Para quem tem quatro minutos para investir em algo muito belo. Assista em HD se a sua conexão com a internet permitir. São...

 

Para quem tem quatro minutos para investir em algo muito belo. Assista em HD se a sua conexão com a internet permitir. São cenas raras e muito lindas, que vão animar o restante do seu dia.

Mais uma sugestão do meu amigo Eduardo Crosara Machado.

Comentários

  • Jacutinga

    02/07/2012 #1 Author

    Huumm !! Em matéria de cena de ciúme, sinta a catinga…
    Parabéns pelo bom gosto, tudo muito lindo,lindo,lindo !!
    Mas veja, Sr Pannunzio, também sou bicho de asas e não estou no filme do Walt Disney !
    Sou da mata Atlântica, em extinção e sou brasileiríssimo.
    E, não estou no filme !!!
    Sou bicho bonito, quase um pavão (sem aquele rabão bichornoso) simpático e, NÃO ESTOU NO FILME !!
    Magoei…

    Responder

    • Fábio Pannunzio

      02/07/2012 #2 Author

      Vou procurar um video sobre você, Jacutinga, e prometo postar com bastante destaque. Realmente você é um pássaro muito galante, com aquele papo vermelho e tudo mais. Não esquecerei!

    • Jacutinga

      02/07/2012 #3 Author

      Sr Pannunzio, permita que eu me apresente:
      Ave da mata atlântica (pipile jacutinga), em extinção, tenho como característica principal, após me alimentar na mata, quase imediatamente defecar ou regurgitar as sementes das frutas, sendo por isto responsável por 80% da sua multiplicação . Então, fazendo este “serviço” porco e fedorento, renovo a floresta. Sou fedorento mas, exemplo de como semear bons frutos com coisa catinguenta. Sou meio besta (no bom sentido), muito exibido, anticomunista e democrata ferrenho ! Como estou sempre lá por cima das árvores, sirvo de sentinela para os outros bichos menos voantes ou mais avoados.
      Na década de 50, na Rádio Nacional (RJ) aos domingos, havia um programa chamado Tancredo (Brandão Filho) e Trancado (Apolo Corrêa) escrito por Ghiaroni. Havia um bordão em quase todos os programas assim: Tancredo ao perceber (alertado pela Jacutinga) algo estranho, inusitado,fora do comum ou perigoso exclamava: Trancado, aí tem Jacutinga, ao que era respondido (por ex:) Sendo os três quem são nesta foto, eu já senti a catinga…
      Isto marcou a infância do meu alter ego, que até hoje, mais de sessenta anos depois, quando percebe algo estranho, imediatamente pensa; Huumm ! Aí tem Jacutinga… Coisas da vida. Eu sou meio debochado, ferino, malcriado, desbocado, maldoso e quase perverso (com quem merece), e sou a antítese do meu alter ego, um cara sério e responsável (um chato de galocha).
      Agradecendo a atenção, pousarei sempre, com sua permissão, neste espaço democrático.
      Jacutinga

  • Waldir Moreira Jr (@MoreiraJr7)

    02/07/2012 #4 Author

    Além da beleza capturada pelas lentes fantásticas, podemos enaltecer delicadeza da trilha sonora e a finalização com o fechamento das asas da borboleta. Sensacional! Muito obrigado por compartilhar.

    Responder

  • Sol

    02/07/2012 #5 Author

    Obrigada!

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *