O primeiro dia da defesa dos réus no julgamento do mensalão foi longo. E a noite também. Depois de defenderem José Dirceu e José...

O primeiro dia da defesa dos réus no julgamento do mensalão foi longo. E a noite também. Depois de defenderem José Dirceu e José Genoino no Supremo Tribunal Federal (STF), os advogados José Luiz de Oliveira Lima e Luiz Fernando Pacheco estiveram, na noite desta segunda-feira, no tradicional restaurante Piantella, reduto de políticos em Brasília. Mas quem roubou a cena foi o senador cassado Demóstenes Torres, que também apareceu por lá. Ele foi ao piano bar e cantou duas músicas.

Primeiro, interpretou “Minha namorada”, de Vinicius de Moraes. Leu a letra em seu iPad. Voltou à mesa, esperou um pouco, e arriscou novas notas. Dessa vez, pediu ao pianista a harmonia de “Let me try again” (Me deixe tentar novamente), famosa na voz de Frank Sinatra. Leu a letra, agora, diretamente de seu smartphone. Ele havia saído de Goiânia no fim da tarde e foi a Brasília encontrar seus advogados. Um deles, o Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, é sócio do Piantella. Depois da cantoria, às 23h em ponto, Demóstenes deixou o salão. Kakay, que defende Duda Mendonça no julgamento do mensalão, ficou até o fim, por volta de 1h.

Animado, Pacheco, que mais cedo havia admitido nervosismo ao defender Genoino no plenário do STF, pediu que o pianista tocasse o tema principal da trilha sonora do filme “O Poderoso Chefão”. Depois da música, agradeceu com um “grazie”, em italiano.

O último a chegar, José Luiz de Oliveira Lima ainda estava acelerado com o dia agitado.
— Ainda não consegui relaxar, não entendo como o Kakay consegue ficar como está — disse, citando o colega que passeava de um lado para outro do restaurante.

Beba na fonte: Demóstenes Torres canta para advogados do mensalão – O Globo.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *