Parentes e amigos de empresário morto por PMs fazem protesto

Cerca de 400 pessoas se reuniram no parque Ibirapuera (zona sul), ontem de manhã, para protestar contra morte do empresário e publicitário Ricardo Prudente de Aquino, 39. No dia 18, ele foi morto por PMs após perseguição no Alto de Pinheiros, zona oeste.

A manifestação foi organizada pela família da vítima, criadora do movimento “Quero Mais, Quero Paz”. “Ficamos indignados com a soltura dos policiais que executaram friamente o Ricardo”, afirmou a irmã dele, Fernanda Aquino.

“Principalmente por causa dos indícios de adulteração da cena do crime”.

A viúva do empresário, Lelia Pace de Aquino, 34, atribuiu à falta de preparo psicológico e técnico a abordagem feita pelos policiais. A irmã pediu uma reforma profunda na PM.

Com o rosto do empresário estampado nas camisetas, o grupo partiu da Oca e andou até a praça da Paz cantando a canção “Eu Quero Apenas”, de Roberto Carlos.

Ao menos sete disparos foram feitos pelos PMs -todos de curta distância, conforme perícia preliminar. Os PMs disseram ter confundido o celular de Aquino com uma arma.

O empresário voltava para casa de carro quando, diz a polícia, ignorou a ordem para parar. Dois soldados e um cabo foram presos e indiciados sob suspeita de homicídio doloso. O advogado deles, Fernando Capano, disse que, apesar do desfecho “trágico”, eles agiram corretamente, já que Aquino ignorou a ordem.

Beba na fonte: Folha de S.Paulo – Cotidiano – Parentes e amigos de empresário morto por PMs fazem protesto – 30/07/2012.

Comentários

2 thoughts on “Parentes e amigos de empresário morto por PMs fazem protesto

  1. Prezado Pannunzio,

    “Não creio. É uma Polícia Militar excelente. É esse o conceito que eu tenho dela.” (Gal. Adriano Pereira Júnior, Comandante Militar do Leste, ao responder sua pergunta que o induzia a dizer que haveria política de extermínio em SP)

    Por que a playboyzada e a imprensa não divulgam com a mesma ênfase a falta de vagas em creches na cidade de São Paulo? Porque aí, sim, estaremos falando de um problema sistemático, e não de um fato incomum.

    Política de extermínio contra os miseráveis é a que a imprensa, o Procurador estrela e a Defensora petista pretendem para São Paulo: legalização do porte de drogas, refreamento da atuação policial e extinção da Polícia Militar (unificação das Polícias). Esta é a política dos narcotraficantes que ganhariam mão de obra barata e consumidores (todos pobres em sua maioria). Política criminosa!

    Evidentemente, um homem como o Gal. Adriano jamais a apoiaria e jamais daria uma declaração em favor dela, visto que ele dedica a vida dele para defender a vida dos brasileiros.

    Mario.

  2. os pequenos burgueses estão cobrando “preparo técnico e psicológico” dos PMs que são sua ultima linha de defesa na guerra civil não declarada e não reconhecida que se estabeleceu no país. Se os 50.000 brasileiros mortos de modo violento por brasileiros, ao ano atualmente não for uma guerra civil não se sabe o que possa ser não é? Sem falar nos outros 50.000 que são mortos com sua arma mais letal, sua viaturas compradas a prestação com os juros mais altos do mundo. O grotesco não tem limites em nossa terra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *