FILIPE COUTINHO, ANDREZA MATAIS E RUBENS VALENTE A Polícia Federal encontrou sinais de sonegação fiscal na contabilidade da empresa de lobby do filho da ex-ministra da...

FILIPE COUTINHO, ANDREZA MATAIS E RUBENS VALENTE

A Polícia Federal encontrou sinais de sonegação fiscal na contabilidade da empresa de lobby do filho da ex-ministra da Casa Civil Erenice Guerra e detectou indícios de lavagem de dinheiro de envolvidos no caso.

Diante das suspeitas, decidiu abrir um novo inquérito, segundo o juiz do caso.

As descobertas surgiram ao longo do primeiro inquérito aberto para apurar o assunto. A nova apuração não tem como alvo a ex-ministra.

Essa primeira investigação foi arquivada pela Justiça Federal sob o argumento de que não ficou “comprovada a prática de qualquer ilícito”.

O juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, afirmou que, por força de lei, pouco poderia fazer além de arquivar o inquérito, uma vez que isso foi pedido pelo Ministério Público:

“Segundo a lei, o juiz não pode indeferir o pedido de arquivamento e dar continuidade às investigações”.

Na decisão que determinou o arquivamento, ele informa que a investigação da PF localizou “movimentações financeiras consideradas incompatíveis com os rendimentos declarados à Receita Federal” nas contas de Israel Guerra, filho de Erenice.

Ele é sócio da Capital Consultoria. A empresa intermediava contratos com o governo federal e cobrava uma “taxa de sucesso”. De acordo com a decisão do juiz, a PF apurou que a empresa “teria deixado de prestar informações sobre as rendas auferidas nos anos de 2009 e 2010”.

Esse período foi justamente o auge das negociações de Israel com empresários. Nessa época, Erenice foi secretária-executiva de Dilma na Casa Civil e, depois, a sucedeu.

Beba na fonte: Folha de S.Paulo – Poder – Polícia Federal abre nova investigação sobre caso Erenice – 26/07/2012.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *