Menina leva tiro na cabeça em ação policial no Guarujá

Uma adolescente de 13 anos foi baleada na cabeça durante uma ação policial no Guarujá (a 86 km de São Paulo, na noite de anteontem.

Dois policiais militares do 21º Batalhão disseram à Polícia Civil que, durante um patrulhamento, foram recebidos a tiros ao entrar na favela Prainha. Testemunhas, porém, afirmaram que os PMs já chegaram atirando.

A estudante Noemi de Souza Rodrigues, 13, foi atingida na cabeça. A bala não perfurou o crânio da menina. Ela foi levada a um pronto-socorro e recebeu alta horas depois.

“Falta preparo para esses policiais. Minha filha poderia ter morrido”, disse a auxiliar de limpeza Iracema de Souza, 29, mãe de Noemi.

Na favela, os PMs apreenderam um revólver, uma pistola e 660 gramas de maconha.

Beba na fonte: Folha de S.Paulo – Cotidiano – Menina leva tiro na cabeça em ação policial no Guarujá – 28/07/2012.

Comentários

4 thoughts on “Menina leva tiro na cabeça em ação policial no Guarujá

  1. Alguém se lembra do “noticias populares”? Dizem que saia sangue se fosse torcido…

    Agência Brasil – Em mais uma operação do Batalhão de Operações Especiais (Bope) para prender os criminosos que atacaram a base da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Nova Brasília, no Complexo de Favelas do Alemão, zona norte da capital fluminense, uma menina de 11 anos, acabou morrendo, atingida por uma bala perdida, no Morro da Quitanda, em Costa Barros, onde estariam escondidos suspeitos do ataque à UPP. No local, os policiais militares entraram em confronto com homens aramados.

    Bruna da Silva Ribeiro foi alvejada por um tiro de fuzil na barriga. A menina foi socorrida em uma uma Unidade de Pronto-Atendimento e depois transferida para o Hospital Carlos Chagas, em Marechal Hermes, onde morreu no fim da noite de ontem (28).

    Revoltados, os moradores do Morro da Quitanda, que fica ao lado do Morro da Pedreira, também em Costa Barros, depredaram quatro ônibus urbanos e atearam fogo em pneus, interditando a Avenida Martir Luther King Jr, que corta a comunidade.

    Dois fuzis usados por policiais do Bope foram apreendidos pela Polícia Civil para a perícia fazer o teste de balística para saber se o tiro saiu das armas dos policiais. A Polícia Militar (PM) divulgou nota manifestando pesar pela morte da menina. “Um a corporação que prima pela proteção à vida não poderia ficar insensível à perda de uma criança, ainda mais na mesma semana em que também foi vítima a soldado Fabiana, primeira mulher a morrer num confronto na história da PM”.

    O corpo de Bruna será enterrado na tarde hoje no Cemitério de Irajá, na zona norte da cidade.

    • Por que a insistência em desviar o assunto para outro lugar?
      Houve um tempo – bem recente – em que se sabia mais do que acontecia no Rio do que em São Paulo. São Paulo parecia nem existir. Agora que a coisa está estourando, fazem de tudo para silenciar.
      Essa turma que gosta de ser enganada e iludida é um atraso!

    • “Agora que a coisa está estourando”???
      Essa “coisa” seriam as eleições???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *