As duas maiores centrais sindicais — CUT e Força Sindical — prometem mobilizar suas “bases” para pressionar o STF a absolver os mensaleiros. O...

As duas maiores centrais sindicais — CUT e Força Sindical — prometem mobilizar suas “bases” para pressionar o STF a absolver os mensaleiros. O engajamento, anunciado pela CUT, logo foi seguido pela Força Sindical, como noticiou o blog nesta terça-feira.

Pergunto: quem financia a campanha pela impunidade da quadrilha do Mensalão? Respondo: você, com o que lhe é descontado do salário a título de pagamento da contribuição sindical equivalente a um dia de trabalho por ano.

A quase totalidade do dinheiro arrecadado na marra dos trabalhadores para manter a paquidérmica organização sindical brasileira vem daí. 60% do que é arrecadado vão para os sindicatos; federações e confederações ficam com outros 20%; as centrais sindicais recebem 10%. Não é pouca coisa. Só no ano passado, a CUT recebeu quase R$ 32 milhões; a Força Sindical ficou com R$ 29 milhões.

Por obra e graça do companheiro Lula, que regulamentou as centrais sindicais em 2008, essas organizações receberam o beneplácito da imunidade. Foram desobrigadas de prestar contas da aplicação dos recursos inclusive ao Tribunal de Contas da União. A rigor, podem fazer o que quiserem coma dinheirama — inclusive prover meios para a arregimentação de uma massa-de-manobra para ressionar o Poder Judiciário a absolver criminosos.

Dilma Rousseff, que tem sido mais dura com as centrais do que seu criador, ainda assim foi extremamente cordata com relação à fiscalização. Ao sancionar a Lei de Acesso à Informação, que obrigou sindicatos a prestar contas da fração que recebem da contribuição sindical, manteve a imunidade das centrais sindicais.

Hoje, portanto, elas gozam de um privilégio que não é dado a nenhum outro segmento da economia ou da política. Ninguém sabe, a rigor, e não existem instrumentos legais que permitam saber, o que é feito do donheiro arrancado na marra do trabalhador e destinado pelo governo a essas organizações.

Certo mesmo é que pelo menos uma parte dele vai financiar atividades como a reabilitação de Delúbio Soares, cuja volta da proscrição foi marcada por um regabofe custeado pela pelegada cutista. Não satisfeitos em transformar a entidade numa trincheira partidária — o que é compreensível, dada a imbricação histórica entre o partido e a central — os novos pelegos agora se dispõe a fazer o papel de reabilitadores de deliquentes caídos.

E tudo isso às suas custas.

Comentários

  • Sidney

    13/07/2012 #1 Author

    Eu achei super engraçado todo mundo condenando os sindicatos. Na verdade são contra a existência deles. Porque a existência deles consolidou o direito dos tralhadores. 13º, férias, convenção coletivas todos os anos para os salários não ficarem defasados.

    Aqui faltou alguém dizer aqui que à CUT é contra o imposto sindical, até porque dificulta o engajamento dos trabalhadores.

    Pra finalizar, se a grande mídia pode pressionar, os trabalhadores também podem. Até pra equilibrar a balança.

    Queria avisar aos cidadãos comuns, quero alertá-los que os que criticam o sindicalismo no Brasil, criticam o sindicalismo em todo o mundo. Para eles, todos deveriam receber seus salários de fome e ficar caladinhos.

    Se buscarmos na história vamos ver como os direitos trabalhistas foram conquistados. A custa de muitas vidas humanas, muitas lutas e greves. Ninguém vai fazer o favor de aumentar o seu salário!

    E tenho dito.

    Responder

  • SideShow Bob

    11/07/2012 #2 Author

    Muitos aqui falaram sobre o imposto sindical subtraído dos trabalhadores. Ocorre que outra taxa malandra é imposta aos funcionários da categoria, quer sejam sócios do sindicato ou não que é a Taxa Negocial.
    É um valor cobrado dos empregadores quando de uma eventual renegociação e que é descontada dos funcionários.
    Se o funcionário não reclamar fica sem seu dinheirinho e quem acaba com o prejuízo é o empregador, embora empresas mais qualificadas já busquem na justiça a anulação de tal cláusula proxeneta.

    Responder

  • Alexandre

    10/07/2012 #3 Author

    Bom, as centrais têm o direito de se posicionar politicamente. Elas querem é equilibrar a balança, uma vez que parte da imprensa cartelizada já condenou previamente os acusados. Sobre o financiamento, dizer que “você” banca as centrais é uma falácia. É o mesmo que dizer que eu banco a Globo porque ligo no canal, ou que eu banco o salário do Ronaldo Gaúcho quando vejo o jogo do Galo. Esse é o famoso argumento patético: na retórica judiciária, o equivalente é mostrar a roupa ensaguentada da vítima. Comove mas não prova nada.

    Responder

    • Mario

      10/07/2012 #4 Author

      Alexandre, que eu saiba o dinheiro tanto da Globo como do Ronaldinho Gaúcho não são impostos. Ninguém me obriga a torcer para timecos mineiros nem me obriga a assistir à novela Avenida Brasil. É óbvio que isso não faz tanta diferença, mas faz uma enorme diferença. É óbvio também que o argumento do Pannunzio é bem fundamentado, até porque nosso sistema sindical pelego tem inspiração fascista (Esta informação está em qualquer livro de História ou de Direito do Trabalho. Leia-os!). Atualmente, dadas a ausência de pluralidade sindical e as contribuições obrigatórias, o governo tem muito poder sobre os sindicatos. Aliás, com a criação de controle estatal, querem fazer o mesmo com a imprensa.

      Parabéns ao ótimo texto do Pannunzio, repleto de bons argumentos e que levanta questões importantes. Já o seu argumento, Alexandre, enquadra-se na sua definição: é patético.

      Mario.

    • Big Head

      10/07/2012 #5 Author

      Poucas vezes vi tamanha quantidade de tolices num simples comentário. Equilibrar o jogo? Quer dizer que daqui pra frente todo julgamento se resumirá a uma simples questão aritmética, de contar quantos há a favor e contra? Extingamos então os tribunais e coloquemos os institutos de pesquisa em seus lugares. Nesse ínterim, esqueçamos do que mais importa: OS FATOS. Já a segunda parte da intervenção é ainda mais intrigante pelo descabimento das comparações. Parece até coisa de criança. Ô Alex, você assiste à Globo ou ao jogo do Galo – que, por sinal, está muito bem – SE QUISER! Já a “contribuição” sindical – ah, esses eufemismos – é arrancada a fórceps de todos, inclusive de você, bobinho, não passando de mais imposto em nosso manicômio tributário.

    • Ronaldo T

      10/07/2012 #6 Author

      Dinheiro de trabalhadores, inclusive daqueles que não votam no PT, para defender os bandidos de estimação do Alexandre, ah, isto pode. Impressionante a mentalidade do cara. Se ele é um trabalhador assalariado, provavelmente ignora esse detalhe. É, antes de tudo, um militonto: previsível demais.

    • Henrique

      10/07/2012 #7 Author

      Falácia? Se você trabalha ou trabalhou na vida algum dia já deve ter visto o desconto no holerite. Dinheiro esse que pode ser gasto sem nem prestar contas. Sua comparação não faz o menor sentido.

      Quem condena é o STF, que pode muito bem ir contra a opinião pública e a imprensa se os fatos e as provas o levarem a tal.

    • Ivan

      10/07/2012 #8 Author

      Essa é a conversa dos “sem noção”.

    • Marcjaguar

      10/07/2012 #9 Author

      Eu tenho que rever os meus conceitos…..
      Eu sempre achei que as centrais sindicais deveriam existir para preservar e lutar pelos direitos dos trabalhadores, mas agora elas tem que se posicionar politicamente tambem?
      Engracado que os professores das universidades federais estao em greve a mais de um mes na luta por salarios mais justos e nenhuma central sindical se manifestou ainda sobre o fato, mas vao para as ruas pressionar o STF por causa do julgamento do mensalao???

      O Brasil eh mesmo um pais curioso, nao??…..rs

    • Quintela

      12/07/2012 #10 Author

      Eu também já revi meus conceitos. Eu ACHAVA que jornais deveriam apenas informar de forma imparcial. Mas jornais tem partido… o Partido da Imprensa Golpista.

    • João Mauricio

      11/07/2012 #11 Author

      É bancar sim… O Brasil é o único pais “democrático” em que essa contribuição é obrigatória. Por que então os sindicatos não abrem suas contas. O dinheiro arrecadado na mão grande pelos pelegos de plantão das centrais devem ser usados para o beneficio dos trabalhadores e não de uma meia duzia que utilizam para bancar suas mordomias.Meteram a mão no dinheiro publico, metem a mão no dinheiro do trabalhador e fazer analogia com a Rede Globo ou outro desportista. Pelo menos eles tem algo a oferecer entretenimento, informação e arte para quem paga o ingresso. E as sindicais o que fazem além de bancar corruptos?

    • SideShow Bob

      11/07/2012 #12 Author

      Seu argumento seria válido, apenas se a contribuição sindical fosse expontânea e não compulsória como é atualmente.

    • Alexandre

      13/07/2012 #13 Author

      Aqueles que discordam de mim devem demonstrar três coisas, para que seus argumentos se sustentem:

      1 – Que os sindicatos, desde suas origens no século XIX, não têm posicionamento político.
      2 – Ao haver contribuição sindical compulsória, demonstrar qual deveria ser o papel do sindicato.
      3 – Que os acusados do mensalão são culpados.

      Minha posição é clara. Para 1, os sindicatos sempre se posicionaram politicamente, ora criando partidos, ora apoiando partidos, que atendessem aos seus interesses. No caso específico mencionado, as centrais sindicais optaram por se manifestar por um julgamento justo, por simpatia a um governo que os favoreceu.
      Para 2, embora nada tenha a ver com o argumento, é digno de nota que TODAS as grandes centrais são contra à contribuição compulsória, basta procurar na internet sobre o assunto. Já a falácia do “quem paga é você” é a mesma quando digo que o ministro do supremo, o vereador, o professor da universidade pública, etc. são meus funcionários por serem sustentados por impostos pagos por mim. Ora, não há relação de causalidade entre a contribuição e o papel do sindicato ou do funcionário público, essa demonstração é impossível; no caso do sindicato, ele atua de acordo com os interesses da maioria de seus filiados: se ele não existisse ou não tivesse lutado pelos interesses do trabalhador, todos nós estaríamos como os operários ingleses do XIX, com carga horária de 12 horas diárias, trabalho infantil, folga aos domingos, sem férias, seguros, etc.
      Para 3, quem decide a culpa é o tribunal. É legítimo que as pessoas se posicionem aqui, nos jornais, nas centrais sindicais, de acordo com suas crenças e com seu nível de esclarecimento sobre as leis e sobre os autos do processo. Isso se chama democracia e liberdade de opinião.

  • Marcelo G

    10/07/2012 #14 Author

    Infelizmente, nada de novo. O que me intriga é: vão para as ruas defender os mensaleiros argumentando o que??? Qual o discurso?? O cara de pau já é total? Algo como: “Defendemos quem nos favorece e batemos em que atrapalha nossos objetivos…”.

    Olha… o mal que Lula e sua turma fizeram ao Brasil e às instituições democráticas vai permanecer por séculos.

    Abs Pannunzio!

    Responder

  • John

    10/07/2012 #15 Author

    ENQUETE DO DIA: O sindicalismo brasileiro se baseia no:

    a) Peleguismo organizado: Força Sindical se junta à CUT na defesa dos mensaleiros;

    b) Central Única dos Aloprados?

    c) Central de Chupas Pobres???

    d) Não merece resposta.

    kkkkkkkkkk

    Responder

  • MarceloF

    10/07/2012 #16 Author

    A campanha do Paulinho da Força (o nome já é uma denúncia) também. E a do Luiz Marinho, idem.
    Sds.,
    de MarceloF.

    Responder

  • Lúcio Wanderley

    10/07/2012 #17 Author

    Perfeito o texto do Pannunzio. Essa contribuição FORÇADA, sancionada pelo molusco, é um verdadeiro assalto aos trabalhadores. Ninguém deveria ser obrigado a fazer o que não concorda, como prevê a Constituição. Mas nesse caso, somos obrigados a aceitar calados o “fumo” entrando.

    Responder

  • Tavarez

    10/07/2012 #18 Author

    Não causa surpresa.

    Eu trabalhei em uma metalurgia 8 anos – em São Paulo. Em 1994 no importante evento Plano Real semanalmente a CUT distribuia panfletos “denunciando o plano economico das elites”.

    Depois foi a vez das companhas contra “as privatizações”. E dá-lhe panfleto “denunciando o entreguismo de nossas empresas estatais”.

    Também era comum durante as campanhas eleitorais a própria CUT distribuir panfletos de seus candidatos do PT e do PC do B na entrada da fábrica.

    Perderam o crédito com os funcionários da fabrica, pouco a pouco devido as suas atitudes. Entrava funcionário do sindicato nos onibus para falar e não davam a mínima – tratavam o cidadão com frieza.

    E eu, na esteira, passei a todos os anos recusar o pagamento da “contribuição sindical” (coisa que faço até hoje). Tinha que ir no sindicato fazer isso. Recebia insultos dos funcionários do sindicato. Eu e outros funcionários passamos a ir juntos todos os anos, por questão de segurança.

    Seria muito saudável para os brasileiros e para a democracia se os sindicatos sofressem uma boa devassa em suas finanças.

    Mas pedir para um sindicato prestar contas pelo visto é algo impossível. Pelo visto, fazem o que bem entendem. C

    Responder

  • SideShow Bob

    10/07/2012 #19 Author

    Outras duas organizações que certamente farão “manifestações” à favor dos mensaleiros e às custas do erário serão a UNE e o MST

    Responder

  • Mario

    10/07/2012 #20 Author

    Os companheiros da CUT e da Força apenas querem estender o benefício da legalização da corrupção aos amigos mensaleiros. Qual a surpresa?

    Mario.

    Responder

  • ridney

    10/07/2012 #21 Author

    A polícia já sabe como barrar as ações dos bandidos: deve-se acabar com as fontes financeiras deles.
    No caso dos bandidos das centrais sindicais é impossivel que a policia retire suas fontes porque as fontes de finaciamento deles tem as chaves dos cofres.

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *