Mais do que estranho, é incompreensível que o governador Geraldo Alckmin ainda não tenha demitido seu secretário de segurança pública Antônio Ferreira Pinto. Não...

Mais do que estranho, é incompreensível que o governador Geraldo Alckmin ainda não tenha demitido seu secretário de segurança pública Antônio Ferreira Pinto. Não apenas pela barbárie que se instalou na Polícia Minlitar sob sua batuta, mas sobretudo pela maneira autoritária, antidemocrática e ilegal que tem orientado as ações do secretário.

Ferreira Pinto, com seu aval explícito ao uso desmedido da violência, com ações deliberadas para acobertar policiais acusados dos mais graves crimes, com sua passividade diante da formação de milícias de policiais militares, expõe a população de todo estado à sanha do PCC e de bandidos fardados abrigados pela Polícia Militar. Aí está o aumento drástico das estatísticas (supostamente manipuladas) da criminalidade a quantificar o caos instalado.

Ai de quem se insurge contra o Napoleão de Higienópolis. Para os jornalistas, sobram ameaças e constrangimentos de toda natureza. Neste momento, há dois repórteres da Rede Record sob ameaças severas de morte vindas da banda podre da Polícia Civil. Um delegado foi punido porque se recusou a devassar quatro jornalistas, entre os quais o editor deste blog. E não é segredo para ninguém que Ferreira Pinto usa extensivamente a imprensa para conspirar contra o Palácio dos Bandeirantes, como prova o episódio envolvendo a demissão do sociólogo Túlio Khan.

Agora o secretário se levanta contra o Ministério Público, que tem por função fiscalizar a polícia que ele governa com mão de ferro. O ataque, feito em entrevista à Rádio Jovem Pan, teve por objetivo macular a única instituição que não teme confrontá-lo. Foi disferido para desqualificar o trabalho minucioso feito pelo MP em relação à desocupação da Cracolândia, operação desastrosa que consumiu uma fábula de dinheiro do contribuinte e levou para o rés-do-chão os dados sobre apreensão de narcóticos e o tratamento dos viciados.

Da mesma forma, foi ostensiva a atuação de Ferreira Pinto para dificultar a apuração da execução covarde de um homem apontado como membro do PCC, caso que ficou conhecido como o Crime do Bar Barracuda. O homem foi levado por uma viatura da ROTA até um local ermo, na beira da Rodovia Ayrton Senna, onde foi espancado e depois assassinado a sangue-frio. Ferreira Pinto esteve no DHPP, onde corre o inquérito, e deu ordens explicitas para dificultar ao máximo o acesso do MP à investigação. Sobre esse caso, estranhamente, foi decretado segredo de justiça, privando a sociedade de saber o que se passa nos desvãos da segurança.

O governador Geraldo Alckmin sabe muito bem de todas essas coisas. Ele próprio, há cerca de um mês, teve que substituir 32 policiais que faziam sua segurança pesoal no Palácio dos Bandeirantes. Até hoje as razões da troca dos oficiais e soldados da PM não foram suficientemente explicadas. Há informações nos bastidores de que eles compunham uma rede que tinha por objetivo monitorar os movimentos do próprio governador e de sua família dentro da ala residencial.

Diante de tudo isso, é a ele, governador, que a sociedade deve responsabilizar pelo que vem acontecendo — da inflexão da curva estatística dos crimes cada vez mais bárbaros ao surgimento de novos “mercados” do crime, como os arrastões a prédios e restaurantes, que mantêm a população trancafiada em casa enquanto os bandidos ganham as ruas.

Comentários

  • HITTMAN

    19/06/2012 #1 Author

    Infelismente na tv Bandeirantes está um dos principais garotos propagandas deste governo, José Luis Datena. Este cidadão quer
    nos convencer com aquele papo furado de que a causa do aumento da violência em São Paulo é a falta de uma legislação mais firme com relação à criminalidade, assim passando a culpa exclusivamente para os políticos. Não que eles não tenham parcela de culpa, pois quem vai legislar procura legislar em causa própria, mas todos nós sabemos que São Paulo está largada no quesito segurança pública e este cidadão ao invés de falar a realidade , que ele prega que fala , fica desviando o foco. O que me espantou nesta figura folclórica foi a crítica que o mesmo fez ao Sandro Barboza ,seu colega de emissora, quando este veiculou as reportagens na qual citava os “relints” da PC , maculando a sua tão elogiada PM. Por mais que ele negue, mas aquele jornalista fanfarrão do filme Tropa de Elite 2 foi baseado nele, tenho quase certeza.

    Responder

  • Jão Sem Braço

    18/06/2012 #2 Author

    Critica pertinente.

    Aliás extremamente pertinente.

    Embora de longe a segurança pública de SP seja a menos pior do Brasil.

    E no ainda, em um país com 3 policias: a civil, a PM e a PF, que trabalham desunidas e desarticuladas.

    E em um país que sofre com o crime organizado, essa desintegração e incompetencia das policias, é fatal.

    Que se lembre que a politica de segurança do Governo Federal é tão desastrosa que chega ser um perigo a existencia da nação. Um país tem uma Bolivia e uma Venezuela na fronteira, que tem FARC, traficantes e contrabandistas entrando e saindo do território brasileiro quando bem entendem.

    E voltando a São Paulo:

    Inadmissível o estado de longe com o maior PIB, que mais arrecada impostos na federação, que tem a maior classe média, a melhor infra-estrutura, universidades de nível internacional, altamente industrializado, tenha o crime organizado o sitiando, defenestrando o cidadão comum, que apenas que viver em paz.

    Grandes centros com a Capital, região do ABC, Campinas, Ribeirão Preto, São José dos Campos sofrem com os crimes violentos.

    Pais de familia que tombam, filhos que não voltam para casa.

    Dinheiro tem sim senhor, mas está faltando um estratégia digna do tamanho do desafio. Sim, está faltando cabeça pensante !

    Ha que se investir na inteligencia, salários bem melhores para a força, treinamento e reciclagem, e armamentos melhores !

    Não cabe usar apenas a força bruta que conseguiu conter o problema com relativo sucesso nos anos de 1970 e 1980 … o crime evoluiu … e está bem a frente.

    Não se trata mais de criminoso pé de chinelo, que roubava rádio de carro e carteira como naquela época.

    É o crime organizado, e infelizmente, mais competente do que se esperava.

    São Paulo tem todos os elementos para vencer. Basta que o governo estadual o faça.

    Responder

  • Fernando Polo

    18/06/2012 #3 Author

    Mário Covas não merecia um sucessor fraco e leniente com este.

    Responder

  • Alex

    18/06/2012 #4 Author

    Com aquela cara de frouxo ele deve é morrer de medo aí do Brucutu, por isso que não demite.

    E de onde ele tirou esse cara pra ser Secretario de Segurança?

    Responder

  • jose carlos arana

    18/06/2012 #5 Author

    Na região do Vale do Paraiba ( a mais violenta do Estado – dados da Secretaria de Segurança ), os “arrastões” são contra joalherias. A semana passada o alvo foi uma loja de uma grande rede varejista. Ocorreu uma passeata na cidade de Jacareí contra esta violencia, mas até agora nada mudou. O governador simplesmente não está tomando providências.

    Responder

  • silva

    18/06/2012 #6 Author

    Como se vê, certos governantes defendem a liberdade apenas de uma imprensa amestrada. Em caso de crítica viram ditadores.

    Responder

  • EduNeto

    17/06/2012 #7 Author

    Mais uma “cria” de José Serra. A truculência é a marca registrada, o DNA de Serra. Vide o reitor Grandino Rodas, da USP.

    Parabéns pelo artigo, Pannunzio. Andamos carentes de notícias sobre São Paulo, mesmo morando em São Paulo!!

    Responder

    • Idiossincrasias Policiais!

      18/06/2012 #8 Author

      Distinto Senhor, vejo que ou verdadeiramente resida em Garanhuns ou seja cego, surdo e mudo, devendo subsistir em uma redoma de vidro tal como na obre de Antoine de Santi Exupèry, vivendo em um mundo inteligível e e inimaginável!
      Bastaria o Senhor auditar os noticiários isonômicos e sem valor aquilatado, ou roteirizar um mero passeio pelos rincões paulistas!
      Talvez o Senhor não saiba que nas periferias é vigente os ditames do sexto poder, PCC, que expandiu-se extra-território nacional, invadindo Mercosul e Comunidade Européia… O que tem de paraguaio, boliviano, e português já batizado… sem contar que o PCC abastece o RJ e tantos outros Estados, sendo um dos seus grandes clientes o CV, que recebe droga vindo por translado no interior paulista, em veículos com tiozinhos, casal de idosos, casais com crianças… após pouso clandestino em pistas de São José do Rio Preto e Região, cujas naves são originárias do Mato Grosso e da região de Pedro Ruan Caballero…
      Talvez o Senhor desconheça dos acertos e desacertos do Governo do Estado com o PCC, inclusive garantindo benesses e paz interna nos estabelecimentos prisionais… Talvez o Senhor não saiba que se findou muita da rivalidade existente entre as polícias e o PCC, pois todos desejam capitalizar-se, e para tal, interessante é formar alianças sólidas e não promover uma desagregação continuada! Bom mesmo onde todos ganham e todos se protegem, focados em interesses escusos e generosamente voluptuosos!
      Hoje morre “polícia” que atrapalha o esquema e oportunamente, morre nas mãos de outros “polícias”… Vendidos, arregados, macomunados, fraternizados, conspirados e conspurcados…
      Devemos defender as polícias sérias, legalistas e isonômicas, assim como devemos defender uma sociedade democrática e não hipócrita!
      Talvez o Senhor não saiba das estatísticas das ímpias mortes de policiais e de agentes públicos por culpa de malsinados feitos públicos e da omissão e ou conivência estatal.
      Por quê será que o Senhor Pinóquio engole o Pinto a seco, sendo um carcinoma remanecente do seu inimigo e atroz rival, Quasímodo Nosferatu?
      Se o Pinto deixou um legado de fétidos escrementos pela Sap, como terá se tornado o intocável SSP blindado?
      Venal abubo político?
      Quem tem informação, tem tudo, detendo o maior poder!
      Ah se o Senhor soubesse das barbáries, perseguições, brutais violências…
      Lembre-se que todos temos entes, netos filhos, ou alguém por quem nutrimos o mínimo sentimento nobre e sublime e que estes podem ser vitimados por não restarem protegidos pela arredoma de vidro de Exupèry!
      Do fundo do meu coração eu desejo e rogo aos planos mais elevados que JAMAIS essa realidade avassaladora assole quem a desconheça ou acorde om violência os vegetativos sociais.
      É verdade que nos encontramos imersos num processo cósmico de mudança de estado mental e vibracional, e que por força de Leis Imutáveis, dentre elas, Lei de Causa e Efeito, ocorrerá uma forçosa depuração com condições obrigacionais extremadas, onde cada qual, por força de seu livre arbítrio, versará e plasmará sua bonança ou desventura futuras.
      Se agredeço por tudo de bom e de pleno que ocorre em minha existência terrena, agradeço muito mais as ímpias adversidades, tendo a certeza e a húmil compreensão de que são essenciais ao meu adiantamento moral e espiritual.
      Lastimo apenas a visão turbada dos administradores públicos e dos governantes, que talvez não tenham amplitude visual ou mental, ou que o vicioso poder tenham corrompido o íntimo das suas essências e que talvez por falta de humildade, Caridade e de Amor ao Próximo, não percebam que o mal que julgam impor aos opositores, a si próprios estão vertendo densa energia negativa, afinal, “o que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito”!

      João Alkimin – TENTATIVA DE AMEDRONTAR A IMPRENSA
      16/06/2012
      Deixe um comentário
      Ir para os comentários
      A atitude do Coronel Telhada é uma clara tentativa de amedrontar, calar, e , se possível , posar de vítima em todo o episódio que foi narrado e documentado pela Rede de TV Bandeirantes, ao entrar com ação judicial versando sobre crime contra a honra em desfavor dos jornalistas Sandro Barbosa, Fábio Panuzzio e pasmem contra o diretor de jornalismo da Rede Fernando Mitre.
      Não contente com isso ingressa também com ação criminal em desfavor do Delegado Conde Guerra titular do Jornal Eletrônico Flit Paralisante que há muito deixou de ser um blog e passou a ser um Jornal Eletrônico, verdadeira caixa de ressonância dos reclamos da família Policial Civil.
      Há que se indagar qual o crime cometido, sequer em tese, pelo Delegado Conde Guerra que limitou-se como é seu direito constitucional a repercutir notícia veiculada pela Rede Bandeirantes.
      Ora senhores palhaçada tem limite, já foi o mesmo demitido por repercutir notícia e agora novamente?
      Qual o crime cometido pelos jornalistas Sandro, Fábio e Fernando?
      – Nenhum, pois simplesmente noticiaram fatos embasados em documentação cuja a origem foi a própria Polícia Civil.
      Crime é o que se encontra no final dos documentos onde se lê claramente escrito que aquilo não poderia ser juntado em inquérito policial ou qualquer procedimento judicial ou policial, subtraindo-se assim criminosamente fatos da maior gravidade que deveriam ser comunicados ao Ministério Público e ao Magistrado para quem for ou fosse distribuído o inquérito.
      Isso sim é crime, pois normas internas não se sobrepõem a Constituição ou ao Código de Processo Penal.
      A mim causa estupor o fato de investigações terem sigilo principalmente para o Magistrado que eventualmente irá julgar a causa e não terá conhecimento de todos os fatos, se é para ser secreto a quem aproveita a investigação.
      Para sociedade certamente que não.
      Comenta-se que será pedida busca e apreensão de computadores e documentos.
      Duvido que alguém tenha a coragem de pedir, quanto mais de conceder tal despautério contra a Rede Bandeirantes de Televisão. É mais fácil o inferno congelar!
      Mas e quanto ao Delegado Conde Guerra?
      – Também não acredito, pois será uma medida arbitrária e repulsiva, e não acredito também que um Juiz de Direito concede-se a ordem contra o Delegado Guerra e não contra a Rede Bandeirantes, pois ai seria medida odiosa e claramente discriminatória. Grave também a notícia veiculada e desmentida embora sem muita ênfase por parte do Delegado de Polícia que conduziu o inquérito e dele foi afastado, pois ao se ler a notícia tenho o claro entendimento de que o motivo era por ser a autoridade policial seguidor dos cânones do Processo Penal e não foi dócil aqueles que eventualmente o estavam pressionando.
      Se isso realmente ocorreu é necessário uma apuração cabal dos fatos, pois a Polícia Civil é polícia do Estado e não de mandatários de plantão.
      Se a reportagem houvesse sido feita contra Policiais Civis com certeza os Delegados e os Policiais Civis envolvidos na ocorrência já estariam presos, mas como se trata da Polícia Militar alguém deverá ser punido, não importa se Policiais Civis ou jornalistas.
      E se o Coronel Telhada e seus familiares quiserem processar alguém, que seja a instituição Polícia Civil, pois o relatório de inteligência é de uma unidade da instituição.
      Certamente os jornalistas , dentre os quais incluo o Delegado Conde Guerra, não devem se preocupar, primeiro porque nenhum crime foi cometido, depois basta pesquisar no site do Tribunal de Justiça de São Paulo e verificarão que o mesmo Coronel Paulo Telhada já processou na esfera cível a Rede Bandeirantes e o apresentador José Luiz Datena, e depois do processo voltou a conceder maravilhosas entrevistas exaltando o trabalho da Rota unidade que comandava, no mesmo programa Cidade Alerta.
      Portanto, com certeza, essa ação é antes de tudo uma clara tentativa de intimidar a liberdade de imprensa.
      Não se esqueça o Coronel Telhada que existe no Código de Processo Penal o instituito da “Exceção da Verdade” onde o processado pode requerer ao Juiz : Exceção da verdade Como para este tipo de crime o dano ocorrerá independentemente da veracidade da afirmação, somente se admite a exceção da verdade (alegação do réu de que o fato imputado é verídico) como defesa se a difamação for contra servidor público e a ofensa é relativa ao exercício de sua funções (parágrafo único, art. 139 do CP).

      Ademais, mesmo que houvesse ocorrido crime contra a honra o mesmo será julgado pelo Juizado Especial Criminal:
      Rito
      É considerado crime de menor potencial ofensivo para os fins da Lei 9.099/1995, sendo competente o Juizado Especial Criminal, pois com a Lei 10.259/2001, tal rito passou a ser aplicável para os delitos com rito especial que tenham pena privativa de liberdade máxima não superior a 2 (dois) anos, cumulada ou não com multa. Assim, é possível a composição dos danos e a transação penal regidos pela Lei 9.099/1995. Em ambas as hipóteses, não caracteriza antecedentes criminais. Porém em caso de concurso material, formal ou continuidade delitiva, cujo o máximo da pena aumentada pelos concursos ultrapasse o patamar de dois anos, não será crime de menor potencial ofensivo. Nessa hipótese, o feito seguirá pelo rito especial do art. 519 e seguintes do Código de Processo Penal (CPP). Não obstante, esse dispositivo não mencione a difamação, mas apenas os crimes de calúnia e injúria, a doutrina afirma que tal rito se aplica a todos delitos contra a honra, pois antes do CP de 1940, não era considerada tipo penal autônomo, segundo Guilherme de Souza Nucci, in Código de Processo Penal Comentado, 5ª edição. RT, São Paulo, 2006. Nessas circunstâncias, se o feito tiver sido encaminhado ao Juizado Especial, cabe ao ofendido alegar a incompetência do juízado como preliminar de sua representação ou queixa, cumprindo ao Magistrado proferir decisão imediata, antes de iniciar a audiência preliminar sobre a possibilidade de composição dos danos. Se em fase recursal ou de exceção de incompetência, vier a ser reconhecida a incompetência do Juizado Especial, qualquer ato realizado será nulo, pois conduzido por juiz absolutamente incompetente. Nesse sentido já decidiu o STJ: CC 51.537/DF, julgado em 13.09.2006.
      Esta claro que o único intuito é constranger aqueles que usaram de seu direito constitucional de divulgar uma notícia e nosso Tribunais já tem decidido que quando há interesse público é dever do jornalista noticiar, vide:
      Folha não indenizará Igreja Universal por editorial
      A 6ª câmara de Direito Privado do TJ/SP negou provimento ao recurso da Igreja Universal contra decisão do juiz de Direito Dimitrius Zarvos Varellis, da 11ª vara Cível da capital, que julgou improcedente ação de indenização movida pela Igreja contra a empresa Folha da Manhã, que edita o jornal “Folha de S.Paulo”.
      A igreja alegava que um editorial do jornal de 19 de fevereiro de 2008 abusava do direito de informar e “violava a honra” da Igreja ao utilizar expressões como “seita” “facção” “fundamentalismo comercial”, “falsários” e “tartufos” para se referir a Universal.
      O editorial fazia referência a uma série de ações movidas por fiéis da igreja contra o jornal, após a publicação de uma reportagem, em novembro de 2007, com o título “Universal chega aos 30 anos com império empresarial”.
      O desembargador Francisco Loureiro, relator, considerou o editorial duro e as críticas contundentes e “talvez não isentas”, mas afirmou que “se referem a fatos de interesse público, amparados em fontes objetivas e com narrativa pertinente”. E afirmou ser “impossível concluir pela prática de ato ilícito por parte da requerida a gerar dano moral indenizável à autora”. * Processo: 9090115-02.2009.8.26.0000
      Portanto, o que esta ocorrendo com a instauração do inquérito sob meu entendimento é um evidente constrangimento ilegal, reparado pela via do Habeas Corpus.
      Mnha solidariedade e saibam todos que estão sendo processados que me encontro à disposição como testemunha,pois o que esta em jogo é a liberdade de imprensa.
      Cumpre portanto ao Secretário de Segurança Pública colocar um paradeiro nesse descalabro.
      João Alkimin
      João Alkimin é radialista – http://www.showtimeradio.com.br/

      http://www.vejosaojose.com.br/joaoalkimin.htm

      Share this: Twitter1EmailFacebookPrint
      Gostar disso:GostoBe the first to like this. Comentários (20)
      Trackbacks (0)
      Deixe um comentário
      Trackback

      Inertes na merda e afogados na água de salsicha com botulismo! 17/06/2012 às 3:49 | #3 Citar O que se deve realmente questionar é por quê o governo prevaricou, sucumbiu a interesses políticos e cedeu a forças ocultas, restando inerte sobre dados complexos e de relevada importância, arquivando peremptoriamente relatórios dando conta da existência depossíveis crimes e do hipotético relacionamento de entes públicos com crime organizado?
      Quem mandou o estado calar, ou melhor, quem calou o estadinho de exceção,?
      Quem tinha interesses maiores do que os da coletividade?
      Quem ganhou, absolutamente pela inércia dos poderes públicos?
      Onde está a Federal e o MP e o MPF?
      Quem ganha em oprimir os corretos e os trabalhadores e prestigiar alguns filhos da puta e canalhas? (num sentido amplo e corriqueiro!)
      Por quê são garimpadas as informações pertinentes ao estado e que revelam proventos políticos, enquanto que as que revelam verdades horrendas são silenciadas por contrariarem viles interesses escusos?
      E agora, quem poderá nos defender?
      Só se for o Chapolim Colorado, pois o Carneirinho nos sacrificou!
      O Pinto nos fodeu!
      E o Chuchu nos flambou em seu suflê!
      E só quem é rico e bem relacionado é que pode vislumbrar direitos e gozar dos deveres do péssimo Estado Ditatorial!
      Aos demais, o rigor da realidade, pois a Lei está Além da Lenda!
      Vale tudo, até amordaçar a imprensa!
      Parece que amanhã vai haver um arrebento…

      Digão 17/06/2012 às 4:56 | #4 Citar Então bastou uma medalhinha p fazer o dapena passar a elogiar o telhado de vidro
      Aí me pergunto. o que sera q o kassaab teve q dar p calar a boca do gordo. medalha q n foi

      FEZES DE BALEIA 17/06/2012 às 5:10 | #5 Citar
      TENHA FÉ

      euclydes zamnperetti fiori 17/06/2012 às 7:37 | #6 Citar Existem vários programas na TV, como também, na TV aberta que fazem louvações aos ditadores deste estado, ou seja, aos “impolutos”estrelinhas da PM e sesu comandados.

      Na TV Bamdeirantes trabalha um dos diversos garotos propaganda deste cascateiros da honestidade, o repulsivo Datena, as diligencias filmadas, nas quais, os integrantes das viaturas usam o palavreado determinado pelos superiores, na certa não mostram a realidade sobre o comportamento de muitos PMs,vez que não mostram as tomadas nas bocas do tráfico, aquém de um pá de pilantragens cometidas diaria e cosntantemente.

      Salvo erro, os valores cobrados para qualquer tipo de propaganda ou programas são elevadissimos, sendo assim pergunto;

      Quem paga pelos mesmos?

      Chega de louvar mentiras.

      Se liga São Paulo,

      Acorda Brasil

      Bispo Macedo 17/06/2012 às 8:19 | #7 Citar Esse palhaço que se vestia de coxinha, o tal de Telhada, tinha que responder pelas execuções praticadas por ele e pelos seus cães adestrados. Posteriormente ser mandado para um presidio normal.
      ****E como tem coxinha postando aqui…Dr. Guerra, nao perca seu tempo respondendo comentários dos coxas, excluam os mesmos.

      Joao Alkimin 17/06/2012 às 10:19 | #8 Citar Caro leitor que nao me aguenta,depois do transito em julgado so revisao criminal.Por favor leia o cpp,agradeço a critica

      LINCOLN 17/06/2012 às 11:24 | #9 Citar DEIXA O PAU QUEBRAR. O TELHADA DEU UM TIRO NO PÉ. ENTRANDO EM GUERRA COM A EMISSORA DO MORUMBI SÓ TEM A PERDER. OU ALGUEM ACHA QUE A FAMILIA DO SR. JOÃO JORGE SAAD VAI ASSUMIR (EM TESE), QUE UM DOS SEUS REPORTERES ERROU/OU VINCULOU NOTICIA FALSA? NA VERDADE A BAND FOI A UNICA EMISSORA QUE BATEU DE FRENTE COM O GOVERNO TUCANO. TALVEZ PORQUE SEJA A UNICA ENTRE AS GRANDE QUE RECEBE PARCOS INVESTIMENTOS EM PUBLICIDADE DO GOVERNO DO ESTADO. E TODOS NOS SABEMOS QUE QUEM PAGA AS CONTAS MANDA.

      LINCOLN 17/06/2012 às 11:30 | #10 Citar ALIAS, JA IA ME ESQUECENDO, NADA TENHO CONTRA O TELHADA DE VIDRO, MUITO PELO CONTRARIO, ACHO QUE ELE FOI UM ÓTIMO LIXEIRO. ELE E OS OUTROS INTEGRANTE LIMPARAM SÃO PAULO DE UM MONTE DE DEJETO HUMANO. ACREDITO QUE ELE FEZ ISSO TUDO (NO CASO PROCESSO QUE ESTÁ SENDO MOVIDO), MAIS POR MEDO DE RESPONDER CRIMINALMENTE E ACABAR PERDENDO SEU SOLDO BOMBADO.

      pesadelo 17/06/2012 às 12:22 | #11 Citar A indolência de Geraldo Alckmin e a barbárie na área da segurança Mais do que estranho, é incompreensível que o governador Geraldo Alckmin ainda não tenha demitido seu secretário de segurança pública Antônio Ferreira Pinto. Não apenas pela barbárie que se instalou na Polícia Minlitar sob sua batuta, mas sobretudo pela maneira autoritária, antidemocrática e ilegal que tem orientado as ações do secretário.

      Ferreira Pinto, com seu aval explícito ao uso desmedido da violência, com ações deliberadas para acobertar policiais acusados dos mais graves crimes, com sua passividade diante da formação de milícias de policiais militares, expõe a população de todo estado à sanha do PCC e de bandidos fardados abrigados pela Polícia Militar. Aí estão o aumento drástico das estatísticas (supostamente manipuladas) da criminalidade a quantificar o caos instalado.

      Ai de quem se insurge contra o Napoleão de Higienópolis. Para os jornalistas, sobram ameaças e constrangimentos de toda natureza. Neste momento, há dois repórteres da Rede Record sob ameaça severa de morte vindas da banda podre da Polícia Civil. Um delegado foi punido porque se recusou a devassar quatro jornalistas, entre os quais o editor deste blog. E não é segredo para ninguém que Ferreira Pinto usa extensivamente a imprensa para conspirar contra o Palácio dos Bandeirantes, como prova o episódio envolvendo a demissão do sociólogo Túlio Khan.

      Agora o secretário se levanta contra o Ministério Público, que tem por função fiscalizar a polícia que ele governa com mão de ferro. O ataque, feito em entrevista à Rádio Jovem Pan, teve por objetivo macular a única instituição que não teme confrontá-lo. Foi disferido para desqualificar o trabalho minucioso feito pelo MP em relação à desocupação da Cracolândia, operação desastrosa que consumiu uma fábula de dinheiro do contribuinte e levou para o rés-do-chão os dados sobre apreensão de narcóticos e o tratamento dos viciados.

      Da mesma forma, foi ostensiva a atuação de Ferreira Pinto para dificultar a apuração da execução covarde de um homem apontado como membro do PCC, caso que ficou conhecido como o Crime do Bar Barracuda. O homem foi levado por uma viatura da ROTA até um local ermo, na beira da Rodovia Ayrton Senna, onde foi espancado e depois assassinado a sangue-frio. Ferreira Pinto esteve no DHPP, onde corre o inquérito, e deu ordens explicitas para dificultar ao máximo o acesso do MP à investigação. Sobre esse caso, estranhamente, foi decretado segredo de justiça, privando a sociedade de saber o que se passa nos desvãos da segurança.

      O governador Geraldo Alckmin sabe muito bem de todas essas coisas. Ele próprio, há cerca de um mês, teve que substituir 32 policiais que faziam sua segurança pesoal no Palácio dos Bandeirantes. Até hoje as razões da troca dos oficiais e soldados da PM não foram suficientemente explicadas. Há informações nos bastidores de que eles compunham uma rede que tinha por objetivo monitorar os movimentos do próprio governador e de sua família dentro da ala residencial.

      Diante de tudo isso, é a ele, governador, que a sociedade deve responsabilizar pelo que vem acontecendo — da inflexão da curva estatística dos crimes cada vez mais bárbaros ao surgimento de novos “mercados” do crime, como os arrastões a prédios e restaurantes, que mantêm a população trancafiada em casa enquanto os bandidos ganham as ruas.

      Compartilhe isso:CompartilharFacebookImprimirEmailPosted by Fábio Pannunzio in Cidadania, Notí­cias, Segurança and tagged Antônio Ferreira Pinto, autoritarismo, Geraldo Alckmin, responsabilidade política

      pesadelo 17/06/2012 às 12:26 | #12 Citar http://www.pannunzio.com.br/archives/category/noticias/seguranca

      euclydes zamnperetti fiori 17/06/2012 às 16:16 | #13 Citar Eleições 2012

      Antecipo meu voto, se estiver vivo, votarei para o candidato do PSOL

      Carlos Giannezi

      Haddad, Serra, Paulinho da Força Sindical, junto com quem os apoia, são dignos da repulsa de todas as pessoas e eleitores independentes.

      Se liga São Paulo,

      Acorda Brasil

      SEU JUAUM DO ARRAIÁ DA PULIÇA DE SUN PAULO 17/06/2012 às 19:36 | #15 Citar EU EXPRICO PROCEIS A DISGRAÇA…..U PÓBREMA É QUE O FEITIÇO SI VIROU CONTRA O FEITICEIRO….LÁ NO ARRAIÁ DOS BANDEIRANTES O HOMI TÁ DE RABO PRESO COM O PINTU………O GERARDO NUM PODE PICÁ O PÉ NA BUNDA DUITUNIM PINTU , POR CAUSA DI QUE O TUNIM PINTU PODE DAR COM A LINGUA NUS DENTE E CONTÁ TODAS TRAPAIDAS QUE US DOIS FEIZ JUNTOS………….AGORA O JEITO É O GERARDO ENGOLIR O ANGU MAR FEITO E APIMENTADO. ÓIA, ACHU QUE VONTADE DE TIRÁ O PINTU DA LABUTA DA SEGURANÇA O GERARDO TEM, MAIS CUMA DIZ O VÉIO DITADO (VONTADE DE COMER NUM DÁ DOR DE BARRIGA), ENTÃO O GERARDO VAI TER QUE AGUENTAR O PINTU CALADO!
      ENTENDERAM A PROSA CUMPANHEIROS? SI NUM ENTENDERAM EU EXPRICO DINOVO….INTÉ MANHÃ……….eta fuminho baummmmmm kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      ENTRE DEUS E O DIABO. 17/06/2012 às 20:07 | #16 Citar QUE ESPERAR DOS FILHOTES DA DITADURA? SÓ EXECUÇÕES; TORTURAS; CORUPÇÃO; POLITICALHA; CERCEAMENTO DA LIBERDADE DE IMPRENSA E PENSAMENTO E TAMBEM ACOBERTAMENTO DOS ESBIRROS (TRABALHARAM VÁRIOS DIAS COM MANDADO DE PRISÃO E OS PRETENSOS OFICIAIS DAS FORÇAS AUXILIARES NÃO PRENDERAM OS PAPA MALAS)!!!!!!!!!!
      E O JECRIM TÁ PODEROSO ASSIM PARA CONCEDER MANDADO DE BUSCA E APREENSÃO? SÓ SE FOR MESMO CONTRA OS INIMIGOS DOS DONOS DO PODER!!!!!!!!! BALA NELES!!!!!!!!!!

      A imprensa é o quarto poder. 17/06/2012 às 21:11 | #17 Citar JOÃO, vc falou tudo. Estão querendo calar a imprensa. Parabéns pelo texto.

      “A intimidade é a esfera secreta da vida do indivíduo”, violada num Regime de Excessão 18/06/2012 às 12:36 | #19 Citar O Quarto Poder é o MP, e a Imprensa é o Quinto, que inclusive manda todos os anteriores para os Quintos dos Infernos!
      Quem manda mais no Brasil, hj, é a Imprensa! THE BEST, AND FUCK THE REST!

      Abs a tds, continuem lutando pela Justiça, pela Legalidade e por todos os nosso, fiquem com Deus!

  • GABOLA de Garanhuns

    17/06/2012 #9 Author

    … Ahhhhhhhhhhhh !!!!!!!!!! então é por isso que já a algum tempo este Blog vem fazendo artigos criticando a segurança pública e o governador do Estado de São Paulo ?????? É por causa do inquérito…………

    Responder

    • Fábio Pannunzio

      17/06/2012 #10 Author

      O inquérito é consequência, Gabola, e não causa das críticas. O inquérito é uma tentativa de intimidação.

    • Alex

      18/06/2012 #11 Author

      Pq, a segurança de São Paulo não devia ser criticada?

  • Flávio Furtado de Farias

    17/06/2012 #12 Author

    Pannunzio, você já viu o blog do Lúcio Flávio Pinto?
    um blog para discutir a questão da Vale.
    http://valeqvale.wordpress.com/

    Responder

  • sossegao abc

    17/06/2012 #13 Author

    Pode não ser nem estranho e nem incompreensível; ou o governador concorda e apoia os métodos do seu secretario de (in) segurança ou, como se diz popularmente, deu asas a cobra e agora não tem peito para demiti-lo.

    Responder

  • rere

    17/06/2012 #14 Author

    A indolência do Geraldo em nada se diferencia da indolência da oposição de uma maneira geral Todos eles, sem exceção, tomaram o cha da Cinderela e dormem o sono dos “justos”. Votar no Aécio em 2014? Nem morta. Aonde é que o homem está nesse momento/ Não se ouve falar dele.

    Responder

  • Mario

    17/06/2012 #15 Author

    Prezado Pannunzio,

    Suas acusações neste artigo são muito graves, mas sem ouvir a versão do Governo de SP fica difícil formar qualquer juízo.

    Mario.

    Responder

    • Alex

      18/06/2012 #16 Author

      Interessante que quando o Pannunzio critica o governo federal e o PT, vc não quer opuvir a versão do governo nem do PT………

    • Mario

      18/06/2012 #17 Author

      Você está faltando com a verdade, Alex. Você pode citar um caso em que eu não tenha levado em consideração a versão do Governo federal ou do PT? Eu sempre procuro ver os dois lados da questão. Ocorre que nem sempre a outra versão aparece, como, por exemplo, no caso do Ministro Gilmar Mendes e a intimidação feita pelo Lula. E não aparece deliberadamente, o que é mais grave.

      Se o Pannunzio me respondesse que o Governo de SP, depois de perguntado, não quis se manifestar sobre o assunto, eu poderia formar um juízo melhor sobre o caso e provavelmente mais favorável às alegações do Pannunzio.

      Mario.

    • Idiossincrasias Policiais!

      19/06/2012 #18 Author

      O Desgoverno do Péssimo Estado de São Paulo, aliado ao PCCSDB****, foi instado a falar em diversas oportunidades, perante várias reportagens, de inúmeros meios de comunicação, todavia, manteve-se inerte e silente, tentando justificar toda essa m**** por um silêncio sepulcral, propiciando uma espera agonizante por justificativas infundadas e infrutíferas, que por si só nunca materializaram-se!
      O efeito Cachoeira/Demóstenes veio como uma benção, vertendo mudança de foco, sendo atendidos os rogos de muitos tucanalhas!
      Os descalabros políticos possuem perpétuos aliados, o silêncio, a negativa, a angustiante espera por caos maiores, extorsionismo, barganhas… Técnicas empregadas pela politicalha vigente neste Estado onde os “Pieds-Noirs” pisoteiam a demoniocracia, instando o terror!
      Apropósito, o Pinto é contemporâneo do Quasímodo Nosferatu, tendo o Pinóquio rendido-se ao colo do Secretino, lastimando engolir cotidianamente o Pinto à seco, por forças ocultas e métodos “hooverianos”!

  • Flávio Furtado de Farias

    17/06/2012 #19 Author

    Repercuti esta barbarida no meu blog PIG.

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *