São Paulo sob ataque. SSP alertou autoridades, mas continua negando informação ao povo

Pelo menos uma unidade da Polícia Militar foi atacada nesta sexta-feira supostamente por bandidos ligados ao Primeiro Comando da Capital, a oganização que hierarquizou e comanda o crime organizado na maior cidade do País. Até agora, chega a seis o número oficial de policiais assassinados nos últimos dez dias. Mas o número pode ser bem maior. Cinco deles  morreram em circunstâncias que evidenciam execuções pontuais — eram tidos como honestos, estavam de folga e não vestiam fardamento (apenas uma das vítimas trajava o uniforme da PM).

A Secretaria de Segurança Pública nega, mas o serviço reservado da PM já alertou autoridades dos três Poderes do estado de São Paulo de que se trata de um ataque do PCC. Os alvos seriam “autoridades em geral”, e não apenas policiais envolvidos em milícias e grupos de extermínio. Todos os destacamentos foram colocados em prontidão, com a escala de folgas suspensa neste fim-de-semana. O mesmo aconteceu com a Polícia Civil. Mas  até agora a secretaria de Segurança Pública continua negando para a população que São Paulo esteja sob ataque.

A ação é uma vingança do “partido”, palavra que policiais e bandidos usam para se referir ao PCC, pela execução de seis integrantes da facção que agiam na Zona Leste no dia 29 de maio. Uma das vítimas foi sequestrada por uma viatura da ROTA e levada até um local ermo na beira da Rodovia Ayrton Senna, onde foi espancada e assassinada friamente. Uma testemunha que morava próximo ao local acionou o plantão policial e denunciou o crime.

Oficiais da Corregedoria da PM e do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa) da Polícia Civil ainda tentaram “arredondar” o flagrante e evitar a prisão dos PMs assassinos. A tentativa fracassou graças à presença de promotores de justiça do Grupo Especial de Controle da Atividade Policial (GECEP) do Ministério Público paulista. Anderson Minhano, o homem que foi executado na beira da rodovia, teria sido assassinado pelos PMs porque era suspeito de ter matado um policial.

A reação do PCC acontece após um período de trégua de três anos. O “partido”, segundo fontes da própria polícia, teria mudado a orientação para a realização de vinditas. Ao invés de promover grandes ataques, como os que se verificaram em 2009, agora prefere execuções pontuais. As ameaças, no entanto, já conseguiram parar escolas e fazer o comércio baixar as portas. São uma reação ao recrudescimento da violência policial, politica que tem sido sustentada pelo secretário de Segurança Antônio Ferreira Pinto.

As primeira informações sobre a iminência do ataque chegaram ao serviço reservado da PM há cerca de dez dias. Uma carta foi apreendida na cela onde estava preso Roberto Soriano, na penitenciária de segurança maxima de Presidente Venceslau. Ele é conhecido como “Tiriça”, um dos líderes da facção criminosa. Nessa carta havia nomes de policiais militares que deveriam ser justiçados, instruções para o tráfico e uma menção ao crime do Bar Barracuda, que foi incenado por criminosos na madrugada passado. O preso foi transferido para o presídio de Presidente Bernanardes, onde permanece confinado e isolado no regime diferenciado em uma solitária.

O Blog repassa aos seus leitores o mesmo alerta que a SSP vem fazendo para as autoridades. A ordem é evitar deslocamentos desnecessários e permanecer em casa até que se consiga dimensionar corretamente  o que está acontecendo.

Comentários

10 thoughts on “São Paulo sob ataque. SSP alertou autoridades, mas continua negando informação ao povo

  1. Aproveitei , como fonte de pesquisa, parte do excelente conteúdo do seu post sobre os recentes ataques contra a policia em São Paulo.Compartilho sua preocupação com a falta de segurança e fragilidade do governo em enfrentar essa questão tão séria.A violência em São Paulo aparentemente saiu do controle, e temos hoje ações pontuais da polícia, focadas no combate pelas armas, ao invés do uso da inteligência policial.No México Calderon conseguiu transformar aquele país um mar de sangue, ao colocar as forças armadas para combater o narcotráfico, visando eliminá-los pelas armas e não prendê-los.AS ROTA é uma excelente força de elite da PM, porém, não preparada para combater o PCC.
    Abraços.

  2. Todos atentados acabam depois das eleições! Já conhecemos o modus operandus da quadrilha PCCTRALHA.

    • Na mosca.
      Também são os petralhas que batem os carros e fazem o transito de São Paulo ter engarrafamento de 200Kms.
      Os petralhas estopem os esgotos e fazem S.Paulo ter os maiores alagamentos de todas as cidades.
      Os petralhas vão todos para o metrô na mesma hora para dizer que o metrô de S.Paulo é ineficiente.
      E ainda acusam o PSDB ha 16 anos no poder em São Paulo de ineficientes.
      Vamos bater o pé e eleger o Serra por mais 4 anos e conviver com esta cidade maravilhosa e sem problemas.

  3. O que está acontecendo em São Paulo, é uma amostra do ocorre em todo o país, onde policiais e bandidos se misturam. Quem viu a reportagem de ontem no Fantástico sobre a polícia, fica difícil de saber que é polícial e quem é bandido.

  4. Muito estranho. De novo, em véspera de eleição. Só espero que não seja lambança de débeis mentais de esquerda.

    • Não Jotavê,você está enganado. A reportagem do Fantástico mostrou claramente policiais, mantendo em carcere uma refem (esposa de um bandido) para troca-la por propina. Infelizmente a nossa segurança está em um estado lastimável. A política de violencia, e não de inteligencia, está gerando mais violencia. Querer vincula-la com eleições, é uma desculpa sem fundamento. Basta lembrar, no ano passado quando houve diversos arrastões em condominios. Havia eleições? E quanto a temida “gang da marcha-ré” que assustou os lojistas? Havia eleições? Apenas para citar dois casos.

  5. Nesta madrugada de hoje PCCTRALHAs queimam ônibus entre as avenidas dos Signos e Afonso Monteiro da Cruz, no Parque Real. Quase meia hora depois, dois PCCTRALHAS incendiaram um Fiat Uno e empurraram o veículo, ainda em chamas, em direção a uma base móvel da 3ª Companhia do 24º Batalhão instalada na esquina da Rua José Bonifácio com a Avenida Nossa Senhora das Graças, no bairro Serraria. tentar atacar base móvel da PM em Diadema.
    Guga dadá não quis comentar o caso!

  6. Cuidado Geral após as 23hs, operações generalizadas por toda São Paulo on said:

    Carro da Polícia Civil é atingido por tiros na zona leste de SP

    22/06/2012Deixe um comentário

    22/06/2012-18h44

    ANDRÉ CARAMANTE DE SÃO PAULO

    Um carro da Polícia Civil foi atingido por vários tiros por volta das 16h10 desta sexta-feira na avenida Doutor Assis Ribeiro, na região de Cangaíba, na zona leste de São Paulo.

    Mais um PM é morto a tiros na zona sul de SP; base é atacada Em carta, comandante da PM admite estado de alerta em SP

    O veículo alvejado era da 10º Distrito Policial (Penha) e nenhum policial ficou ferido.

    O ataque ao carro da Polícia Civil da tarde desta sexta ocorre na semana em que uma série de ataques a PMs foi registrada em São Paulo. Até a madrugada de hoje, chega a cinco o número de PMs mortos fora do horário do trabalho, desde o dia 13.

    Existe a suspeita de que as mortes tenham sido retaliação da facção criminosa PCC contra a operação da Rota (tropa de elite da PM) que matou seis homens no fim de maio, na zona leste de São Paulo.

    Em carta, o comandante-geral da PM, coronel Roberval Ferreira França, admitiu que a PM está em estado de alerta por causa dos ataques.

    De acordo com a carta de França, “todas as patrulhas em serviço estão com orientação de conduta de segurança especial, com atendimento de ocorrência em pares de viaturas e cautelas redobradas no atendimento de ocorrências e na aproximação de veículos, motos e pessoas suspeitas”.

    FOLHA DE SÃO PAULO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *