Ricardo Chapola – O Estado de S. Paulo A candidata do PPS à prefeitura Soninha Francine denunciou nesta quarta-feira ,15, um suposto esquema Câmara Municipal de...

Ricardo Chapola – O Estado de S. Paulo

A candidata do PPS à prefeitura Soninha Francine denunciou nesta quarta-feira ,15, um suposto esquema Câmara Municipal de receber propina para aprovar projetos na casa. Durante a sabatina da Folha/UOL a ex-vereadora contou um episódio em que um político prometera 120 cargos na Prefeitura a um parlamentar em troca de votos. Ela não quis revelar o nome do vereador a quem foi feia a oferta.

JF Diorio/AE

Soninha quer criar bolsões de estacionamento perto das estações do Metrô
“Claro que dá pra comprar vereador. Já soube que fulano estava pedindo 120 cargos diversos na Prefeitura”, disse Soninha. Ela revelou também que as negociações ocorriam diretamente em forma de dinheiro.

“Nenhum projeto passa na Câmara sem passar por acordo prévio. Tudo é acordo. Cada projeto aprovado foi acordado antes numa reunião com um colégio de líderes. Na pior das hipóteses, essa troca é feita em forma de dinheiro”, explicou.

Soninha insinuou que o esquema de pagamento de propina ocorreu na Câmara sob a conivência do atual prefeito da capital, Gilberto Kassab (DEM). “Quando o governo tem muita facilidade em aprovar projeto, acende a luz amarela”. Ela acusou o prefeito de ser menos proativo no combate à corrupção.

A candidata também sinalizou que vai implantar, se eleita prefeita, o pedágio urbano. Ela argumentou que se trata de uma medida para coibir o uso “supérfluo” de automóveis. O sistema seria instalado para controlar o fluxo de carros no centro da cidade e custaria ao motorista cerca de R$ 3 diários.

“É uma das medidas para coibir o uso supérfluo de automóveis. Para mim, poderia ser até a taxa do ônibus, R$ 3. Não proíbe ninguém de circular e tem a vantagem adicional de arrecadar recursos para o transporte público. Seria uma coisa muito bem vinda porque diminuiria a tarifa de ônibus”, afirmou a candidata do PPS.

Outra medida defendida por ela para solucionar problemas do trânsito é a construção de estacionamentos próximos às estações do Metrô. Soninha criticou Kassab, que propõe criar bolsões subterrâneos na região central. “Não temos espaços e não vai haver. Precisamos escalonar e restringir o tráfego de veículos. Muitas vezes o uso do carro é abusivo, indevido e compulsivo”, disse.

Beba na fonte: Soninha denuncia esquema de propinas na Câmara dos Vereadores | Eleições 2012 | Estadão.com.br.

Comentários


Sem comentários ainda.

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *