ANDRÉ CARAMANTE e AFONSO BENITES Os três policiais militares acusados de matar o empresário e publicitário Ricardo Prudente de Aquino, 39, após uma perseguição no...

ANDRÉ CARAMANTE e AFONSO BENITES

Os três policiais militares acusados de matar o empresário e publicitário Ricardo Prudente de Aquino, 39, após uma perseguição no último dia 18 conseguiram um habeas corpus do Tribunal de Justiça de São Paulo.

Eles, porém, não serão libertados ainda porque respondem a outro processo no Tribunal de Justiça Militar.

“Amanhã de manhã vamos pedir a extensão do habeas corpus para o TJM. Esperamos que eles sejam soltos”, disse Márcio Gomes Modesto, um dos defensores dos PMs.

Pela decisão liminar do desembargador Willian Campos, do TJ, os policiais Robson Tadeu do Nascimento Paulino, 30, Luis Gustavo Teixeira Garcia, 28, e Adriano Costa da Silva, 26 não poderão voltar a atuar nas ruas.

Paulino, Garcia e Silva foram presos no dia 19, depois de matarem a tiros Aquino. Ele fugiu de abordagem da PM pelas ruas do Alto de Pinheiros (zona oeste).

O carro em que estava foi alvejado por ao menos sete disparos. Dois deles atingiram Aquino na cabeça.

Em sua defesa, os policiais dizem que confundiram o celular que Aquino segurava com uma arma.

Ontem à noite, os três policiais participaram da reconstituição do crime.

Dois dos policiais, o soldado Luis Gustavo Teixeira Garcia e o cabo Adriano da Costa da Silva, afirmaram que efetuaram os disparos na direção da vítima de dentro do carro da polícia.

Na reconstituição, apenas o soldado Robson Tadeu do Nascimento Paulino desceu do veículo e, depois, simulou ter atirado no empresário.

Para o defensor dos policiais, Aryldo de Oliveira de Paula, a ação de seus clientes foi correta e a vítima morreu porque fugiu da polícia.

Para o advogado da família de Aquino, Cid Vieira, “a atitude dos PMs foi temerária”.

O delegado Dejair Rodrigues, chefe da 3ª Seccional (zona oeste), afirmou que o inquérito será relatado hoje à Justiça. O laudo da reconstituição sairá em dez dias.

Beba na fonte: Folha de S.Paulo – Cotidiano – TJ dá habeas corpus a PMs envolvidos em morte de empresário – 27/07/2012.


  • Vivi

    27/07/2012 #1 Author

    Infelizmente o publicitário morreu, e só temos a versão dos policiais…

    Responder

  • jorge temer

    27/07/2012 #2 Author

    Ufa !!! está se fazendo justiça !
    Que isto sirva de lição aos maconheiros e baladeiros;
    Polícia mandou parar, PARE.
    Não porque vc vai correr risco de levar um tiro, mas, porque o trabalho policial tem que ser respeitado.

    Responder

Deixe uma resposta para jorge temer Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *