Só se fala nisso. Cartão vermelho pra lá, cartão vermelho pra cá. O Senador Eduardo Suplicy lançou a mania. Todo mundo aderiu. Papaléo Paes...

Só se fala nisso. Cartão vermelho pra lá, cartão vermelho pra cá. O Senador Eduardo Suplicy lançou a mania. Todo mundo aderiu.

Papaléo Paes andou distribuindo cartões vermelhos e amarelos a todos os colegas que mereciam algum tipo de censura. Wellington Salgado levou dois amarelos.

Agora há pouco, como contou a Fernanda, Sarney disse que o cartão dele é branco, de paz. De manhã, Demóstenes Torres deu um cartão vermelho ao próprio Suplicy, que se estendeu além da conta em uma intervenção da Comissão de Constituição e Justiça.

Depois, Demóstenes ameaçou dar um “cartão rosa” aos colegas renintentes que teimavam em se alongar na discussão do uso de cartões de cores variadas.

Minutos atrás, o Blog ouviu o seguinte diálogo, travado pelos senadores Papaléo Paes e Marisa Serrano:

– Por que cartão vermelho, Senador ? Isso não tem uma conotação petista ?

– Mas é vermelho ou amarelo, senadora.

– Não podia ser azul, do PSDB ?

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *