Ele é sempre pontual e faz coleção de sessões plenárias em que esteve na presidência. Ao final dos discursos de senadores, não deixa de elogiar...

Ele é sempre pontual e faz coleção de sessões plenárias em que esteve na presidência.

Ao final dos discursos de senadores, não deixa de elogiar ou usar provérbios para fazer qualquer tipo de citação.

Mas não são apenas essas as peculiaridades que transformaram o sendor Mão Santa (PMDB-PI), na figura que ele é hoje.

Como bom piauiense, até o celular dele tem toques que caracterizam suas origens.

Agora há pouco, enquanto elogiava o colega Heráclito Fortes (DEM-PI), o telefone de Mão Santa tocou estridentemente no plenário.

A música? Um forró bem nordestino…

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *