Suplente do ex-senador Demóstenes Torres, o empresário Wilder de Morais (DEM-GO) mal assumirá o mandato e já será convocado pela CPI do Cachoeira como...

Suplente do ex-senador Demóstenes Torres, o empresário Wilder de Morais (DEM-GO) mal assumirá o mandato e já será convocado pela CPI do Cachoeira como testemunha para falar sobre a amizade e a ligação com Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, revela a coluna Panorama Político do GLOBO desta quinta-feira. Empresário e contraventor foram amigos até que sua ex-mulher, Andressa Mendonça, trocou-o pelo bicheiro. Integrantes da comissão acreditam, diz a nota, que ele pode ser uma “testemunha-bomba”.

Um dos homens mais ricos de Goiás, Wilder chegará hoje ao Senado já tendo que dar explicações sobre a omissão de boa parte de sua fortuna pessoal na declaração de bens que apresentou em 2010 à Justiça Eleitoral, como foi divulgado na quarta-feira pelo GLOBO.

Wilder, que também é secretário de Infraestrutura de Goiás e está filiado ao DEM, estará no Senado logo cedo, para uma reunião em que espera acertar com o presidente do partido, o senador Agripino Maia (DEM-RN), detalhes de sua posse. Com sua chegada, o DEM volta a ter cinco senadores.
Conversas telefônicas usadas pela Polícia Federal na Operação Monte Carlo mostram que Wilder está ganhando a cadeira no Senado graças à indicação de seu antigo padrinho e ex-amigo Carlinhos Cachoeira, o bicheiro que articulou para que ele fosse escolhido suplente de Demóstenes. Em sua declaração de patrimônio de 2010, Wilder disse ter apenas 15 das 24 empresas das quais é sócio. A fortuna declarada é de R$ 14,4 milhões.
— É bom que ele se explique sobre o fato de não declarar bens à Justiça Eleitoral, para não pairar nenhuma dúvida. O novo senador já tem assunto para seu primeiro discurso no Senado — cobrou o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), um dos autores da representação que levou à cassação de Demóstenes. — Mas não acho que seja o caso de representação.

Beba na fonte: Suplente de Demóstenes vai ser convocado para depor à CPI – O Globo.

Comentários

  • Luciano Buisine

    12/07/2012 #1 Author

    Se alguém pensa que com a saída de Demóstenes, o senado volta a ser limpo, engana-se. Venha quem vier, tem passado sujo. É o dógma dos políticos.

    Responder

  • pinna

    12/07/2012 #2 Author

    Começou mesmo. Será que não é só um começo ?

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *