Extermínio: Em apenas quatro horas, polícia mata 8 suspeitos na Grande SP

ANDRÉ CARAMANTE

A onda de violência iniciada há um mês na Grande São Paulo, quando policiais militares de folga passaram a ser alvo de atentados e mortos, teve um novo capítulo entre a noite de quinta e a madrugada de ontem: em quatro horas, oito suspeitos foram mortos por PMs em seis ocorrências.

Em todos os casos, a versão dos policiais para as mortes é a mesma: eles faziam patrulhamento, desconfiaram de veículos, deram ordem de parada e houve fuga, perseguição e tiroteio.

Em nenhuma das seis ocorrências, duas delas envolvendo a Rota, PMs se feriram.

Um dos mortos é suspeito de ter atirado contra uma base fixa da PM em Parelheiros, bairro da zona sul paulistana.

O saldo das mortes em quatro horas ficou bem acima da média diária registrada entre janeiro e maio deste ano no Estado, segundo a Corregedoria da PM -1,7 ao dia.

A letalidade policial no mesmo período, neste ano, subiu 4,5% em relação ao ano passado: 268 mortos contra 256 em 2011.

“Existe omissão por parte dos responsáveis pela Segurança Pública em São Paulo. Por isso, é difícil responder ao certo o que acontece atualmente. Mas é certo que a polícia está matando mais e isso pode indicar uma falta de controle dentro da PM. Estamos em um período do tudo pode”, disse Guaracy Mingardi, pesquisador da FGV e ex-diretor da Secretaria Nacional de Segurança Pública.

A recente onda de violência em São Paulo começou há um mês, após a morte de sete PMs na segunda quinzena de junho, todos de folga e em crimes com características de homicídios encomendados.

No período, 15 ônibus foram incendiados e cinco bases da Polícia Militar, atacadas.

Setores de inteligência das polícias investigam se mortes de PMs e de civis na Grande São Paulo, desde o mês passado, são consequência de uma guerra entre quadrilhas de traficantes, de policiais militares ou se foram encomendadas por integrantes da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital).

Na madrugada de quinta, seis homens encapuzados mataram oito pessoas em Osasco, também na Grande São Paulo. Nesse caso, a polícia trabalha com várias hipóteses -desde briga entre traficantes até o envolvimento de PMs.

Beba na fonte: Folha de S.Paulo – Cotidiano – Em apenas quatro horas, polícia mata 8 suspeitos na Grande SP – 14/07/2012.

Comentários

10 thoughts on “Extermínio: Em apenas quatro horas, polícia mata 8 suspeitos na Grande SP

  1. Prezado Pannunzio,

    Ó uma boa notícia para você dar destaque:

    http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,bandido-morre-apos-grupo-assaltar-mercado-e-fugir-com-refem-em-moema,900683,0.htm

    Infelizmente, a ação policial acima irá ser contabilizada como extermínio por você e pelos sociólogos de biblioteca, visto que em todos os textos que eu li os senhores criticam o número de bandidos mortos como se o aumento de mortes tivesse alguma correlação com atos ilegais. Trata-se de uma generalização injusta. Felizmente, os policiais do caso divulgado pelo Estadão não se sentiram intimidados com a crítica exagerada por parte da imprensa e cumpriram seu dever salvando a vida da vítima.

    O refém salvo dos marginais deve agradecer ao Governador do Estado de São Paulo, que num ato de coragem se pôs ao lado dos cidadãos. O bandido sempre tem de levar a pior quando desafiar a polícia!

    Mario.

    • Da mesma forma as vitimas desse genocídio deve atribuir ao governador a responsabilidade pelas mortes imotivasdas, é isso ? Como as do CompreBem e do Bar Barracuda, por exemplo.

    • Não, não devem atribuir, porque o recado do Governador foi claro: “Se enfrentar a polícia, vai levar a pior.”. Ou seja: a Polícia não deve acovardar-se diante dos criminosos, podendo até mesmo matá-los desde que haja justificativa para tanto.

      Mas, se as mortes foram imotivadas nos casos citados por você, os autores dos homicídios devem ser julgados e punidos.

      Mario.

  2. Pannunzio eu entendo que é responsabilidade do Ministério da Justiça a elaboração e coordenação junto aos Estados de um Plano Nacional de Segurança Publica. Penso que se existe algum Plano a sociedade deveria saber. Ou não tem? Não é possível que aumentar o numero de viaturas, informatização de sistemas se resumam ao um plano de segurança. Sequer falam da baixa qualidade de material humano nessa área. Penso que o Ministro deveria se manifestar a respeito das suas responsabilidades perante essa situação.

  3. Quando é que nossos políticos vão perceber que abarrotar as cadeias não funciona? Quando vão partir para um outro plano, que poderia ser melhorar a educação, levar lazer e atividades esportivas para as periferias, por exemplo? Algo diferente tem que ser tentado! Esse jogo de “gato-e-rato” não vai acabar nunca!

    • Calma que vai ter vaga para uns mensaleiros.
      Lá é que é lugar para eles.
      Sds.,
      de MarceloF.

  4. Morreram mais alguns bandidos e os defensores dos “direitos dos manos” ficaram tristinhos? Oh, que pena! Esperavam o quê? Infelizmente, enquanto uma infinidade de crianças pobres assistem diariamente pessoas trabalhando e só “se fodendo”, traficantes e bandidos “se dando bem”, desfilando de carrões e “comendo as boazudas” da comunidade, assistem pela TV bandidões de terno e gravata enfiando dinheiro na meia, na cueca, em todo lugar, dando desculpas esfarrapadas e rindo sarcasticamente, sendo filmados com a “mão na botija” e absolvidos pelo Congresso Nacional e pelo Supremo com direito a “dancinha” no plenário… O que querem? No que pensam que essas crianças vão se transformar um dia? Polícia é lixeiro da sociedade, mas não temos mais para onde levar o lixo: presídios superlotados que não recuperam ninguém, só pioram e retornam… Segurança pública é um sistema, polícia é apenas uma pequena parte… Mas esperavam o quê? Eu nunca concordei e não concordo com execuções! Não participei e prenderia qualquer um que tentasse! Mas vir agora posando de defensor sem assumir as responsabilidades? Parem de hipocrisia!

  5. matou 8 em quatro horas???????? o que fizeram no restante do tempo???? isso é como tentar esvaziar o mar com o dedal..
    não vamos conseguir nada assim…
    (para quem tem dificuldade em entender figuras de linguagem o que quero dizer é que se a justiça mantivesse presos os facínoras que a policia captura com muita dificuldade não seria preciso mata-los)

  6. A unica coisa em que direita e esquerda estão absolutamente de acordo em nosso país é na defesa da delinquência desenfreada…será o mesmo raciocínio do quanto pior melhor???
    Nesse caso ambos os lados vão perder porque já se sabe que quanto pior, pior…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *