Fé cega, língua afiada

Como a BESTA reagiu à notícia de que Erundina havia desembarcado da campanha lulo-malufista para a Prefeitura de São Paulo. Ou: quando o fundamentalismo político ofusca e embota a lucidez de certos crentes.

Comentários

9 thoughts on “Fé cega, língua afiada

  1. Petistas me dão NOJO!

    Ao invés de ficarem “na deles” saem atacando todo mundo.

    Bando de ignorantes, mentirosos, incescrupulosos

  2. É tão alucinada a postura, tão cão-de-guarda, tão idiota que chega a dar pena dessa galera. Onde vai o profeta, seguem os fieis amalucados. Esse tal José de Abreu deve ter tido bons motivo$$$ para chorar o que chorou na eleição de Dilma. Passa o dia todo nas redes sociais falando idiotices… Até já me bloqueou no twitter (eu que nunca o segui, nem nunca conversei com ele por lá; ele que se intrometeu numa conversa minha com amigo meu…). É hilário, patético e dá pena. Mas parece que as pessoas começam a acordar.

  3. O petista não se vê como um simples cidadão ou eleitor. Como o torcedor corinthiano, ele pretende ser (e em alguma medida é) parte integrante do time. Acredita firmemente que suas reações públicas (no tuíter, nos blogues) podem fazer a diferença. Por isso mesmo, não se abala com a acusação de que estava “errado” ao predizer que Erundina abandonaria o barco. Não se incomoda nem mesmo em ser contraditório, dizendo hoje aquilo que sabe perfeitamente que deverá desdizer amanhã. É que, no fundo, ele não acredita que haja contradição alguma envolvida em suas palavras. Elas não têm força assertiva – não pretendem descrever correta ou incorretamente a realidade. Pretendem realizar uma missão política, chegar a um certo resultado. No jargão dos linguistas, o petista está exclusivamente preocupado com a dimensão perlocutória de seu discurso: com os efeitos que ele possa produzir. O valor semântico do mesmo é apenas um veículo para se atingir esse fim. Quer ser entendido, não para que um auditório abstrato e imparcial reconheça a verdade daquilo que foi dito, mas para que o auditório concreto e cindido da arena política incorpore um elemento capaz de influenciar no resultado do jogo.

    Quando gritava no tuíter que Erundina não iria abandonar o barco, o que o petista queria era mostrar à própria Erundina a posição da militância (ou de parte dela), fazendo-a não fazer aquilo que eles estavam carecas de saber que ela estava, sim, fazendo. O petista não lamenta que seu discurso tenha sido “falso” ou “contraditório”. Lamenta que tenha sido PERDEDOR. Erundina caiu fora, e deixou Haddad e Lula com o abacaxi na mão.

    O PSDB de São Paulo lutou até o último minuto pelo minuto na TV do partido de Paulo Maluf. O eleitor tucano certamente crê que está falando a verdade ao dizer que isso é mentira. Pior para ele. Reinaldo Azevedo, mais profundo, tentou estabelecer a diferença em termos daquilo que tucanos estão dispostos a oferecer em troca, e o sistema de “porteira fechada”, que seria característico do petismo. Balela. Se o pagamento parece compensadora para quem vende, o negócio não é fechado, e pronto. Ninguém chega aonde Geraldo Alckmin e Paulo Maluf chegaram achando que pode enganar o outro a respeito de mercadorias e preços. Divergências à parte, todos se reconhecem e todos se respeitam. Só o eleitor tucano é que se engana a respeito da natureza do processo. Na cúpula, ninguém perderia tempo brandindo esse tipo de “verdade”, até porque todos sabem, naquelas paragens, que o moralismo envolvido nas acusações que fazem é puro jogo de cena. No fundo, eles entendem perfeitamente a reação dos eleitores petistas, pois ela é comensurável com seu discurso. Ambos estão no mesmo plano. Tanto um discurso como outro tentam produzir efeitos, e não “dizer a verdade” (ora, bolas!). No fundo, eles se entendem. Às vezes, tenho a impressão de que secretamente se respeitam. Quem sabe não se admiram?

  4. José de Abreu é uma figura… É tocante sua dedicação à causa. Ele e todos os lulistas de carteirinha são como cupins que se deixam atrair por uma lâmpada incandescente, embora se enxerguem como planetas que orbitam uma estrela. O problema é que essa estrela (que não é a da bandeira do PT, mas o próprio Lula) parece estar colapsando, virando um buraco negro! Ai de quem estiver por perto e não se afastar a tempo…
    Parodiando o impagável Roberto Jefferson: “Rápido! Sai daí rápido, Zé!”

  5. Por certo estão desesperados com os últimos fatos ocorridos. Não conseguem se entender, nem acompanhar o raciocínio de Lula (se é que há). O Haddad sempre no meio, sempre sendo “carregado” pra cá e pra lá, sempre com aquela carinha de bebê que não tem iniciativa. Espera que Lula lhe aponte o caminho, caminhe, mastigue, produza a “papinha” e lhe dê de engolir.
    Como esperam que esse candidato decole?

    Acho que qualquer possível candidato, NÃO ACEITARIA essa foto. Já está na hora de alguém peitar o Lula. Mostrar que ele pode sim, muitas coisas, mas para tudo há um limite meu Deus!

    Esse, ao meu ver, não foi apenas mais um tiro no pé, ele sentou-se sobre uma mina terrestre, e pior, levou todos os companheiros juntos para sentar!!!!

    No blog da Adriana Vandoni, tem uma charge interessante e bem “elucidativa” sobre a política de Lula e sua explicação sobre o ato de “pegar na merda”!!!!

    Hilário e trágico ao mesmo tempo!!!!

    Abraços ao José de Abreu e a esse tal de cachorro louco…quem sabe agora procure se vacinar…

    Robson de Oliveira

    http://ecoblog-blogeco.blogspot.com.br/

  6. Se desistir de ser vice não quer dizer nada,estamos conversados.
    Minha dúvida: qual biografia fica pior com o acordo PT-PP, a do lulla ou a do malluf? (em off, acho que a do malluf piora)

  7. Faltou esse aqui, ó:

    José de Abreu ‏@ZehdeAbreu

    Aí, babaquinhas que ontem aplaudiram a @Veja por inventar que Erundina fugiria da raia. Ela nao vai fugir, podem sair de baixo das camas.

  8. Prezado Pannunzio,

    O site redebrasilatual é o que tinha propaganda do Ministério da Educação e do Ministério da Ciência e Tecnologia ao lado de imagens cujo escopo era ridicularizar o Governador de São Paulo. Dei printscreen de tudo. Quero só saber se o dinheiro de tais patrocínios serão devolvidos para os cofres públicos, visto que são ilegais e poderiam ter sido gastos em favor da educação, saúde e segurança.

    Mario.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *