Do G1. Meia hora depois de a Diretoria Geral do Senado convalidar a contratação de Henrique Dias Bernardes, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP) decidiu anular a...

Do G1.

Meia hora depois de a Diretoria Geral do Senado convalidar a contratação de Henrique Dias Bernardes, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP) decidiu anular a decisão. Bernardes é o suposto namorado da neta de Sarney, que havia sido nomeado por ato secreto. Segundo a assessoria de Sarney, a anulação foi para mostrar isenção do presidente do Senado no caso.

O caso de Bernardes era emblemático porque gravações atribuídas à Polícia Federal mostram o filho de Sarney, Fernando, falando sobre a contratação. A gravação mostraria o envolvimento do presidente do Senado na nomeação.

O Boletim Administrativo de Pessoal do Senado vai publicar nesta sexta-feira (28) a convalidação da nomeação e, na mesma edição, a exoneração de Bernardes.

Até agora, o Senado já decidiu manter no cargo 65 dos 79 nomeados por atos secretos, já excluindo Bernardes. Para manter os funcionários nos cargos, o Senado repassou a decisão aos próprios órgãos.

Pela decisão, caberia aos chefes dizerem se pediram a contratação, se o funcionário cumpre seus horários e suas obrigações e se desejavam mantê-los. Em entrevista ao G1, o diretor-geral, Haroldo tajra, havia dito que a maioria dos nomeados continuaria na Casa.

No dia 24 de julho, Bernardes disse ao G1 que não sabia que sua nomeação havia sido encaminhada por meio de ato secreto: “Sinceramente, não sabia”. Bernardes também afirmou que tem um currículo mais do que qualificado para a função que exerce no serviço médico do Senado, pela qual recebe R$ 2,7 mil. “Para a Casa, é um privilégio me ter como funcionário”, disse na época. 

Bernardes é formado em física pela Universidade de Brasília (UnB), tem pós-graduação em economia e contabilidade e ainda acumula experiência na iniciativa privada, onde já ocupou cargo de gerência na área de tecnologia da informação. “Desempenho com excelência todas as minhas tarefas”, reforçou.

Sobre seu desempenho na função no Senado, Bernardes recorre ao chefe para atestar sua competência e assiduidade no trabalho. “Se quiser, pode conversar com o diretor para comprovar”, disse.

O Senado chegou a anunciar no início do mês o bloqueio do salário dos 79 funcionários, mas a agilidade da regularização deve tornar a medida sem efeito em quase todos os casos.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *