a suspeita da venda por Perillo de uma casa para Cachoeira.

O governador nega ter negociado com o empresário, que acabou sendo preso no imóvel pela Polícia Federal, no dia 29 de fevereiro deste ano, após deflagração da Operação Monte Carlo.

O PT decidiu partir para o confronto hoje contra Perillo, mesmo depois de o PSDB ter proposto um pacto de não agressão. Já o PMDB deverá ter uma atuação mais amena.

Beba na fonte: Folha de S.Paulo – Poder – Petista diz que quer evitar ‘armadilha’ do julgamento na CPI – 12/06/2012.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *