TIM derruba sinal de propósito, diz Anatel

ESTELITA HASS CARAZZAI

Relatório da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) acusa a TIM de interromper de propósito chamadas feitas no plano Infinity, no qual o usuário é cobrado por ligação, e não por tempo.

A agência monitorou todas as ligações no período, em todo o Brasil, e comparou as quedas das ligações de usuários Infinity e “não Infinity”.

A conclusão foi que a TIM “continua ‘derrubando’ de forma proposital as chamadas de usuários do plano Infinity”. O documento apontou índice de queda de ligações quatro vezes superior ao dos demais usuários no plano Infinity -que entrou em vigor em março de 2009 e atraiu milhares de clientes.

O relatório, feito entre março e maio, foi entregue ao Ministério Público do Paraná.

“Sob os pontos de vista técnico e lógico, não existe explicação para a assimetria da taxa de crescimento de desligamentos [quedas de ligações] entre duas modalidades de planos”, diz o relatório.

O documento ainda faz um cálculo de quanto os usuários gastaram com as quedas de ligações em um dia: no dia 8 de março deste ano, afirma o relatório, a operadora “derrubou” 8,1 milhões de ligações, o que gerou faturamento extra de R$ 4,3 milhões.

Durante as investigações, a TIM relatou ao Ministério Público que a instabilidade de sinal era “pontual” e “momentânea” (leia texto nesta página).

A operadora citou dados fornecidos à Anatel para mostrar que houve redução, e não aumento, das quedas de chamadas -as informações, no entanto, foram contestadas no relatório da agência.

A Anatel afirma que a TIM adulterou a base de cálculos e excluiu do universo de ligações milhares de usuários com problemas, para informar à agência reguladora que seus indicadores estavam dentro do exigido.

A agência afirma, por exemplo, que a operadora considerou completadas ligações que não conseguiram linha e cujos usuários, depois, receberam mensagem de texto informando que o celular discado já estava disponível.

NOVA PROIBIÇÃO

Com base nos dados, o Ministério Público do Paraná pede a proibição de vendas de novos chips pela TIM no Estado, o ressarcimento de consumidores do plano Infinity no Paraná por gastos indevidos e o pagamento, pela empresa, de indenização por dano moral coletivo.

A TIM já havia sido suspensa no Estado no final de julho, quando a Anatel proibiu as vendas de novos planos das operadoras com maior índice de reclamação em cada Estado. Além do Paraná, onde o índice era de 26,1 reclamações a cada 100 mil clientes, a operadora obteve o pior resultado em 18 unidades federativas.

Beba na fonte: Folha de S.Paulo – Mercado – TIM derruba sinal de propósito, diz Anatel – 07/08/2012.

Comentários

3 thoughts on “TIM derruba sinal de propósito, diz Anatel

  1. Que absurdo isso! O pior é saber que nesse período eu utilizava a TIM em SP e sempre tive a certeza que eles cortavam ligações. Que eles fazem isso no resto do Brasil é um fato! Agora, será que só no Brasil? Ou isso é uma política mundial?

    Vale sempre o ditado: quando a esmola é demais, o santo desconfia.

    Abraço.

  2. O governo federal montou um esquema de demonização de setores privados de forma articulada e sistêmica.

    Planos de Saúde, bancos e agora as telefônicas.

    Parece que o governo federal virou um gigantesco Procon, se metendo em relações privadas.

    Primeiro, o governo federal não cumpre suas funções mais básicas, no entanto gasta energia e recursos em atacar as empresas privadas.

    Segundo, nenhum dos setores é essencial – Ok, saúde é essencial, mas existe o SUS não é? (que segundo o Lula é modelo para todo o mundo).

    Mas ao invés de implementar um serviço público de saúde de qualidade, o governo só faz se intrometer nos planos privados, exigindo cada vez mais tratamentos, tolerâncias e exigências burocráticas e porconseguinte encarecendo-os.

    Agora é a telefonia celular.

    Caramba, telefonia celular não pode ser tema prioritário de governo. Quer se comunicar? use os Correios, que segundo o governo é formidável e nunca está em greve e gasta bilhões em publicidade.

    A Petrobrás teve prejuízo no segundo trimestre do ano. Como alguém consegue ter prejuízo no mercado petrolífero e ainda mais com monopólio? Ainda assim a petrobrás continua a torrar bilhões em publicidade.

    Creio que o governo federal deveria priorizar seus contribuinte e não os consumidores.

  3. Revoltante é ter esse dado confirmado e saber que nenhuma providência vai ser tomada… O camarada rouba (sei que é errado, mas não vejo muita diferença) um pacote de biscoito com um pote de manteiga (fome) e vai para a cadeia, a TIM rouba milhões (ganância mais a certeza de impunidade) e vai ficar por isso mesmo!!! E ninguém vai preso… (afinal estamos no Bra$il!!!)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *