A presença da ex-ministra Marina Silva na cerimônia de abertura da Olimpíada de Londres causou mal estar entre os ministros do governo de Dilma...

A presença da ex-ministra Marina Silva na cerimônia de abertura da Olimpíada de Londres causou mal estar entre os ministros do governo de Dilma Rousseff. A participação pegou a todos de surpresa.

Marina entrou carregando a bandeira com os anéis olímpicos juntamente com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, o maestro argentino Daniel Barenboim e prêmios Nobel. O convite partiu do Comitê Olímpico Internacional, sem o conhecimento do governo brasileiro, e foi mantido em sigilo. A ex-ministra é reconhecida internacionalmente por seu trabalho de defesa do meio ambiente.

A situação cria constrangimento porque Marina não tem boas relações com Dilma Rousseff e acabou encobrindo a presença da presidente do próximo país-sede da Olimpíada na cerimônia de abertura de Londres, ontem. “Marina sempre teve boa relação com as casas reais da Europa e com a aristocracia europeia”, disparou o ministro do Esporte, Aldo Rebelo, adversário político de Marina na polêmica do Código Florestal. “Não podemos determinar quem as casas reais escolhem, fazer o quê?”

O presidente da Câmara, Marco Maia, disse que a primeira reação foi de surpresa. Para ele, o COI deveria ter feito um melhor trabalho de comunicação com o governo brasileiro. “É óbvio que seria mais adequado por parte do COI e da organização do evento que houvesse um diálogo de forma mais concreta com o governo brasileiro para a escolha das pessoas”, disse, sem deixar de reconhecer a importância do trabalho ambiental de Marina.

Para outro membro da delegação, que pediu para não ser identificado, o que o COI fez foi o equivalente a convidar um membro da oposição britânica para um evento no Brasil que tenha o governo de Londres como convidado especial.

Ao Grupo Estado, Marina explicou que só recebeu o convite na ultima terça-feira, dia 24. Sobre Dilma, insistiu em não criar polêmica, dizendo que “sentia orgulho” em ver a primeira presidente mulher do país na arquibancada do estádio olímpico.

Ontem, Dilma foi mostrada pelas câmeras oficiais por menos de cinco segundos, enquanto a entrada de Marina foi amplamente comentada, como representante da luta ambiental no mundo. O ministro do Turismo, Gastão Vieira, só ficou sabendo da presença de Marina já no Estádio Olímpico. “Foi surpresa”, disse o ministro da Ciência, Marco Antonio Raupp.

Beba na fonte: Marina Silva causa mal estar entre ministros em Londres – politica – politica – Estadão.

Comentários

  • Vivi

    30/07/2012 #1 Author

    Para a mídia golpista, foi um mal estar. Só porque ela quis.
    Para os ministros foi apenas e claramente uma surpresa, pois o convite fora mantido em segredo.

    Responder

  • euripedes

    30/07/2012 #2 Author

    Marina Silva, merece sim essa grande homenagem, ela é mais capacitada para falar de meio ambiente que qualquer outro grasileiro.

    Responder

  • The Final Cut

    29/07/2012 #3 Author

    PC do B, antiga sucursal de paus mandados do PC da URSS.

    O PC do B é aquele partido que enviou jovens idealistas para morrer em uma guerra na selva (Araguaia) – uma guerra perdida antes mesmo de iniciar.

    É partido que se propõe a resolver problemas antigos com soluções mais antigas ainda. Soluções que a História já provou por A + B que falharam, não funcionam.

    É aquele partido que emite nota de pesar em seu site oficial quando o ditador Coréia do Norte bate as botas.

    A reação do governo frente a MERECIDA homenagem do COI a Marina mostra a PULSANTE VEIA STALISTA petista.

    É preciso explicar a essa gente do PT e do PC do B, que a Marina Silva quando ministra do LULA já era internacionalmente conhecida COMO UMA DAS 10 PESSOAS QUE PODIAM AJUDAR A SALVAR O PLANETA.

    Portanto essa homenagem não não CAIU DO CÉU. Foi MÉ-RI-TO.

    Também é preciso explicar a este deputado petista que diferente da democracia brasileira a democracia no Reino Unido é muito evoluída e que tal fato JAMAIS geraria tanto constrangimento.

    E que o COI não deve satisfação alguma sobre suas decições em uma olimpiada EM OUTRO PAIS. Quando a OLIMPIADA for aqui, em 2016, o governo daqui poderá se pronunciar sobre o caso.

    Responder

  • pinna

    29/07/2012 #4 Author

    Comentei antes dos pronunciamentos : ” o que ela estava fazendo lá”; hoje, pergunto… e o Lulinha não ficou com inveja não ?
    Tenham dó.

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *