O julgamento do mensalão no Supremo Tribunal Federal e a CPI do Cachoeira travaram a arrecadação do PT para as eleições municipais de outubro,...

O julgamento do mensalão no Supremo Tribunal Federal e a CPI do Cachoeira travaram a arrecadação do PT para as eleições municipais de outubro, disse ontem o presidente do partido em São Paulo, Edinho Silva.

A dificuldade para obter doações foi debatida em reunião da cúpula do partido com o ex-presidente Lula.

Segundo Edinho, o ambiente criado pela investigação dos dois escândalos -ambos ligados a esquemas de financiamento ilegal de campanhas políticas- levou insegurança ao empresariado.

O petista negou ligação entre a seca financeira e a crise mundial. “Ao contrário, a economia do Brasil está indo muito bem. Existe uma situação, por conta deste ambiente político que o país vive, talvez uma certa insegurança do empresariado”, disse.

“Estamos com uma CPI em andamento e com um processo de julgamento [do mensalão] em andamento. Evidente que não é um ambiente de tranquilidade na política.”

O presidente estadual do partido ressalvou, no entanto, que a falta de contribuições “não tem paralisado” candidaturas petistas “em lugar nenhum”. “Vamos fazer campanha com aquilo que o partido conseguir arrecadar.”

O secretário de Finanças do PT, João Vaccari, também foi chamado para o encontro com Lula e confirmou as dificuldades de caixa. “A resposta das pessoas [doadores em potencial] é que elas estão pensando, avaliando”, disse.

O candidato do PT em São Paulo, Fernando Haddad, afirmou que o problema também afetaria os concorrentes.

“A informação que eu tenho é que tem havido atraso no cronograma [de arrecadação]”, disse. “É meio geral, não é só PT. Todos os partidos, de certa maneira, estão sinalizando que está havendo uma dificuldade.”

De acordo com prestação parcial de contas entregue à Justiça Eleitoral, Haddad gastou R$ 11,2 milhões no primeiro mês de campanha. A arrecadação foi de R$ 2,3 milhões.

O tesoureiro Chico Macena disse, na ocasião, que a diferença era normal e que o partido conseguirá quitar as dívidas até a eleição.

O presidente do PT, Rui Falcão, disse acreditar que o julgamento do mensalão não terá impacto nas doações.

(BERNARDO MELLO FRANCO)

Beba na fonte: Folha de S.Paulo – Poder – CPI e julgamento do mensalão travam arrecadação do PT – 21/08/2012.

Comentários

  • SideShow Bob

    21/08/2012 #1 Author

    É mui difícil de acreditar que os petralhas estejam tendo qualquer tipo de problema em arrecadar dinheiro para suas campanhas.

    Não foram uma dúzia ou duas dezenas de vezes que foram noticiados que empresários que quizessem manter qualquer contato com um governo petista precisa pagar um dízimo substancial.

    Por acaso todos já esqueceram do escândalo das lanchas adquiridas pelo Ministério da Pesca pela Ministra Ideli.

    Além disto, não entra na contabilidade a massa de “idiotas do bem” que trabalham de forma incanssável para apoiar os candidatos petistas. Os mesmo que acham que o mensalão é uma invenção da mída golpista.

    Também não entra na contabilidade os criminosos que recebem verbas públicas dos petistas e depois têm que retribuir a mesura, como UNE, MST, Pastoral da Terra, Via Campesina, “Blogs Progressistas” e as milhares de ONGs sustentadas com verbas públicas, mas que só existem no papel.

    Responder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *