A delegada Marta Vargas, que chefia a investigação dos crimes ocorridos no apartamento do advogado José Guilherme Villela, acredita que as mortes podem ter...

A delegada Marta Vargas, que chefia a investigação dos crimes ocorridos no apartamento do advogado José Guilherme Villela, acredita que as mortes podem ter ocorrido na sexta-feira passada. A suspeita decorre das primeiras informações colhidas no prédio onde o advogado morava.

O porteiro de plantão esta noite informou que viu o advogado pela última vez na quinta-feira, 27. Nenhum dos vizinhos ouvidos até agora diz ter notado qualquer anormalidade na rotina do condomínio. E há informações de que José Guilherme esteve em seu escritório na sexta, 28. As mortes teriam acontecido na noite da sexta.

Além do advogado, foram mortos Maria Villela, esposa dele, e a empregada Francisca, sobre quem se sabe apenas o prenome. Não há nenhuma hipótese que possa explicar as três mortes.

José Guilherme era uma homem que gozava de boa reputação e, pelo menos aparentemente, não tinha inimigos.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *