Biógrafo de Dirceu diz que todos usam caixa dois

O jornalista Fernando Morais, que escreve a biografia do ex-ministro José Dirceu, disse que o petista, réu no mensalão, deveria fazer sua própria defesa no STF (Supremo Tribunal Federal). Segundo o escritor, o julgamento é político, e não jurídico.

“Dirceu, que é o personagem mais importante [entre os 38 réus do processo], não está sendo julgado pelo mensalão, mas pelo que ele foi ao longo da vida. O que está sendo julgado aí é o PT, é o governo Lula”, disse o escritor à Folha, anteontem.

Morais concorda com a tese de alguns dos advogados, como o do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, de que o que ocorreu foi um esquema de caixa dois para pagar dívidas da campanha, e não compra de apoio político.

“Até os paralelepípedos da Barra Funda sabem que todas as campanhas políticas do Brasil são feitas com caixa dois”, disse Morais, que já foi deputado estadual pelo PMDB nos anos 1980.

O escritor admite já ter cometido o crime eleitoral. “Você ia buscar dinheiro nos grandes comitês, dinheiro que era dado para os candidatos em sacos de dinheiro, pacotes, envelopes”, relata.

“É um crime eleitoral, não é penal. O que querem provar, não sei se vão conseguir, é que se usou dinheiro público. Acredito que não houve.”

Morais afirma não ter qualquer motivo de natureza “pessoal, ideológica ou política” para defender os réus. Em 2005, ele testemunhou em defesa de Dirceu no Conselho de Ética da Câmara.

Autor dos livros “Chatô” e “Olga”, Morais produz hoje as biografias de Dirceu, do senador Antonio Carlos Magalhães (morto em 2007) e do ex-presidente Lula –projeto que foi interrompido por conta do tratamento contra o câncer, mas que já foi retomado.

“O [livro] do Dirceu parou. Fui a Cuba com ele, visitar lugares onde ele foi treinado. Mas aí veio a cassação, veio o mensalão, o processo. E não tinha muito sentido tocar um projeto com o cara preocupado com a defesa dele.”

Beba na fonte: Folha de S.Paulo – Poder – Biógrafo de Dirceu diz que todos usam caixa dois – 16/08/2012.

Comentários

6 thoughts on “Biógrafo de Dirceu diz que todos usam caixa dois

  1. Olá Pannunzio;
    É que no Brasil os esquerdistas estão malucos, esse escritor mesmo fala que Cuba é a ilha da fantasia, tudo lá funciona, enfim que valor tem um cara que pensa isso? Para mim ele é uma pessoa que na psicologia é classificado como alguém que “não testa a realidade”, ou seja ele cria realidades paralelas e nelas vive, mas o incrivel é que ele é considerado um “pensador” entre os esquerdisitos de plantão em boa parte da mídia beasileira.
    Para mim ele deveria estar era internado naqueles hospícios onde o mais normal comia merda, pois lá eu acredito que ele iria ser o fornecedor de matéria prima para a galera com sua profusa e confusa obra literária.

  2. sic – Morais afirma não ter qualquer motivo de natureza “pessoal, ideológica ou política” para defender os réus.

    Acredito.

    Perguntem também ao Coelhinho da Pascoa e ao Saci Pererê para ver se eles não confirmam !

    Falando sério: é um descalabro o Marais afirmar algo assim. Para tanto, basta ler Olga e A Ilha. Terão contato direto com a ideologia do autor. Que nada mais é um comunismo das antigas – se é que podemos dizer que existe comunismo renovado …

  3. Ora, se todos fazem, tudo deve estar Ok.

    Um monte de gente rouba carros, então pela lógica do “inteliquitual”, não se deve punir ladrões de carros.

    È a lógica petralha a todo vapor.

  4. Até os paralelepípedos da Barra Funda sabem que política no Brasil sempre foi feita com muita CORRUPÇÃO.

  5. É muito corajoso o sr. Morais de publicar uma coisa como esta. Parece apresentar-se como oportunista e comercial, uma vez que depende, sua carreira, de recursos dos biografados. Ficou muito feio.

  6. Este babaovo de tiranos não deveria medir os outros pela sua régua suja.
    E o din din era publico. Era meu, seu, te todos nosotros otários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *