Vera Rosa, Felipe Recondo e Mariângela Galucci O ministro do Supremo Tribunal Federal José Antônio Dias Toffoli vai participar do julgamento do mensalão, que...

Vera Rosa, Felipe Recondo e Mariângela Galucci

O ministro do Supremo Tribunal Federal José Antônio Dias Toffoli vai participar do julgamento do mensalão, que começa na quinta-feira, 2, e deve durar mais de um mês. Em conversas reservadas, Toffoli disse não ver motivos para se declarar impedido. Acrescentou que a pressão para ficar de fora só o estimulou a atuar no caso.

Veja também:
FHC diz que julgamento do mensalão mudará cultura política brasileira
Presidente do TSE arquiva pedido para adiar o julgamento do mensalão
Vaccarezza acha bom julgamento de mensalão agora
Advogado de Jefferson insistirá na inclusão de Lula no processo do mensalão
Curta nossa página no Facebook

André Dusek/AE
Toffoli, ministro do STF participará do julgamento do mensalão
Amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para quem também não há motivos de impedimento, e do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu – apontado pelo Ministério Público como “chefe da quadrilha” do mensalão –, Toffoli construiu sua carreira jurídica dentro do PT. Ele foi advogado do partido – destacando-se na liderança petista na Câmara dos Deputados nos anos 1990, e na consultoria de campanhas eleitorais –, assessor jurídico da Casa Civil quando o ministro era Dirceu e advogado-geral da União do governo Lula.

Antes de assumir a cadeira no Supremo, Toffoli também atuou como advogado do próprio Dirceu em algumas ocasiões. Até 2009, ele era sócio no escritório da advogada Roberta Maria Rangel, hoje sua namorada, que defendeu outros acusados de envolvimento no mensalão, como os deputados Professor Luizinho (PT-SP), então líder do governo, e Paulo Rocha (PT-PA).

Indicado para assumir a presidência do Tribunal Superior Eleitoral em 2014, Toffoli se diz contrariado com as dúvidas lançadas sobre sua isenção – questionamentos são feitos desde que tomou posse no STF em 2009. “Eu já estou participando desse processo. Não vou sair de jeito nenhum”, disse o ministro, segundo relato de um interlocutor.

Toffoli já analisou, por exemplo, recursos de advogados de defesa dos réus nessa fase anterior ao início do julgamento de fato.

Sinalização. O presidente do STF, Carlos Ayres Britto, afirmou na segunda-feira, 30, que a participação do colega na análise de questões relativas ao processo do mensalão indica que ele não vai se declarar impedido. “Não me compete opinar sobre nada, se ele vai ou se não vai (julgar o mensalão), e não quero ser mal interpretado. Agora, isso (participar de etapas anteriores) sinaliza participação. Sem dúvida”, disse na segunda em Brasília o presidente do Supremo.

Não há pressão na Corte para que ele não julgue o caso. Nos bastidores, os comentários são de que o Supremo é movido “por espírito de corpo” e, portanto, outros integrantes da Corte, também com ligações políticas, poderiam ser alvos de suspeição e sofrer o mesmo constrangimento caso Toffoli fique fora.

Beba na fonte: Com apoio de Lula e aval de colegas do STF, Toffoli vai julgar mensalão – politica – politica – Estadão.

Comentários

  • Silvio Conde

    01/08/2012 #1 Author

    Pannunzio, na hipótese de ser arguido o impedimento de Dias Toffoli pelo Procurador Geral, como fica a Corte, uma vez que teremos número par de julgadores? Ou não tem importância?

    Responder

  • Mario

    01/08/2012 #2 Author

    Veja a pizza de quatro queijos que está saindo:

    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,petistas-ja-discutem-perdao-para-dirceu,908890,0.htm

    Espero que queime!

    Mario.

    Responder

  • Marcjaguar

    01/08/2012 #3 Author

    OK….OK…..

    Vai comecar o julgamneto…..
    Eh como se um jogo de futebol jah comecasse com o placar de 1×0 para um dos times.
    Quadrilha dos Mensaleiros 1 x Brasil 0 😛

    Abraco, Pannunzio!

    Responder

  • Maria

    31/07/2012 #4 Author

    Mas, não foi para isso que este advogado foi colocado lá ?

    Alguem tem dúvida, qual será o seu voto?.

    BraZil ….Zil…Zil…Zil… !!!

    Responder

  • Osvaldo A Usmari

    31/07/2012 #5 Author

    Ele está impedido sim de acordo de acordo com artigo 134 e 135 da justiça civil.
    Se for brasileiro e respeitar a constituição , ele tem o dever cívico de se retirar do julgamento.

    Responder

  • Lúcio Wanderley

    31/07/2012 #6 Author

    Uma palavra pra descrever esse caso: VERGONHA!

    Responder

  • Luiz Roberto Salgado

    31/07/2012 #7 Author

    O Ministro Toffoli não deveria participar do julgamento da Açao Penal 470. Dada a importancia desse julamento, ficaria mais elegante e causaria menos constrangimento a seus pares se percebesse que a sociedade brasileira o considera moral e politicamente impedido, dadas suas relações de proximidade com o Sr. Dirceu. Poderá julgar, mas seu voto será visto como imparcial. Menos importante ainda é o aval de Lula …

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *