Censo: Igreja Católica tem queda recorde no percentual de fiéis

A Igreja Católica sofreu a maior queda no percentual de adeptos no Brasil, entre 2000 e 2010. Segundo dados do Censo 2010 divulgados nesta sexta-feira pelo IBGE, o número de católicos no país caiu 12,2% na última década. No mesmo período, a população evangélica cresceu 44,1%. Esse aumento, porém, é menor do que o detectado entre 1991 e 2000, quando o número de evangélicos aumentou 71,1%.
Os evangélicos, que no recenseamento anterior eram 15,4% dos brasileiros, agora são 22,2% (42,3 milhões). O percentual de católicos caiu de 73,6% (2000) para 64,6% (2010). Mesmo com o aumento da população, a Igreja Católica teve redução inclusive em números absolutos. Em 2000, tinha quase 125 milhões de seguidores. Dez anos depois, apareceu com menos 1,6 milhão de adeptos.
– Ainda assim, dois em cada três brasileiros declararam ser adeptos da religião católica –observa Cláudio Dutra Crespo, da Coordenação de População e Indicadores Sociais do IBGE.
Os dados sobre religião são obtidos por meio de amostragem.
Aumento de 70,2% no percentual de pessoas sem religião desde 1991
Depois de católicos e evangélicos, o maior grupo é dos que se declararam sem religião, que representa 8% da população de 190,7 milhões de brasileiros. Houve um aumento de 8,1% entre os censos de 2000 e 2010. Tendo em vista o recenseamento de 1991, o crescimento deste grupo foi de 70,2%. Entre os sem religião, 615 mil se declararam ateus e mais de 124 mil, agnósticos. Uma curiosidade é que 15,3 mil têm mais de uma religião.
– Geralmente são católicos e espíritas ou católicos e umbandistas – explica Crespo.
A população espírita passou de 1,3% (2000) para 2% (2010). Os seguidores da umbanda ou do candomblé são 0,3%, o mesmo percentual registrado no levantamento anterior. Segundo o IBGE, 2,7% seguiam outras religiões e 0,1% da população não declarou ou não soube qual era sua religião. Em 2000, estes percentuais eram de 1,8% e 0,2%, respectivamente.
“Os resultados do Censo Demográfico 2010 mostram o crescimento da diversidade dos grupos religiosos no Brasil, revelando uma maior pluralidade nas áreas mais urbanizadas e populosas do país”, concluiu o estudo do IBGE no texto de divulgação dos resultados.
Maior proporção de católicos é de pessoas com mais de 40 anos
Segundos os dados do Censo 2010, a idade mediana dos católicos apostólicos romanos é de 30 anos e dos evangélicos pentecostais – da Assembleia de Deus, Igreja Universal do Reino de Deus, Nova Vida, etc – é de 27 anos. Já a idade média dos evangélicos de missão – luteranos, presbiterianos, metodistas, batistas, etc – é de 29 anos.
Os espíritas são o grupo religioso com idade mediana mais elevada, 37 anos, e os sem religião, a mais baixa, 26 anos. Seguidores da umbanda e do candomblé têm idade mediana de 32 anos.
A proporção de católicos foi maior entre aqueles com mais de 40 anos. A explicação é, segundo o IBGE, que estas gerações se formaram em períodos de maior hegemonia católica. Os evangélicos tiveram suas maiores proporções entre crianças e adolescentes. No caso de menores de 10 anos de idade, era considerada a mesma religião da mãe.

Beba na fonte: Censo: Igreja Católica tem queda recorde no percentual de fiéis – O Globo.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *