“O Planato pode estar dando um tiro no pé”. A avaliação é do líder do PSB, um dos partidos que compõem  a base de...

“O Planato pode estar dando um tiro no pé”. A avaliação é do líder do PSB, um dos partidos que compõem  a base de sustentação do governo no Senado. Ele se referia à ordem do presidente Lula para abortar as negociações para que a presidência da CPI da PETROBRAS fosse cedida à oposição, o que fez com que o DEM aderisse à obstrução já anunciada pelo PSDB.

De acordo com Casagrande, “só com muito esforço se consegue votar uma medida provisória por semana”. Neste momento, quatro MPs travam a pauta de votação. Duas delas são de importância capital para o governo. A primeira, que já está em discussão, é a 452, que institui o Fundo Soberano e flexibiliza as regras de licenciamento ambiental para a restauração de rodovias. A segunda destina do BNDES R$ 100 bilhões de reais. Há ainda a que corrigiu o valor do salário-mínimo e outra que extende transporte e merenda escolar a alunos do ensino médio e da educação infantil.

Todas as MPs caducam em primeiro de junho. Se o texto sofrer alteração, elas terão quer passar novamente pela Câmara. Com apenas uma semana — ou dois dias úteis de sessões deliberativas — isso fatalmente vai acontecer.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *