Derrapadas do MP

Fernando Rodrigues

É impossível prever os veredictos do Supremo Tribunal Federal para os 38 réus do mensalão, mas vai ficando claro nos bastidores da corte que pode haver mais condenações do que absolvições entre os acusados ilustres.

Se for condenado o réu mais famoso e midiático, José Dirceu, será relegado a um segundo plano o trabalho defeituoso do Ministério Público durante o atual processo.

Os procuradores da República têm sido incensados nas últimas décadas. Suas ações produzem um efeito profilático. O saldo tem sido muito mais positivo que negativo. Só que a instituição não se moderniza na mesma proporção do poder recebido pós-Constituição de 1988.

Já há algum tempo é possível notar em parte do MP uma certa falta de destreza combinada com, é duro dizer, preguiça na hora de conduzir determinadas investigações. Todos sabem que o ex-presidente Fernando Collor se salvou na Justiça beneficiado pela inépcia da denúncia apresentada contra ele.

Agora, constata-se, a denúncia do mensalão está cheia de buracos. Não aparece ali uma compilação do conteúdo e do número de e-mails trocados por José Dirceu e por suas secretárias e assessores com personagens como Delúbio Soares e Marcos Valério. Por que essa estatística não consta peça da acusatória? Porque até onde se saiba nunca houve pedido de quebra de sigilo telemático -nome técnico dado à troca de mensagens via internet.

É uma pena que os procuradores tenham se baseado, no caso de alguns réus, só em depoimentos. No século 21, há inúmeros recursos disponíveis para conduzir boas investigações. Mas exigem menos retórica e muito mais trabalho duro.

Último registro. Executivo, Legislativo e Judiciário divulgam seus salários. O Ministério Público continua mudo e não abre os seus dados.

Beba na fonte: Folha de S.Paulo – Opinião – Derrapadas do MP – 08/08/2012.

Comentários

2 thoughts on “Derrapadas do MP

  1. DERRAPADAS UMA PINOIA:

    a) Fazendo perguntas regimentais, objetivas e técnicas, ministro Joaquim Barbosa desmonta defesa de Pizzolato e complica a situação de muitos outros réus.
    —————————————————————————————————————–
    b) O advogado de José Dirceu aceitou o pressuposto do procurador-geral da República da elaboração do relato tomando como base forte as provas testemunhais.
    Portanto, têm-se até agora duas versões. Preparadas a partir de óticas distintas, ambas baseadas em fatos aceitos pelas partes: a necessidade de o PT fazer “caixa” após a eleição de 2002, os empréstimos bancários tomados por intermediação de agência de publicidade, os repasses em espécie a petistas e associados.
    Narrativa por narrativa, a da acusação tem começo, meio e fim, mas a da defesa não “fecha”.

    Desconstrução factual, por Dora Kramer

  2. Pronto, agora começou a armação ilimitada para desestabilizar o MP, essa mesma mídia, muitas das vezes sem nenhum “INDÍCIO” de culpa começa uma grande guerra difamatória contra qualquer pessoa agora se mostra a dona da verdade, desse jeito nem será preciso que os advogados dos réus espalhem todos os tipos de boatos sobre a performance da PGR nas acusações contra os referidos réus, o que se espera de um verdadeiro jornal é simplesmente a verdade e não pender pra esse ou aquele lado, desde que o mensalão veio a tona, o Lula ora negando a veracidade da notícia, ora se dizendo traido pelos mensaleiros e outra hora dizendo não saber de nada, apesar de tudo isso a imágem do ex presidente só tem crescido junto a opinião pública, mas apesar desse vergonhoso fenômeno, nenhum jornal tentou desenrolar esse nó, nenhum jornal até hoje teve a corágem de questionar a ausência de Lula na lista de acusados, ou então os 80% que acham êle um santo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *