Com informações da Folha Online O presidente Lula minimizou a crise interna do PT, provocado pelo apoio ao senador José Sarney (PMDB-AP), e afirmou...

Com informações da Folha Online

O presidente Lula minimizou a crise interna do PT, provocado pelo apoio ao senador José Sarney (PMDB-AP), e afirmou que o partido “continua forte e com muitas possibilidades”. A estratégia de Lula, ao atuar como bombeiro da crise petista deflagrada no Senado Federal, é desdenhar do poder de fogo do conflito. O presidente contemporizou, inclusive, em relação à ameaça do senador Flávio Arns (PT-PR), de abandonar a legenda. “O Flávio Arns é um senador de primeiro mandato, é um companheiro que tem seus valores, mas sempre foi muito encrencado com o PT”, ponderou.

Arns garantiu que deixará a legenda, por entender que ela abandonou suas bandeiras da ética e da transparência, ao se posicionar favoravelmente ao arquivamento das denúncias contra Sarney. Em relação à desfiliação de Marina Silva (AC), Lula desejou sorte à ex-ministra do Meio Ambiente. “Se a pessoa quer sair de um partido, não está confortável, é um direito da pessoa. Se ela quis fazer uma opção e não me procurou para conversar é porque ela estava com a opção feita. Acho que, da mesma forma que veio para o PT, ela pode sair do PT. Saiu porque quis sair e espero que ela tenha sorte e que tudo que ela planeje dê certo.”

Nas próximas horas, Lula deve se reunir com o senador Aloizio Mercadante (PT-SP) que anunciou, via Twitter, que deixará a liderança do PT no Senado, em caráter irrevogável. O anúncio oficial deve sair após o encontro com Lula.

 

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *