‘A gente espera que a PM nos defenda, não nos mate’

“Não se aborda uma pessoa com um tiro”, afirmou a artesã Claudia Sacramento, 44, prima de Ricardo Prudente de Aquino.

Ela disse que a mulher da vítima, Lelia de Aquino, foi avisada pela Polícia Civil na madrugada de ontem de que seu marido teria se envolvido “num acidente de carro”.

Na delegacia, soube que ele já estava morto.

Folha – Como a família vê essa ação da polícia?
Cláudia Sacramento – Não se aborda uma pessoa com tiro, não é dessa forma que você tem que agir. Se quer parar [o carro], pode atirar num pneu, em qualquer coisa, não na cabeça para matar.
Não tem como receber [a notícia] de uma forma boa. A gente espera que a polícia que está aí fora defenda a gente e não nos mate. A conduta deles é a pior possível, não é a conduta de um ser humano que está aí e que eu pago para que ele me defenda.

O que a família espera?
Esperamos que a polícia possa punir esses policiais. É a única coisa, queremos justiça, porque amanhã pode ser o filho, o primo, o irmão de outras pessoas. Eu não gostaria que o policial agisse assim nem com um marginal nem com alguém que não tem passagem [pela polícia] e está apenas voltando para casa.

Beba na fonte: Folha de S.Paulo – Cotidiano – ‘A gente espera que a PM nos defenda, não nos mate’ – 20/07/2012.

Comentários

4 thoughts on “‘A gente espera que a PM nos defenda, não nos mate’

  1. Vão utilizar essas desgraças ocorridas para vender o peixe podre para os sem instrução, só maluco nestepaiz acredita e confia em alguma “otoridade”. Os paulistas não são privilegiados, vejam o que está acontecendo nos outros estados.

  2. Infelismente teremos que conviver com êste absurdo praticado por policiais em todo o país. Pessoas inocentes sendo assasinadas por elementos que deveriam nos defender. É o resultado claro da incompetência do estado em escolher quem de fato tem as qualidades necessárias para a função de policial, aliado a isso, o péssimo treinamento que são adminitrados em todas as PMs do Brasil. O resultado dessa deficiência, é levado às ruas e as famílias é quem sofrem.

    • Será que o povo de São Paulo que vota no PSDB vai enxergar a realidade, ou vai continuar achando que os “preparados” que ele elegeu não passam de uma falácia?
      Se o governador fosse petista, “incompetente” seria o mais suave dos adjetivos. Mas como é tucano, sabe como é… são as circunstâncias… a culpa é do povo… infelizmente é a realidade dos nossos dias… o que se há de fazer…?

    • Errata:
      Será que o povo vai enxergar E PERCEBER que os “preparados” não passam de falácia?
      (reescrevi a frase e esqueci de apagar o verbo)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *